Discussão:Teologia da Libertação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa




Acho necessário que na introdução se coloque uma síntese do conceito da teologia da libertação, e não só uma retospectiva histórica.


Parcial, Sim![editar código-fonte]

Enquanto pese as análises positivas da Teologia da libertação, se esqueceram os autores desse artigo, que tal ideologia fechou os olhos sistematicamente para os assassinatos praticados por Fidel Castro em Cuba e para os genocídios stalinistas (verO livro negro do comunismo e Leninistas praticados na Antiga União Soviética. A postura libertária da Teologia da libertação e seus adeptos, parece omitir-se em relação a outros crimes contra a humanidade praticados por não-capitalistas, como o genocídio ucraniano holodomor, a eliminação em massa da população combojana, por Pol Pot, ou ainda as questões Birmanesas e Chinesas, onde ambos os governos dos respectivos países são de caráter socialista e genocida.

--Bebeto maya (discussão) 06h49min de 14 de Agosto de 2008 (UTC)

Não há nenhuma relação entre o crescimento da Renovação Carismática e a queda de Teologia da Libertação.

O artigo está TOTALMENTE parcial, por refletir a opiniao de direitistas e mesmo integralistas contra a Teologia da Libertacao. Alguns trechos do artigo parecem ser tirados diretamente da revista VEJA! Creio que seria muito melhor traduzir o material da WIKI Inglesa.

Afirmar que a Teologia da Libertacao incorporou um monte de sincretismos afro etc é absurdo! Quem escreveu isso nao entende nada de Teologia. Nao sei como os moderadores nao viram o abuso de opinioes gratuitas e sem embasamento teologico feito nessa pagina. As referencias devem ser de teologos respeitados (afinal é um topico de Teologia) e nao de comentaristas de jornal ignorantes. Bbjenitez

Caro Bbjenitez, a Wikipédia é uma enciclopédia livre que todos podem editar, desde que respeitem as regras do projeto. Uma regra muito importante, que constitui uma política oficial do projeto, diz respeito à verificabilidade das informações (veja mais informações aqui). A Wikipédia não tem moderadores, de modo que qualquer conteúdo que não esteja apoiado em fontes fiáveis pode ser removido por mim, por você ou por qualquer editor. É muito importante observar que a remoção deve ser devidamente justificada na página de discussão do artigo ou no sumário de edição. Portanto, você mesmo pode remover qualquer conteúdo que não cite fontes fiáveis neste ou em qualquer outro artigo, desde que justifique devidamente a remoção. Py4nf (discussão) 21h41min de 30 de junho de 2013 (UTC)

Que mal lhes pergunte: o que há de parcial no artigo? --Pappires 00:13, 2 Setembro 2005 (UTC)

Achei algo por acaso em Usuário_Discussão:Leinad-Z#Teologia_da_Liberta.C3.A7.C3.A3o --Cachorrinho está latindo lá no fundo do quintal 00:44, 2 Setembro 2005 (UTC)
OK. Mas os trechos ali criticados me parecem ter sido reparados. Se for o caso, não seria interessante remover a marca de parcialidade? Penso que a de esboço, no entanto, deva ficar. --Pappires 02:54, 2 Setembro 2005 (UTC)
O texto linkado acima foi escrito pelo Usuário:LuisGuilherme na minha página (ele esqueceu de assinar). Foram mesmo esses aspectos que o motivaram a colocar o aviso de parcialidade. Eu estava esperando que ele me desse algum retorno a respeito de minhas últimas modificações (o que não ocorreu) Acho que é mesmo hora de retirar o aviso, vou fazer isso. --Leinad-Z 14:35, 3 Setembro 2005 (UTC)
Obrigado por me ouvir e desculpas por não assinar. Está bem melhor. O artigo está curto, não seria melhor colocar uma marca de esboço? --LuisGuilherme 17:42, 7 Janeiro 2006 (UTC)
O Mestre Jesus Cristo ensinou o primeiro caminho da libertação plena pela prática da Caridade, do Perdão (tolerância) para chegar ao conhecimento da Verdade, fatores essenciais na formação do espírito de Justiça. Ainda, Cristo ensinava o Evangelho real para todas as comunidades empobrecidas. Não pediu dinheiro de ninguém, somente recomendava que ajudasse os pobres conforme consta em suas parábolas. E comprometeu-se de sozinho enfrentar a fúria do sinédrio e do império existente na Terra.

