Discussão:Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Sem título[editar código-fonte]

Sugiro substituir fazendeiros por latifundiários na seção Veja também. --Patrick

Acho que quer "fazendeiro" quer "latifundiário" tem a ver com o MST, portanto proponho ficarem os dois links. --Jorge 15:16, 21 Jun 2004 (UTC)

Temos que verificar que nem todo fazendeiro é latifundiário

História[editar código-fonte]

Cheguei ao verbete sobre o MST ao procurar informações sobre história da reforma agrária ou sobre história de conflitos agrários no Brasil. Acho que a parte relativa ao período 1945-1964 está fraca, especialmente no que tange às controvérsias da época: a polêmica sobre as formas de pagamento de terras desapropriadas (se antes ou depois da desapropriação) foi um dos principais motivos do golpe de 1964. Também ficou faltando material sobre o Estatuto da Terra, pós-1964. Não se sabe como (e se) houve algum avanço em relação ao que existia antes; se algumas das exigências dos movimentos agrários anteriores a 1964 foram atendidas (de forma semelhante ao que fez Getúlio com as leis trabalhistas, que tiraram a bandeira das transformações das mãos do movimento sindical para desarticulá-lo); não há, enfim, um comparativo entre o que existia antes e o que passou a existir, entre o que era exigido antes e o que foi contemplado. O artigo simplesmente pula o período militar. Não sou historiador e não conheço bem os assuntos que me parecem mal desenvolvidos no texto. Fica aqui um pedido para que sejam abordados. Andrebueno 16:20, 3 Nov 2005 (UTC)

Parcialidade[editar código-fonte]

A menção a finaciamentos do exterior não será parcial? O artigo não identifica esse "exterior" e parece-me mais propaganda contra o MST. Manuel Anastácio 21:32, 27 Jan 2005 (UTC)


Havia feito uma edição mais imparcial do texto, tentando tirar estas imparcialidades, já que na minha opinião este artigo está parecendo propaganda contra o mst. O Campani disse que apagou porque coloquei minhas opiniões e isso não estava certo. Como agir nestes casos? --Dastan 16:24, 2 Fev 2005 (UTC)

A primeira coisa a fazer é adaptar o artigo ao livro de estilo. Coloque os assuntos por seções, tais como: história, organização, atividades, etc. Assim fica mais fácil de contribuir e de discutir o artigo. --E2m 16:47, 2 Fev 2005 (UTC)
Minha edição tentou consertar a questão da parcialidade que foi introduzida pelo Dastan. Só que eu acabei também corrigindo inconsistências que ele introduziu. Por exemplo, um parágrafo iniciava falando que o MST prioriza o trabalho coletivo nos assentamentos. Foi introduzido ao final uma frase que dizia algo como "eles fazem o que querem no assentamento". Que bom que o Manuel, sendo português, e assim estando em uma posição mais imparcial, percebeu que enfatizar que o "financiamento do MST vem de fora" feria a parcialidade. Não precisei eu dizer. Campani 21:14, 2 Fev 2005 (UTC)

Dêem uma olhada nas alterações e vejam se está ou não imparcial. Por favor, ajudem! abraços!

Edição do Angelo[editar código-fonte]

Angelo:

Não gostei muito da tua edição. Acho que a versão anterior era superior. Vejamos:

  1. O primeiro parágrafo original era: "O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) é um movimento político-social brasileiro que busca a reforma agrária. Rebelando-se contra o modelo de reforma agrária promovido no passado pelo governo, que consistia em enviar os camponeses sem-terra para áreas distantes e inférteis, o MST busca uma real e justa distribuição das terras improdutivas.", limpo e direto, com estilo. O teu primeiro parágrafo é "O Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) é um movimento político-social de extrema esquerda. Bate frontalmente contra as organizações de extrema direita comandadas por empresários e latifundiários. Ambas organizações extremistas enfrentam-de de forma muitas vezes violenta, os de esquerda pela reforma agrária no Brasil, os de extrema direita, contra.". Achei tua versão ideologizada demais. Isto sem falar que o verbo "bate" está sendo usado na forma coloquial. Quem bate é martelo, movimentos políticos são antagônicos. Deixou de ter a clareza e limpeza que tinha antes.
  2. Achei um pouco pretencioso levar o histórico da luta pela terra at=é o tempo da grécia e roma antigas. Nem o Stédile e o Frei Sérgio Gorgen fazem isto. Eles iniciam as raizes da atual luta em 1850.
  3. Eu sei que estás ainda editando, mas desapareceu a parte que fala das ligas camponesas.

