Discussão:Estação Fluvial Sul e Sueste

    Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.


    Rever[editar código-fonte]

    Retirei do artigo (secção "Caracterização") o seguinte:

    Os quatro terminais não se encontram ligados directamente entre si por intermédio de uma rede ferroviária, originando uma descontinuidade da rede ferroviária de Lisboa. Para colmatar esta descontinuidade, existem linhas de transportes urbanos que permitem a ligação directa entre os quatro terminais. Estas linhas são operadas pela Carris ou pelo Metropolitano de Lisboa:

    • Sul e Sueste <> Cais do Sodré - Carris
    • Sul e Sueste <> Rossio - Metropolitano de Lisboa
    • Sul e Sueste <> Santa Apolónia - Carris e Metropolitano de Lisboa

    As ligações do Metropolitano de Lisboa são operadas pela linha azul e as da Carris através da Ponte-Bus Cais do Sodré <> Santa Apolónia. Ressalva-se ainda a possibilidade de fazer a articulação entre Sul e Sueste e Rossio através das carreiras 711 e 759 da Carris.

    Isto é um disparate pegado, já que a Linha de Cintura existe, unindo todos estes pontos, com exceção justamente do Barreiro (até à TTT). Acho q a situação peculiar de S&S como estação ferroviária sem comboios pode e dever ser explicada, mas não é assim. (Já pra nãi falar das calinadas técnicas de q todo o artigo está eivado, ai, ai.) -- Tuválkin 02h03min de 31 de janeiro de 2013 (UTC)Responder[responder]

    • Hum. Se está errado, então é para abater. Confesso que nunca apreciei muito esta ideia de meter os serviços de autocarros, eléctricos, etc., na Wikipédia... porque os serviços mudam com muita frequência, e depois o artigo fica desactualizado. Informação desactualizada é informação errada, e informação errada tem de ser eliminada. -- AJPValente (discussão) 07h46min de 31 de janeiro de 2013 (UTC)Responder[responder]

    Descontinuidade da rede ferroviária de Lisboa[editar código-fonte]

    Disparate pegado não é certamente e a informação aí indicada encontra-se totalmente correta, é isenta e não induz o leitor em erro. Os quatro terminais centrais (de acesso à Baixa, radiais, o que lhes quiser chamar) não se encontram ligados. Existe uma descontinuidade da rede ferroviária de Lisboa que foi colmatada com o serviço do metropolitano (Rossio-C.Sodré e Rossio-S.Sueste-S.Apolónia) e da Carris (C.Sodré-S.Sueste-S.Apolónia).

    Ou seja, se o senhor Tuválkin pesquisar, verá que a realidade é aquela que se indica nesse texto. A rede ferroviária da cidade de Lisboa é composta pelos seguintes troços:

    • 3 troços radiais, em direção ao centro da cidade: até Santa Apolónia (vindo de Norte), até Rossio (vindo de Sintra) e até Cais do Sodré (vindo de Cascais).
    • 1 troço circular que rebate estas três radiais em: Alcântara, Campolide e Braço de Prata. Por essa razão, este troço circular (linha de Cintura, não serve a Baixa de Lisboa e muito menos os seus terminais.

    Isto está, inclusivamente, algures explicado na Wikipedia nos serviços da CP Lisboa.

    Portanto, dizer que Rossio, Santa Apolónia e Cais do Sodré estão ligadas através da linha de Cintura é falso. A verdade, a realidade, é que os terminais ferroviários do centro da cidade (Campolide não é centro, ignoro o porquê de ter sido incluída nesta descrição) se encontram desarticulados entre si. Este é um facto que está patente no desenho urbano da cidade e da rede de transportes de Lisboa (já reparou na quantidade de autocarros que existem entre Santa Apolónia e o Cais do Sodré?). Um passageiro que venha de Cascais para o Norte, tem de desembarcar no Cais do Sodré, apanhar um autocarro para Santa Apolónia e só aí é que pode apanhar um comboio para Norte. Um passageiro que venha da linha de Sintra para Santa Apolónia tem de desembarcar no Rossio e percorrer o restante percurso. Não há nenhuma linha ferroviária a ligar Cais do Sodré, Rossio, Santa Apolónia e Sul e Sueste entre si. Essa é a descontinuidade.

    Por isso, a informação eliminada deve voltar à página da estação do Sul e Sueste para uma maior integração, transparência e compreensão da informação. Transpormapas (discussão) 11h41min de 18 de fevereiro de 2013 (UTC)Responder[responder]

    Esse tipo de “descontinuidade” existe em muitas grandes cidades (Paris, Londres, Berlim, Moscovo e muitas mais) onde as estações terminais de várias linhas radiais foram construídas no séc XIX o mais próximo possível do centro e mais tarde interligadas por linha circulares. Isto acontece por óbvias questões de urbanismo (poucos queriam uma linha férrea a atravessar o Cais das Colunas para ligar SA a CS, p.ex.). Só muito raramente, e em geral bem mais tarde, a dita descontinuidade é colmatada, qs sempre por meio de linhas subterrâneas (p.ex., em Madrid).
    Concordo que se deva elencar neste e noutros artigos os terminais ferroviários de Lx, como acima, e para isso na altura foi criada a Predefinição:CP - Terminais ferrovários em Lisboa, mas não concordo que a situação de descontinuidade seja apresentada como uma anomalia, como coisa única e espantosa — quando não o é.
    (Quando ao conceito da Ponte-Bus, a menos que haja fonte da CCFL a corroborar a sua especificidade, trata-se apenas de carreiras que se concentram num eixo de grande densidade de passegeiros, como em tantos outros. Nem sequer há uma carreira que faça serviço de shuttle dedicado.)
    -- Tuválkin 08h30min de 24 de novembro de 2022 (UTC)Responder[responder]

    Nome[editar código-fonte]

    • Venho trazer aqui para debate um pormenor: o nome do artigo. Pelo que percebo, os serviços fluviais tornaram-se apenas complementares e não dependentes dos comboios no Barreiro, pelo que penso que a função ferroviária desta gare já se dissolvei. Assim, quero propor 3 opções: 1: o artigo fica com o título que já tem; 2: altera-se o título para "Estação do Sul e Sueste"; 3: muda-se o título para "Estação Fluvial de Sul e Sueste" (como está na página da Direção-Geral do Património Cultural). Também podem apresentar mais alguma proposta para nome, se quiserem. Obrigado desde já, -- AJPValente (discussão) 12h57min de 19 de novembro de 2015 (UTC)Responder[responder]
    Update: O utilizador DiogoBaptista colocou um pedido para renomear a página para "Estação Fluvial Sul e Sueste". Eu concordo, embora preferisse que em vez disso fosse utilizado o nome "Estação Fluvial de Sul e Sueste" ou "Estação Fluvial do Sul e Sueste", parece ser um pouco mais correcto do ponto de vista gramatical. Mas se for mudada para "Estação Fluvial Sul e Sueste", por mim não há problema. O nome corrente está desactualizado, deixou de ser estação ferroviária desde a inauguração da via férrea no tabuleiro inferior da Ponte 25 de Abril. -- AJPValente (discussão) 02h20min de 29 de julho de 2019 (UTC)Responder[responder]