Texto por: Jeová Ferreira - Frutal(MG), 23/julho/2009.

Esse Jeova Ferreira é teologo por acaso? Claro que nao, apenas um leigo, com uma visao limitadissima do Evangelho, sem nenhuma profundidade Teologica. Bbjenitez


Gente, num artigo de Teologia, tem que ser citados as opinioes de Teologos famosos, nao de um achismo de leigos politicamente enviesados (à direita, inclusive!) Proponho a reescrita da pagina com material da WIKIPEDIA inglesa Bbjenitez

Acho uma ótima ideia. Veja aqui mais informações sobre como dar o devido crédito ao traduzir textos da Wikipédia em outros idiomas. Py4nf (discussão) 21h41min de 30 de junho de 2013 (UTC)

interessante!!!=[editar código-fonte]

estou lendo um livro sobre isso agora, (marxIsm à luz da bíblia bem interessante, como eles consegue unir religiao e marxismo que façanha nãorautopia 12h14min de 27 de Julho de 2007 (UTC)

introducao mais sucinta[editar código-fonte]

sugiro que o primeiro paragrafo seja mais sucinto e objetivo, a versao em ingles resume muito claramente o conceito... quando li a introducao em portugues fiquei confuso pela convoluta falta de objetividade

A seção "História no mundo" e proposta de exclusão[editar código-fonte]

Estou tentando melhorar essa página e tenho encontrado uma vasta quantidade de conteúdo que escapa completamente ao conhecimento do senso comum, e não tem absolutamente nenhuma referência.

As seções que tem conteúdo não-referenciado, controverso e parcial de maior proeminência são na sua maioria, as subseções da seção "História no mundo". O que tenho observado, especialmente nestas subseções, mas também ao longo de todo o artigo, é que houve uma proposital tentativa de ligar a teologia da libertação e seu pensamento, que se iniciou nos anos 60 do século XX, tendo raízes em algumas obras de poucas décadas antes, através de uma série de publicações católicas, com o pensamento, me desculpem a expressão: "politicamente correto" de toda a história, como se os precursores da teologia da libertação tivessem sido Lutero, Martin Luther King e a resistência ao apartheid, ou como se todos os movimentos que envolvessem de qualquer forma questões de liberdade de expressão, tivessem logicamente desenvolvido essa mesma teologia. E para isso, a seção não oferece nenhuma referência ou prova consistente!

Eu já retirei parte do conteúdo mais abusivo nesse sentido, porém ainda subsiste muito dele no artigo, por isso achei necessário dar explicações aqui. O que me pareceu mais alarmante é, como disse a seção "História no mundo" e suas respectivas subseções, que estão no artigo desde 2009 (basta ver no histórico), ou seja, há mais de 4 anos, e até agora não possuí nenhuma referência, a não ser para uma única frase na introdução da seção, que só diz que a teologia da libertação também se desenvolveu em outras partes do mundo, e deve-se notar é a mesma referência usada na introdução do artigo, não cobrindo mais nada que se desenvolve ali. Muita matéria alarmante está nas seguintes subseções: "Teologia da libertação africana", "Teologia da libertação sul-africana", que não tem simplesmente nenhuma fonte e faz exatamente o que apontei acima, na segunda subseção por exemplo, acontece a ligação entre o apartheid e a teologia da libertação, mais uma vez, sem qualquer fonte desde 2009!

