Discussão:História em quadrinhos no Brasil

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Tendenciosidade do artigo[editar código-fonte]

O artigo caracteriza um mau uso da wikipedia para a promoção pessoal do Cassaro e da Érica.


Onde estão as evidências do reconhecimento nacional da Érica e do Cassaro?

Unnamed --156.153.255.243 19:31, 12 Dezembro 2005 (UTC)


Link externo[editar código-fonte]

Qual é a relevância do link Remnant para este artigo? Por que a wikipedia pt é assolada por spammers? Diego --156.153.255.236 13:40, 19 Dezembro 2005 (UTC)


Os Primeiros Quadrinhos Brasileiros[editar código-fonte]

Eu encontrei uma publicação do Senado Federal do Brasil intitulada:

As Aventuras de Nhô-Quim & Zé Caipora. Os Primeiros Quadrinhos Brasileiros. 1869-1883

Esse livro se trata da coletânea das duas principais histórias em quadrinhos de Ângelo Agostini que foram pubicadas nas revistas Vida Fluminense, Don Quixote e O Malho e datadas entre 1869 e 1883. Os quadrinhos reunidos nesse álbum são os primeiros do Brasil e Zé Caipora é, também, o primeiro de aventura realista do mundo.

Vou realizar mais pesquisas quando chegar o livro, que eu comprei, para atualizar o artigo.

Mala Minora

Conteúdo para análise[editar código-fonte]

  • um IP trocou o conteúdo do artigo pelo seguinte, que peço para alguém da área analisar para ver se é aproveitável:

"Meretrizes do Medo, série de fanzine mangá de autoria de Glauber Gleidson Peres(Pindamonhangaba SP Brazil, 1983-)

"Meretrizes do Medo", Heroínas de histórias em quadrinhos mangá criadas por Glauber Gleidson Peres, em 21 de setembro de 2001. O inprovável nome do grupo foi tirado de uma situação presenciada por Glauber na EE.Prof. Rubens Zamith, em 2001, ao ver gangues de meninas apavorando professores. A série é subdividida por duas estórias distintas: "De Volta aos anos 80", sobre a emancipacção de Moreira César(1989-1991)"Meretrizes do Medo - Halley", sobre a passagem do Cometa Halley(1986) - Todas CENSURADAS por jornais locais de Pindamonhangaba sob ordem do PSDB local.

Sobre o autor, Glauber Gleidson Peres. Glauber Gleidson Peres nasceu em Pindamonhangaba - SP dia 29 de julho de 1983 , filho caçula de Osvaldo Luíz Peres e Maria Aparecida Peres , desenvolveu precocimente um talento excepcional para a Arte . Em 1998 aos 15 anos ganha o primeiro lugar na promoção Mantiqueira Viva como na categoria desenho . Em junho de 2003 ele funda com mais amigos a banda Garagem 151 durando até setembro como baterista . Em dezembro após ao fim da banda Garagem 151 , Glauber Peres é chamado para tocar bateria na banda The Crash o que ajudou a subir mais em seus objetivos . Com um temperamento Explosivo Glauber Peres nunca se cansou de bater na mesma tecla , enviando seus desenhos a Midía da região . Descoberto pelo o Vereador André Raposo Glauber Peres está finalizando o seu ousado ( e muito criticado ) trabalho titulado Meretrizes do Medo ( que nome ridículo menino ! ) com a fim de mostrar o que o Vale do Paraíba ainda não sabe sobre Histórias em Quadrinhos." -- danilo_br msg -- 18:00, 7 Novembro 2006 (UTC)

Wikipedia:Contato/Linha direta#Correção/ HQ no Brasil[editar código-fonte]

Mensagem recebida no Contato:

Olá:

No artigo "História em quadrinhos no Brasil" existem dados improcedentes, q sugiro q sejam corrigidos, uma vez q se trata de uma enciclopédia e sua informação deve ser exata. Foi informado no texto supracitado (com outras palavras) q "Angeli, Laerte e Glauco iniciaram na revista Balão". É um erro. O Glauco nunca desenhou nos nove números da revista. Ele devia ter doze anos, por aí, quando o "Balão" saía. O Angeli só publicou uma HQ no Balão. Tá certo q foi a primeira HQ q ele produziu, mas ele não era exatamente a "turma do Balão". Este pessoal se reunia semanalmente pra tocar a revista e discutir e conversar sobre quadrinhos na USP. O Angeli e o Alcy ( de quem saíram alguns cartuns) não iam nas reuniões e o material era levado pelo Chico e pelo Paulo Caruso, de quem eles eram amigos. O Balão foi fundado pelo Laerte e pelo Luiz Gê. Participaram do Balão ( e eram da "tchurma" q se reunia pra tocar a revista, além dos dois já citados): Paulo e Chico Caruso,Flávio Del Carlo, Flávio de Souza, Ignatz,Kiko (depois,o músico Lord K),Miadaira, Sian ,Xalberto, Maurício Moura, Lucia (então, mulher do Laerte), Dirceu Amadio, entre outros. Não é incorreto citar o Angeli no Balão ( apesar dele não freqüentar as reuniões e portanto não ser dos autores mais representativos)), mas é totalmente errado incluir o Glauco. Que é ótimo cartunista, mas não foi do Balão. Posso dizer isso com segurança porque passei a participar da revista a partir do número cinco, com freqüência e regularidade. É bom q corrijam o erro porque outras publicações podem usá-los como fonte bibliográfica e, assim, o erro será perpetuado. xalba1 X hotmail.com

  • Fiz uma pequena edição no artigo História em Quadrinhos no Brasil para incluir Luiz Gê, Paulo e Chico Caruso no artigo. Los tres amigos Angeli, Glauco e Laerte constam no artigo como colaboradores da Circo e Chiclete com Banana, não da Balão, o que ficou mais claro agora. Obrigado pela colaboração, considere editar conosco a Wikipédia.-- Jo Lorib d 02:54, 13 Novembro 2006 (UTC)

Só uma correção: A produção de hq no Brasil têm seus primórdios no século XIX (ainda que um hq arcaico) com Ângelo Agostini e outros e não no séc. XX. O autor está equivocado. É provalmente até anterior à produção dos EUA, que se acham pioneiros e donos de tudo, e como não poderia dixar de ser, das HQs também. Mas de qualquer jeito é um questão controversa e subjetiva.

  • "No país o estilo comics dos super-heróis americanos é o predominante(...)"
  • Pode até ser, mas na minha opinião a predominância sempre foi de HQs infantis, de humir e há algum tempo era de terror e erótico (décadas de 1950, 1960, 1970 e 1980), especialmente de produção. Eram as revistas que vendiam mais.

Calafrio, Spektro, Kripta, etc. E o terrir também. Não acho que haja predominância de "estilo comics de super-heróis".