Discussão:Fé

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

O texto trata apenas de fé religiosa[editar código-fonte]

Antes de conceito religioso, a fé é um conceito filosófico. O texto atual trata o tema como um tratado de como a fé é vista por credos cristãos.

Gíria (fé)[editar código-fonte]

O Texto esqueceu de mencionar que "fé" , o verbete, é muito usado 
no lugar de acredito no Brasil. "Você tem fé que o Brasil vai 
ser hexa?" , sem significado religioso.

Não querendo menosprezar a observação, a fé que o amigo se refere tem mais a ver com a esperança, ou a vulgar FEZADA. A esperança de que Portugal poderá ser Campeão do MUNDO é partilhada por todos os Portugueses. Mas a fé, é outro assunto... a fé é sempre relacionada com assuntos religiosos. Quando não é, então é esperança. A fé tem a ver com o fervor religioso, algo que transcende o conhecimento. A esperança é fruto de uma conveniencia ou do azar e do acaso. A Esperança tem mais a ver com o desejo, a espectativa e a confiaça.

Tenho "esperança" que compreendas isto...

--Rikadu 16:56, 24 Abril 2006 (UTC)

Na verdade não, o termo fé deriva do latin 'fides' que não significa esperança, não implica em um contexto religioso e não envolve relação afetiva com o objeto da fé, como o artigo está apontando erroneamente. A fé não tem a ver com fervor religioso, não transcende o conhecimento e o uso de fé no sentido de acreditar não é giria e está mais próxima do sentido original do latin 'fides' do que este conceito atrelado à religião.

Observem que o artigo em inglês está muito mais preciso a respeito do significado da palavra 'faith' que tem a mesma origem que a nossa 'fé'. Seria bom que as aspirações religiosas fossem deixadas de lado ao se contribuir com uma fonte de conhecimento como a wiki.

notivago (discussão) 22h00min de 7 de abril de 2009 (UTC)

__ Fé, palavra que dá sentido de algo em estado de verdade, concreto, aquilo que se acredita, independente se no sentido religioso ou não, mesmo sabendo que neste é muito mais empregada, a palavra "Fé", assumiu novas amplitudes ao se distinguir de seu sentido primário, ou seja se "popularizou" em outras funcionalidades. (José Eduardo Firmino >>>> (FJB)- agosto 2009

ALTERAÇAO GERAL[editar código-fonte]

Feather 150 transparent.png Marcado: Rikadus.

Vou alterar toda a estrutura deste artigo. Tem imenso potencial para evoluir, mas estagnou numa tradução.

Agradeço opiniões contrárias, que justifiquem o artigo como está.

Obrigado. Rikadus D C E 17:16, 13 Junho 2006 (UTC)

Concordo com o colega que falou que a fé não é necessáriamente relacionada à religião, afinal de contas, pelo próprio artigo, bem como em dicionários (como http://www.priberam.pt) vê-se que pode ser usado para denotar confiança (ausência de dúvida). Nesse caso, não vejo como dar à palavra significado distinto quando relacionada à religião.

--- Meu caro, não há que concordar ou não. Um conceito não é uma questão de opinião mas sim de conhecimento. O conceito de Fé está mais que definido por centenas de anos sem mudanças. Onde se originou a palavra Fé? De que língua veio? O que significa? Há "evolução semântica"da palavra? O sentido próprio manteve-se?... Nada... aqui não se sabe, aqui inventa-se, opina-se, não se aprende, projecta-se a OPINIÃO da maioria que deveria estar a instruir-se. A palavra Fé (português) é a palavra FIDE (latim) que literalmente significa FIDELIDADE. O conceito de Fé com o seu sentido especial é introduzido por Jesus Cristo (portanto, aparece no registo Bíblico) e tomou assento na civilização católica europeia (e depois pelo resto do mundo). Este conceito sempre foi definido pela Igreja da mesma forma até aos dias de hoje, e eu passo a dizer o que significa: é a CRENÇA nas verdade REVELADAS pela GRAÇA divina. Eu explico para que não haja abusos: é o acreditar (adesão, assentimento) nas verdades reveladas (portanto, se alguém acreditar que Deus é azul isso está fora das verdades reveladas e até é contrário) com a graça de Deus (ou seja, essa adesão não se dá por mero esforço intelectual e só é possível por dom dado por Deus (etc... disto haveria ainda que explicar muito mais mas não é aqui o sítio). Esta definição não só é a original mas é a que sempre se manteve por fazer parte da Doutrina católica (não mudará). Este é o SENTIDO PRÓPRIO. Portanto, como se pode confirmar, a palavra FIDE (fidelidade) continua com o seu significado original e criou um sentido mais elevado, teológico, e, por isto, na nossa língua a primeira se diz FIDELIDADE e a segunda se diz FÉ. Ok?.... entenderam? A palavra Fé sofreu uma evolução semântica? Não, pois o seu conceito é tão actual há 1500 anos como há 15 anos, é igual. Se repararem na literatura do séc. XVI, por exemplo, a palavra Fé aparece com o sentido próprio e por vezes na mesma obra com sentido alargado com se faz com qualquer palavra de significado forte e quando os textos podem ser mais artísticos que técnicos. Contudo, apenas por haver uma cultura anticatólica, as palavras próprias do catolicismo estão a ser atacadas, tal como a palavra "mártir". Os sentidos próprios das palavras são SOCIALMENTE ABAFADOS e são difundidos vários sentidos alargados de forma a que se gere uma confusão tal que não mais haja possibilidade de entender os discursos onde eles entrem. A palavra Fé não se desliga de FIDE, assim é aparece a palavra "infidelidade" para significar a falta de Fé de alguém nos antigos textos. Veja-se aqui um artigo http://ascendensblog.blogspot.com/2011/11/fe-tal-como-comprova-historia-ii.html