Campani 23:21, 19 Fev 2005 (UTC)

Não fui eu que escreveu este 1o. parágrafo que estava lá anteriormente (nem sei quem foi). Só estou defendendo que ele estava bom, enquanto o teu início de artigo ficou ideologizado demais. Quanto a questão da antiguidade da luta pela terra, não questiono, mas acho que não precisavas ir até a "idade da pedra". Quanto ao fato de teres introduzido este histórico te parabenizo, pois é um avanço em relação ao que tinha. Campani 23:45, 19 Fev 2005 (UTC)

Na minha opinião a edição do Angelo tem o mérito de introduzir um histórico mais detalhado da questão agrária. Mas na minha opinião, talvez este texto fosse mais adequado em um artigo sobre reforma agrária ou questão agrária e não MST. Iniciar na roma e grécia antiga achei um pouco exagerado e, como já disse, o Stédile e o Gorgen, em seu livro, iniciam o histórico da questão agrária no Brasil em 1850. Além disto, achei que em alguns pontos se desvirtuou o texto original, que eu achava ponderado e imparcial. Campani 11:14, 20 Fev 2005 (UTC)

Pronto! Tentei dar uma ajeitada nas coisas que eu não gostei da edição do Angelo. Reduzi o histórico da questã agrária mais geral, pois desviava um pouco do assunto e substitui pelo histórico da luta pela terra no Brasil. Assim fiocu mais "chão". O texto ainda carece de melhoras para ficar "redondinho". Vou continuar trabalhando nele. Campani 11:52, 20 Fev 2005 (UTC)

SEM COMENTÁRIOS...[editar código-fonte]

Não concordo com o disposto acima. Retiro-me da discussão. Façam o que quiserem.Angeloleithold 10:42, 21 Fev 2005 (UTC)

Algumas críticas[editar código-fonte]

Farei algumas considerações e críticas abaixo para a melhoria do texto. Por favor, leiam e opinem. --Carlosar 12:22, 14 Abr 2005 (UTC)

  • A organização não tem registro legal por ser um movimento social e, portanto, não é obrigada a prestar contas a nenhum órgão de governo, como qualquer movimento social ou associação de moradores.
De onde vocês tiraram essa conclusão? Isto não me parece verdadeiro, parece estar mais no campo da especulação.
Isso é fato público e notório. Se quiser podes tentar encontrar algum registro legal do MST. --Paulo Batista 22:59, 20 Abril 2006 (UTC)
  • A menção a finaciamentos do exterior não será parcial? O artigo não identifica esse "exterior" e parece-me mais propaganda contra o MST.
A própria página do MST menciona contribuições externas.


  • Sua principal fonte de financiamento é a própria base de camponeses já assentados, que contribuem para a continuidade do movimento.
De onde vocês tiraram isso? No Brasil ninguém sabe direito de onde vem o dinheiro do MST, e isso é um dos argumentos principais das pessoas que pedem para que haja um registro legal do MST. Uma hipótese plausível é que a maior parte do dinheiro do MST vem do governo federal. Todavia, não sei se podemos afirmar isso categoricamente; parece estar mais no campo da especulação.

Faça o favor de apresentar as duas versões: a sua (de que o dinheiro não tem origem certa) e a oficial. Seja como for, não apague informação: complemente com a sua visão das coisas. Não entremos em guerras de edições. Não é assim tão difícil escrever um texto que expõe aquilo que se sabe, porra!!! Manuel Anastácio 22:23, 18 Abr 2005 (UTC)

Hino da Internacional[editar código-fonte]

A informação foi tirada da Agência de Notícias do Governo Brasileiro: a Radiobrás, que você pode conferir no link: [1]----Carlosar 04:32, 2 Jul 2005 (UTC)

Disputa[editar código-fonte]

Com todo o respeito, mas o artigo deixa de mencionar fatos muito importantes a respeito da conduta do MST. A aproximação do movimento com o governo do Presidente Hugo Chávez, o caráter revolucionário do movimento, o fato de o movimento abusar da violência e agir contra as leis brasileiras, o fato de invadir e expulsar pequenos fazendeiros (muitas vezes pobres) que perdem tudo e não tem a quem recorrer. Eu solicito humidelmente que seja colocado o texto que sugeri, do contrário, o artigo ficará extremamente desiquilibrado a favor do MST, além de ficar extremamente impreciso. --Carlosar 04:45, 2 Jul 2005 (UTC)

O movimento age contra as leis brasileiras ao ser violento, mas, o que ele quer é o cumprimento da legislação, onde se fala que toda a terra tem que ter função social (pena que perdi qual é o artigo...). Aliás, ele é bem fraquinho em certas coisas e anda sendo muito usado como força especulativa do que qualquer outra coisa. --Cachorrinho está latindo lá no fundo do quintal 01:45, 16 Agosto 2005 (UTC)

O Campani escreveu isto, ao reverter: revertendo edição que viola o princípio da imparcialidade (de onde se tirou que cantavam o hino da internacional? porque colocar conflitos com a polícia como violência do MST.

Eu concordaria com as alterações desde que:

  1. Uma fonte confiável realmente mostre que eles estavam cantando de fato o hino da internacional.
A fonte é a Agência Brasil, que é a fonte de notícias do governo brasileiro. Basta seguir o link que indiquei e procurar pela legenda da foto.--Carlosar 04:57, 2 Jul 2005 (UTC)
  1. O trecho da violência do MST parece-me OK - desde que seja balanceada com algumas ações violentas da polícia ou por fazendeiros contra o MST, também para recursos de balanceamento.
Concordo.

Leslie Msg 04:55, 2 Jul 2005 (UTC)

Creio não ser tardia minha colaboração, portanto, vai lá. Ser imparcial em assuntos polêmicos como este é difícil, porém, quando buscamos informações de diversas fontes, inclusive com depoimentos colhidos pessoalmente, podemos obter o sentido dado a cada ação e, desta forma, expor os fatos sem especulações. Ai vão algumas observações. Nenhum movimento social surge para atuar contra as Leis federais, mas contra a ordem política, social e econômica, que determina maior ou menor favorecimento de algumas classes sociais. A forma de atuação é determinada pela direção geral de cada entidade, o que pode ser com maior impacto moral, como as invasões e depredações ou protesto pacífico como ocupações, passeatas e encontros. Especificamente citando o MST, está explícita sua ligação política visando a mudança não apenas das leis como do regime político e, desta forma, fica claro que a luta pela reforma agrária é apenas mais uma bandeira/pretexto. Trata-se de discutir uma reivindicação legítima de todo cidadão e, ao mesmo tempo, trabalhar para chegar ao poder e mudar o sistema vigente a favor dos ideais revolucionários. Como a atuação deste movimento social tem sido forte na área da educação e do meio ambiente, tem provocado reações controversas entre o público leigo, há os que concordam com as reivindicações mas contestam suas ações, consideradas extremistas.Usuário:Orlando Camy A foto sobre o hino da internacional, mereceria ser acompanhada de texto que detalhasse o trabalho de sensibiliazação das famílias, feito pelos coordenadores. Seja no acampamento ou assentamento, os líderes/coordenadores de cada grupo agem de forma enérgica (sem violência física) para manter seus membros próximos e dependentes/conscientes. Para isso, realizam reuniões freqüentes para deliberarem sobre assuntos da comunidade, informes e fazer a sessão de afirmação da luta, quando são catadas músicas que enaltecem as ações, além de influenciar para a mudança para um sistema socialista de governo. A palavra democracia é citada diversas vezes, sempre no sentido de que o povo deve ter o poder e decidir sobre o rumo das "coisas". Usuário:Orlando Camy


Todos os links a seguir apontam para fontes de jornais ou governo

Disputa - Parte mais fácil[editar código-fonte]

Gostaria de enumerar as partes para as quais acho que não há muita discussão e acredito serem mais fáceis de resolver.--Carlosar 05:03, 2 Jul 2005 (UTC)

  • Hino da Internacional - Uma vez que se verifique o fato, acho que não há problema algum em mencionar que as crianças cantam o Hino da Internarcional Socialista.
  • Hugo Chávez - é um fato meramente descritivo dizer que o MST mantém relações e/ou simpatias com Hugo Chávez. Portanto, aqui também acho que não há disputa.