Proteção para este Artigo.[editar código-fonte]

Motivo . Vandalismo.


Espero que pelo menos corrijam os erros ortográficos. abraço, Marcos 16:21, 23 Janeiro 2007 (UTC)

Marcos ,se possivel elimine esses erros ortográficos. Mas não mude o texto . Andrelz 17:19 , 23 de Janeiro de 2007

Boa Fé[editar código-fonte]

Voltei para uma citação antiga pois o termo "Quando só quer ajudar os outros e não espera nada em troca." se refera ao altruismo e não a Boa Fé. --Andrelz (discussão) 00h03min de 3 de Junho de 2008 (UTC)

Nota[editar código-fonte]

Não vale a pena terminar a tradução do restante deste artigo como está no original. Tratam-se de citações não enciclopédicas de trechos de dogmas de diversas religiões e possíveis VDAs. O necessário sim é uma revisão criteriosa de todo o artigo. Dalton (discussão) 05h19min de 9 de Janeiro de 2009 (UTC)

Observação[editar código-fonte]

Olá. Tomei a liberdade de reordenar os primeiros parágrafos de modo a melhor esclarecer os dois grandes conceitos de fé: o religioso e o conceito de crença, de simplesmente acreditar. Espero ter agregado maior clareza ao artigo. --Ronaud (discussão) 20h04min de 27 de junho de 2010 (UTC) Desfiz suas motificações pois piorarão a clareza do artigo, ficou uma definição confuza.E quis separar fé religiosa de fé não religiosa,mas isso é feito nos topicos abaixo dos primeiros paragrafos.Nos primeiro paragrafos tem que ficar o conceito mais simples e universal possivel.E a sua motificação tirou totalmente esta simplicidade e universalidade .--Andrelz (discussão) 22h57min de 29 de junho de 2010 (UTC)

-- Meu caro, o conceito de Fé está definido há séculos. Mas neste artigo não há uma única referência à definição de Fé. Onde foi buscar que há dois conceitos de Fé? É falso, existem os conceitos próprios e os usos alargados. A Fé é a CRENÇA nas verdades reveladas por assistência da Graça. Ou seja, se acreditar que o pai natal existe isso não é Fé. Se acreditar que Deus é azul isso não é Fé. O objecto da Fé é o conhecimento das mesmas verdades reveladas. Entendeu? Agora, se outras igrejas e ceitas POSTERIORMENTE usaram apalavra noutro sentido não se pode dizer que a Fé passou a ter mais outros conceitos, pois ninguém se pode apropriar do significados apenas por invenção e uso deturpado. Por outro lado não se pode alegar uma evolução semântica visto que a palavra Fé, da civilização cristã, por 2000 anos usou a palavra no mesmo sentido. É incrível como a Wikipedia está a ser uma estrada para democratizar a confusão. O argumento da universalidade é civilizacional e não PUBLICITÁRIO e momentâneo. Vc. herdou a palavra Fé mas recusa-se a herdar o conceito. Por outro lado não pode fazer sondagens do uso da palavra para saber o que significa a palavra, lamento mas a verdade não é democrática: ou procura o significado PRÓPRIO ou procura o USO actual que pode estar certo ou errado. Tem que haver objectividade.

Exemplos praticos para diferenciar acreditar,fé,convicção e certeza[editar código-fonte]

Acreditar. Laurêncio encontrou um saco que contem 100 bolinhas. Ao enfiar a mão no saco pensou:- "Acho que primeira bolinha que vou tirar é vermelha" Isto é acreditar.

. Laurêncio encontrou um saco que contem 100 bolinhas. Laurêncio ama a cor vermelha . Tudo em sua vida gira em torno da cor vermelha. Ao enfiar a mão no saco pensou:- "Eu desejo profundamente, com todo amor no coração, que a primeira bolinha que eu tire seja vermelha,pois isso me fará muito feliz". Isto é fé.