Vou começar por essas mudanças logo, a não ser que alguém tenha alguma objeção.--Carlosar 05:08, 2 Jul 2005 (UTC)

  • Não moro no Brasil há um bom tempo, portanto, fica difícil para mim verificar a veracidade de notícias daí, a não ser que links para sites de notícias sejam indicadas (Terra, etc), onde estas notícias aparecem de fato - e eu não sou o único reclamando (vide Usuário:Campani - realmente, acho meio duvidosa ambas as informações). Leslie Msg 05:15, 2 Jul 2005 (UTC)

Duvidosa? A informação sobre o Hino da Internacional foi publicada pela Agência Brasil, que é a agência de notícias do governo federal. A aproximação do MST com Hugo Chávez já saiu pelo menos na Reuters (se eu não coloquei o link aqui, depois coloco). Além disso há inúmeras fotos de membros do MST em ato de desagravo a Chávez. Veja a seção de fotos do MST. E se as fotos não forem suficientes, há as declarações do próprio MST em favor de Chávez. Eu já coloquei os links para várias páginas de notícias. O que preciso fazer mais? --Carlosar 04:03, 14 Agosto 2005 (UTC)

Somente editar :) Não esqueças de colocar estes mesmos links na secção "Links externos". Leslie Msg 04:08, 14 Agosto 2005 (UTC)

Introduzi na parte relativa à Chávez (que acredito excessiva, mas aí é preciso ter-se em conta ás susceptibilidades direitistas de alguns Wikis) uma tentativa de explicação concreta das simpatias do MST vis-á-vis do presidente venezuelano, explicação esta que coloco como alternativa às versões conspiratórias.

Chávez, o MST e os direitistas da Wikipedia.[editar código-fonte]

Daria para restaurar minha última modificação? Esses enfezados de Direita adoram encher a Wiki de teorias conspiratórias, mas quando alguém coloca uma alternativa aí eles esquecem as declarações sobre "liberdade de expressão"

A informação referente a Hugo Chavez foi tirada de agências de notícias internacionais e do Jornal do MST. Sendo que a informação foi publicada pelo próprio Jornal do MST e a relação do movimento com Chavez é pública e notória, não entendo a posição de Vossa Senhoria em censurar a publicação dessa informação aqui. Não existe nenhuma teoria conspiratória, não é feito nenhum juízo de valor e as inserções antigas foram mantidas. Quem está se posicionando contra a liberdade de expressão é Vossa Senhoria que insiste em protestar contra o acréscimo de uma informação relevante sobre o movimento. --Carlosar 12:36, 12 Setembro 2005 (UTC)

O MST tem muitas outras ligações e, se for o caso, pessoas e entidades que se relaciona e admira. Também acho exagerado o espaço dado ao Chaves (não vejo nenhum problema em citar essa ligação, mas dar tanta ênfase e somente citar essa relação específica - qual o sentido disso? que interesses isso promove?). Porque não se referir também às relações com Paulo Freire ou à admiração às idéias de Gandhi?

Hino da Internacional Socialista.[editar código-fonte]

Ah! E outra coisa: a música hino dos partidos socialistas e comunistas , criada durante a Comuna de Paris ("De Pé, ó vítimas da fome...") chama-se _A Internacional_, e não "Internacional Socialista".

A informação foi colocada conforme foi publicada pela sua fonte original: Agência Brasil. --Carlosar 12:37, 12 Setembro 2005 (UTC)

VDA[editar código-fonte]

Revertido trecho igual a [2]. Lusitana 14:22, 14 Novembro 2005 (UTC)

Texto confuso e exagerado em alguns aspectos[editar código-fonte]

Caros: Parece que o impeto dos que não gostam do MST, do Chaves (não o da TV), dos partidos de esquerda etc. em colocar suas posições aqui chegou ao extremo. O texto ficou todo deformado. Só um exemplo: Depois de muito tempo sem visitar o artigo vejo que colocaram uma seção inteira (e longa) dedicada ao Hugo Chaves. Bom, se eu não conheço bem as coisas acabo achando que o Hugo Chaves tem uma importância fundamental para o MST, ou o inverso. Não misturemos alhos com bugalhos. Artigo do MST é para falar do MST com, no máximo (se é que é necessário), uma breve citação ao apoio que o MST dá a governos de esquerda (não só o Chaves). E isto é só um caso no texto do artigo que está mal. Esta prática de cada um querer colocar a sua visão no artigo leva a tornar o artigo um "Frankenstein" sem pé nem cabeça, quando, na verdade, o texto deve ser útil a quem quer o ler para informar-se. Lamentável! Precisamos reciclar o texto urgentemente. Paz e saúde, Campani discusssão 17:11, 15 Dezembro 2005 (UTC)


Uma coisa é uma coisa...[editar código-fonte]

Uma coisa é validade da causa sem-terra, inquestionável. Mas o MST e os sem-terra não são uma coisa só. São inúmeras as denúncias contra o Movimento vindas dos próprios sem-terra. Essa segunda mesmo foi denunciado um caso de corrupção no Pontal do Paranapanema.

Claro que também não são o diabo, pra justificar os deputados do PFLA a considerar invasão um ato terrorista... --マルク・セナ 02:41, 26 Janeiro 2006 (UTC)

O MST tem como origem diversos movimentos revolucionários de luta pela posse igualitária de terra. Esses movimentos eram dispersos por todo o território brasileiro, especialmente onde as vertentes eram difusas quanto as finalidades de proposta de produção e uso da terra. Nesses lugares havia um terreno fértil para as discussões e embates por divisões de terra. Pode-se citar mais especificamente o sudoeste paranaense, sediado como cidade principal o município de Cascavel, que tem um histórico de lutas ao longo dos anos, sendo um dos poucos lugares onde os pequenos agricultores posseiros tiveram amparo legal, e venceram as grandes exploradoras internacionais, como as concessões que o governo estadual fez a várias colonizadoras européias, e ainda a construtoras de ferrovias da Inglaterra. Em 1984, da fusão de movimentos como MASTREL E MASTERCO, surge em Cascavel o Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra (MST), que com a adesão em massa, e a organização tem rápido crescimento em todo o território nacional.

Seção de críticas[editar código-fonte]

Acabei de recortar um parágrafo panfletário e uma citação sem contexto que alguém tinha posto ao final do artigo. O parágrafo começava dizendo "Não podemos nos esquecer de que o MST mata fazendeiros ..." e não tinha nada a ver com o texto que vinha antes.

Apesar disso, parecer-me-ia uma boa idéia que se separasse as críticas do MST da descrição das suas atividades. Em particular, a questão da violência de algumas das ações do Movimento está pouco aprofundada. Roberto Oliveira 13:12, 11 março 2006 (UTC)

Eu recoloquei a seção: Veja também, pois me parece que ela deva ficar. Edite o artigo de forma a torna-lo menos imparcial. --OS2Warp msg 22:00, 11 Março 2006 (UTC)

Seção Hugo Cháves[editar código-fonte]

A aproximação do MST com o governo chavista é de fato publica, aliás natural para um governo de esquerda e um movimento que luta por igualdade social. A troca de elogios não fica na surdina portanto não há necessidade de fazer um estardalhaço do caso. O que me parece é que a seção foi escrita com intuito de criar um vínculo conspiratório entre ambos.

O MST não depende de Hugo Cháves. Elogia o trabalho que seu governo vem fazendo na Venezuela em democratizar o país, principalmente na questão agrária. Assim como elogiou a atitude do governo bolivariano em proterger suas reservas de gás natural da exploração internacional.

Sugiro que seja retirada toda essa seção para que em seguida seja elaborada uma seção mais detalhada e imparcial sobre as relações internacionais do MST.

Texto Recortado[editar código-fonte]

Acredito que o artigo ainda pareça "recortado" e que a importância dada a Hugo Chávez é extrema. O pior de tudo isso é que vejo pessoas se esforçando em apresentar informações imparciais, e extremistas tentando defender sua opinião. Hoje, 14/11/2006, há um protesto na página (de algum extremista) dizendo que os membros do MST são bandidos. A questão da reforma agrária é controversa, o artigo deve mostrar os fatos, sei que a imparciabilidade é uma utopia, no entanto, é possível mostrar os dois pontos de vista, e convenhamos, nunca será possível agradar a todos. Faço um pedido: aumentem a explanação sobre as bases teóricas do movimento, a exposição das idéias "esquedistas" e "de direita" (sem extremos, do tipo "morte aos sem-terra" ou do tipo "sem-terra pra presidente"). É importante que as pessoas entendam o que o MST deseja, porque existe, e quais são seus acertos e erros. Como todo texto científico, deve simplesmente se ater aos fatos. Vejo uma discussão abrangente sobre a canção "A internacional", a partir do momento que há uma fonte confiável da informação não há mais o que se discutir. Wikis, sejamos disseminadores do conhecimento e não de idéias controversas. O artigo precisa de uma revisão para que se torne algo único, e não opiniões controversas. E mais uma coisa: não proteste em meio ao texto, é como forçar uma pessoa a aceitar a sua opinião. -- Letícia [3] 14/11/2006 22:16