Convicção. Laurêncio encontrou um saco que contem 100 bolinhas. Sem olhar, Laurêncio tirou 95 bolinhas de um saco de 100. Das bolinhas que Laurêncio tirou, 95 eram vermelhas. Portanto,ele pensa:- "A próxima bola que eu tirar para fora da bolsa será vermelha." Isto é convicção.

Certeza. Laurêncio encontrou um saco que contem 100 bolinhas. Sem olhar, Laurêncio tirou 100 bolinhas de um saco de 100. Das bolinhas que Laurêncio tirou 100 eram vermelhas. Laurêncio colocou todas as bolinhas de volta no saco. Portanto, ele pensa:- "A próxima bola que eu tirar para fora da bolsa será vermelha." Isto é certeza.

--Andrelz (discussão) 00h33min de 2 de novembro de 2010 (UTC)

ERROS: O conceito de Fé que está a usar é impróprio. Isso não é Fé. A Fé e a crença nas verdades reveladas com a Graça de Deus. Ou seja, se vc acreditar que o Deus é azul isso não é Fé, é superstição. Aqui está a ser negado o sentido próprio de Fé usado em 2000 anos e que faz parte da nossa civilização ocidental e cristã. O exemplo da do "isto é fé" merece o comentário de que "isso nunca foi Fé, isso não é fé". Gostaria que o autor desse disparate mostrasse num livro com mais de 200 anos um exemplo idêntico ao que deu ou alguma definição de Fé idêntica a essa que INVENTOU. Os erros seguem-se para CONVICÇÃO E CERTEZA, visto que confunde o foro objectivo com o subjectivo. Gostaria de saber onde se fundou para chegar a tais conclusões!

O CONCEITO ERRADO[editar código-fonte]

O conceito de Fé apresentado no artigo é redondamente falso, tanto que não corresponde ao conceito usado ao longo dos séculos tal como testemunham os milhares de livros e documentos antigos. O conceito apresentado pela Wikipedia é recente, deturpado, e contradiz a civilização europeia. É um conceito que está a ser usado desenraizadamente. Espero que os senhores da Wikipedia coloquem este artigo como não fiável.

O artigo diz "Fé (do Latim fides, fidelidade e do Grego pistia[1] ) é a firme opinião de que algo é verdade, sem qualquer tipo de prova ou critério objetivo de verificação, pela absoluta confiança que depositamos nesta idéia ou fonte de transmissão." 1º ERRO: A palavra "fé" não tem nenhuma proveniência de "pistia" (grego). Vs. confundem origem do conceito com origem da palavra, bastante. Por outro lado a palavra grega não é "pistia" mas sim "pístis, eos" (fé, confiança em outro, fidelidade, fiança gratuita, juramento, prova, crença, convicção...). Etimologicamente a palavra "fé" não tem QUALQUER relação com o grego. 2º ERRO: A fé não é uma opinião, e como prova disso temos toda a civilização católica que sabia que a Fé não é opinável mas sim algo em que se crê ou não. A Fé é um assentimento, ou seja uma adesão convicta, ao conjunto concreto que constitui o chamado "depósito da Fé" que são as verdades reveladas e imutáveis que Deus transmitiu à guarda da Igreja que fundou. Esta realidade existe durante 2000 anos continuamente e agora, com a ignorância geral sobre o catolicismo e a civilização cristã, as pessoas usam apenas os sentidos alargados da palavra, com a agravante de terem aparecido seitas que usam este tipo de palavras fora do contexto civilizacional e próprio. Há que admitir que isto que explico é irrefutável, e disso são as provas dos milhões de documentos escritos antigos neste espaço de 2000 um pouco por todo o mundo. 3º ERRO: É completamente falso que a crença da Fé seja "sem qualquer tipo critério de verificação". Já diferente seria dizer que a Fé NÃO NECESSITA de critérios de verificação devido ao efeito da graça que leva ao conhecimento de tais verdades. Portanto, a FÉ requer a EVIDÊNCIA e não a VERIFICAÇÃO. O objecto da Fé, como já disse, são as verdades reveladas, e essas podem ser susceptíveis de demonstração. Há uma ignorância religiosa muito grande que legam ao não conhecimento do sentido próprio desta palavra que é a toda a hora hoje confundida com CRENÇA em geral, mas a própria definição de FÉ contem a palavra "crença" ficando assim demonstrado que "crença" e "fé" não pode ser equivalentes. Vamos aos exemplos: se alguém acreditar que Deus não é trino e é apenas uno, não tem Fé, e tal crença ganha o nome de "superstição" (este é o conceito usado com continuidade em 2000 anos, e era partilhado por todos quando a ignorância religiosa não era caótica como hoje. 4º ERRO: O objecto da Fé não é qualquer coisa, não é uma ideias, não é uma fonte de transmissão. O objecto da Fé, repetindo, é o conhecimento das verdades reveladas (não mais, não menos que isso). Outra característica é que basta não acreditar ou duvidar de uma das verdades reveladas para não se ter Fé, pois aqui entra o aspecto da Fé ser dada por pela garça divina (por isso é uma das virtudes teologais)que quando dada não actua para partes mas sim para o todo das verdades.

Lamento mas é deplorável que o ÚNICO sentido de FÉ que não se encontra na Wikipedia é o sentido PRÓPRIO, fundacional, durável, estável, com o mesmo vigor que sempre teve! Entende-se que se NEGUE o sentido PRÓPRIO para escarrapachar aqui todo e qualquer sentido impróprio, equívoco ou até alargado? É isto uma prova da anticatolicidade universal que impede que tudo o que seja verdade não possa aparecer se for bom e católico!? Há tantos preconceitos assim!?

Vamos lá ver se nos entendemos:

1 - Existia, e existe, a palavra FIDES ("fidelidade", do latim); 2 - O uso desta palavra em sentido mais elevado é cristão e significa: crença nas verdades reveladas por acção da graça (portanto, por acção divina); 3 - Ao aparecer a língua portuguesa esse mesmo conceito continuou a ser chamado por FIDES, ou melhor FIDE. O mesmo aconteceu nas várias línguas europeias. 4 - Ao longo dos tempos na nossa língua a palavra FIDE foi sofrendo simplificações: FED, FÉ. 5 - O Conceito de FÉ sempre foi mantido intacto no catolicismo e na civilização católica, e assim se mantém até aos nossos dias. NENHUMA outra palavra foi inventada para designar o que FÉ sempre designou. O sentido PRÓPRIO da palavra FÉ,é portanto o sentido que sempre teve. O outros sentidos ALARGADOS da palavra não substituem nunca o sentido próprio. 6 - De FIDES (com o sentido de FÉ) são originadas palavras tal como FIEL ("a paróquia tem muitos fiéis"), INFIEL (sempre significou "aquele que não acredita nas verdades por Deus à Igreja por ele constituída")....

Etc....... penso já ter escrito o suficiente sobre o assunto. Já aqui sugeri olharem os textos antigos dos séculos passados para constatarem que o uso do sentido PRÓPRIO da palavra Fé sempre foi conhecido e empregue pelo geral das pessoas (e nessa altura não havia a ignorância dos sentidos impróprios que hoje se fazem). Tudo isto prova somente que foi apagado o CONHECIMENTO do passado e do catolicismo pelos seus inimigos que se sentaram mais recentemente no "trono" do domínio das nações. É facto! Tenho dito...

Uma dica para refletir[editar código-fonte]

Companheiro, a sua religião - notoriamente a católica - não é a única do mundo. Tão pouco foi a primeira religião do mundo. Veja o contexto no geral! Você notoriamente não o está fazendo, direcionando tudo ao seu ponto particular de vista, definido pela sua religião em particular!!!! Abraços!!!

Lauro Chieza de Carvalho (discussão) 20h21min de 10 de setembro de 2012 (UTC)

Você não apresentou nenhum argumento para manter o texto como está. A definição de fé do artigo está redondamente errada. Fé não é crença "em algo sem provas". É o CONTRÁRIO: fé na verdade envolve a crença em algo exatamente por HAVEREM PROVAS. É assim que fé sempre foi entendida por todas as religiões que usaram o termo. Fé vem de "ser fiel", vem de fidelidade - significa lealdade, significa assumir um compromisso com algo ou alguém e mantê-lo. E assume-se esse compromisso não porque "não há provas" - isso seria completamente absurdo. Por exemplo, um marido é fiel a sua esposa, isso significa que ele tem fé no casamento - e isso não é porque ele "não tem provas", mas justamente porque ele as tem. A questão de provas não é o ponto central da fé, mas pode-se dizer que que fé envolve uma crença COM PROVAS, não sem.

Basicamente, a definição de fé que foi colocada nesse artigo da wikipédia foi tirada de literatura atéia chifrin de quinta categoria. O ateísmo não é a única religião do mundo, caro Lauro.

Sugestão[editar código-fonte]

Etimologicamente, as palavras fé e fiar parecem ter a mesma origem. Neste verbete http://www.aulete.com.br/fiar há a definição de que fiar é ter fé ou confiança em. Já tentei acrescentar esta informação anos atrás e minhas alterações foram desfeitas porque alguns usuários se apegam às páginas e não permitem contribuições. Portanto deixo a sugestão da inclusão desta informação nesta página pelos usuais responsáveis por ela. Grato.