Movimento dos trabalhadores Rurais[editar código-fonte]

Existem milhares de trabalhadores rurais que lutam para obter uma superfície de terra para trabalhar: são os chamados sem terras. De acordo com a lei da Reforma Agrária que está em vigor no país, milhões de hectares de terras improdutivas, pertencentes a latifundiários que não as exploram, deveriam ser distribuídos a pequenos agricultores interessados. No entanto, a distribuição das terras, pelo governo, é muito lenta. Como conseqüência, amplia os conflitos no campo, inclusive com morte.


A última frase.

Alguém acrescentou "Td sem vergonha" ao final do texto. Que ridículo e fácil. o comentário precedente não foi assinado por Fernandoplinio (discussão • contrib.)

Já foi corrigido. Adailton msg 08:24, 21 Maio 2007 (UTC)

Politica na Wikipedia[editar código-fonte]

É perda de tempo artigos politicos, de entidades politicas, ou personalidades politicas na wikipedia, todos sempre serão constestados, todos sempre terão a tag de não-confiáveis, de parciais, bla bla bla, dependendo do ponto de vista de cada editor, o que torna totalmente inútil a existencia destes artigos por aqui, já que ninguém em sã consciencia vá usar estes artigos como referência para coisa nenhuma. São apenas em monte de ridículos sem nenhuma ultilidade academica, nem mesmo de infomação aceitável para o primeiro grau. Todos eles. Sds Machocarioca (discussão) 02h59min de 31 de Maio de 2008 (UTC)

Nova proteção[editar código-fonte]

Reverti para a última edição que parecia ter solucionado o assunto. Solicito que usem a discussão para por favor chegar a um consenso. E peço aos demais administradores que evitem de editar o artigo protegido até se encontrar uma solução. GRS73 msg 02h49min de 4 de Junho de 2008 (UTC)

Vi que reveu sua decisão. Não me oponho. O editor Spoladore concordou com a edição do Machocarioca. Se o OS2Warp não discordar da nova versão, o assunto pode ser dado como resolvido. JSSX uai 13h31min de 4 de Junho de 2008 (UTC)
Vamos encerrar a questão. Lamento que ambos tenham sido envolvidos por esta polêmica. --OS2Warp msg 17h21min de 4 de Junho de 2008 (UTC)
OK. Não precisa se desculpar. JSSX uai 17h24min de 4 de Junho de 2008 (UTC)

Seria até engraçado[editar código-fonte]

Permitem um link externo com título bem claro: "A reforma agrária tem que acabar", apelativo, anti-democrático, maldoso. E, por outro lado excluem dois outros links onde eram exibidos os crimes praticados sob o manto desse "movimento social". Uma triste parcialidade.--Omarcalixto (discussão) 14h29min de 12 de março de 2009 (UTC)

Mais engraçado ainda é alguém cair de para-quedas aqui, só para fazer propaganda de blogs sem qualquer relevância! Estou de olho! Coriakin tlk 19h07min de 12 de março de 2009 (UTC)

Opinioes diversas[editar código-fonte]

Questiono a existencia de um seção 'opiniões diversas' no artigo. O que as opiniões tem a ver com um verbete descritivo do movimento?. Um verbete de enciclopedia descreve um determinado assunto ou determinado personagem, não fica dando opiniões sobre ele. Que tal a seção opinioes diversas para a chegada do homem na lua, o trabalho de Freud, a descoberta do Brasil ou a separação do atomo?. Vou aguardar opinioes sobre isso aqui um tempo, se ninguém se interessar, vou limar a seção toda. MachoCarioca oi 03h34min de 14 de março de 2009 (UTC)

Concordo com a eliminação da seção, mas não de todo o seu conteúdo; existem ali algumas denúncias graves feita pela Veja sobre a instituição, que não podem ser "varridas sob o tapete". RafaAzevedo msg 11h53min de 15 de março de 2009 (UTC)
O titulo do tópico induz a inclusão de texto parcial e precisa ser trocado. O conteúdo precisa apenas de WP:FF. Remover é contra o espírito wiki. Coriakin 10h25min de 16 de março de 2009 (UTC)

Na minha opniao os integrantes do MST sao um bando de vandalos, que só visam o bem próprio muitas vezes prejudicando fazendeiros dignos de suas terras, e dando prejuizos para empresas como a Vale e tambem o Instituto Nacional de Reforma Agrária (Incra) entre muitas outras. É uma vergonha Nacional. 189.7.103.106 (discussão) 20h59min de 9 de maio de 2011 (UTC)

Vergonha é ter gente com mais de 1000 hectares por aí, que além de utilizarem trabalho escravo ou infantil ainda desmatam e não cumprem as leis ambientais. Vergonha é o cara ser latifundiário, não dar a mínima ao seu país, exportar tudo, só pensar no dinheiro e controlar sua monarquia, infiltrando-se na política, comprando votos, ameaçando e até matando os que à ele se opõem. Vergonha é o uso deliberado de pesticidas, a contaminação das nossas águas e do nosso solo, além do descaso e falta de apoio do governo ao pequeno produtor. Isso é vergonha. Ter outra opinião e poder expressá-la é um direito dos que vivem na democracia.

Roberci da Silva, Newton Saulino?[editar código-fonte]

Não sei quem é "Roberci da Silva" ("o Grande") ou Newton Saulino, mas alterei menções ao primeiro personagem e ao histórico de 5.000 a.C. porque me pareceram no mínimo estranhas... comentário não assinado de Pauloacbjr (discussão • contrib) 17h42min de 3 de outubro de 2013 (UTC)

Crimes cometidos pelo MST[editar código-fonte]

Falta um tópico apontando os crimes cometidos pelo MST, incluídos aqui depredações, roubos, atentados contra a vida, assassinatos, sequestros, estupros... Este tipo de informação é divulgado pontualmente pela imprensa mas não se encontra sistematizado na Internet. 138.117.132.1 (discussão) 13h05min de 6 de julho de 2016 (UTC)

@138.117.132.1: X mark.svg Não há erro, apenas falta de informação. Você mesmo pode inseri-la, desde que cite as fontes. --Usien6 D​ C​ E​ F 21h01min de 10 de agosto de 2016 (UTC)
Nesta mesma página de discussão existe a menção de eliminação de links que indicavam crimes cometidos pelo MST. Dizer que "basta fazer" para depois eliminar quando fazem não resolve nem justifica.200.198.213.212 (discussão) 18h48min de 20 de fevereiro de 2018 (UTC)
@200.198.213.212: Não encontrei, aqui, a tal menção. Mas, se houve mesmo alguma desqualificação de referência nesse sentido, presumo que deva ter havido um bom motivo para tal. Vide a política de verificabilidade. Att --Usien6 20h26min de 20 de fevereiro de 2018 (UTC)

Por que o uso de eufemismos?[editar código-fonte]

O termo ocupação é demasiado vago e não dá a precisa noção da ação executada pelo grupo. Substitui parte das menções por um termo que considerei mais apropriado, invasão. Pois, de fato, as ações do MST consistem na invasão de terras públicas e privadas. Minha edição foi apagada por não haver referências a sites confiáveis, mas quando havia o termo anterior, também não vi qualquer link que explicasse porque esse termo seria correto.comentário não assinado de Alexandre174 (discussão • contrib) -- Chronus (discussão) 17h07min de 8 de março de 2017 (UTC) (UTC)

Caro @Alexandre174: Me parece que não leu o sumário de edição que deixei ao desfazer48207448] sua edição. Repito, aqui: "Os assentados não 'tomam' terras do Incra. Recebem-nas de pleno acordo com da legislação brasileira e mediante indenização. Vide CF88, art. 184." Att --Usien6 17h15min de 8 de março de 2017 (UTC)
O sumário de edição mencionado não trata de "ocupações" ou, como seria o caso, invasões, mas de assentamentos, o que é completamente diferente. Não há, portanto, a necessária fundamentação para reverter a edição.138.117.132.1 (discussão) 18h36min de 20 de fevereiro de 2018 (UTC)
@138.117.132.1: A edição revertida trocava o vocábulo "recebem" pelo vocábulo "tomam." Parem de se fazerem de desentendidos, por favor. Att --Usien6 20h19min de 20 de fevereiro de 2018 (UTC)