Na subseção "Teologia da libertação árabe" as afirmações são profundamente mais problemáticas, pois fazem uma ligação entre a Primavera Árabe e a teologia da libertação, como se a última tivesse incentivado a primeira de alguma forma, e para isso oferece uma série incrível de 12 referências, todas online. Eu chequei essas fontes, o primeiro site está fora do ar e todos os demais não fazem qualquer ligação entre a "Teologia da libertação árabe" e a Primavera Árabe, sendo na realidade, apenas notícias dos acontecimentos da Primavera Árabe, na qual digo novamente, não há qualquer alusão a essa ligação. Portanto as fantásticas alusões da seção são pura fantasia, e as referências na realidade, não cobrem nenhuma afirmação dela!

A "Teologia da libertação negra nos Estados Unidos", embora faça afirmações menos incríveis, são também problemáticas e mais uma vez não-referenciadas. Segundo ela teriam sido Martin Luther King e Malcolm X os grandes precursores da teologia da libertação (essa afirmação é simplesmente inacreditável: é a mesma tentativa de querer afirmar que todos os líderes em favor dos direitos humanos ao longo da história foram os verdadeiros inventores da teologia da libertação!). A referência que diz que Barack Obama apoia esse movimento, fonte provindo do Instituto Humanitas, que mais uma vez, não cobre a afirmação, desenbocando na página inicial do site Humanitas, sem nenhuma referência ao conteúdo.

Discordo em relacao a deletar o paragrafo que mostra que a TL foi inspirada pelo movimento anti-segrecacionista etc. Sim, existe tanto correlacao temporal quanto motivacao teologica: a TL é uma formulacao mais radical do Evangelho Social da Igreja, e nesse sentido é tributaria e herdeira sim de todos os cristaos que formularam e viveramm o Evangelho Social, em contraste com os cristaos que defenderam o Status Quo e a opressao social. O paragrafo deve ser reescrito, nao deletado Bbjenitez

As restantes subseções "Teologia da libertação da terceira idade", "Diálogo com o Islã" e "Associação Ecumênica de Teólogos do Terceiro Mundo", descrevem alguns movimentos sem qualquer fonte que comprove sua simples existência, como o caso da "teologia da terceira idade" (a referência apenas comprova a quantidade de idosos no Brasil por meio dos dados do IBGE, que não faz qualquer referência, mas uma vez, a teologia da libertação!). Em "Diálogo com o Islã", as afirmações, também incríveis, continuam sem nenhuma fonte, por exemplo: "Ruhollah Khomeini, chegou à Argentina buscando contatos com a Teologia da Libertação através do Prêmio Nobel da Paz e ativista dos Direitos Humanos Adolfo Pérez Esquivel." Porque um acontecimento tão importante não foi noticiado por ninguém?

Diante das supracitadas razões expostas acima, dado que as afirmações não tem referência para seu conteúdo, que é extremamente controverso, que o mesmo está postado na wikipédia desde 2009 e mesmo assim ainda não apresenta fontes até agora, e que é parcial, fica claro que essa matéria é incompatível com as normas da enciclopédia, devendo ser excluído, o que eu, que desejo reformar e reciclar a página farei no seu processo. Kaiser Guilherme II (discussão) 21h43min de 9 de janeiro de 2013 (UTC)


Prezados, para encontrar referencias e fontes, basta ir na versao inglesa do mesmo Topico!!! Bbjenitez

Do que adianta ter teólogo se não é parcial?[editar código-fonte]

O artigo sobre a Teologia da Libertação é um exemplo do que não é neutralidade. Eu, sinceramente, nunca vi um artigo com tanta falta de neutralidade como este aqui na Wikipédia. Na própria introdução você já é levado a críticas negativas a Teologia da Libertação, se a introdução for espaço para crítica negativa então o artigo sobre a RCC devia ser comporto por 80% de introdução calculando os inúmeros críticos que não a apoiam de diferentes Teologias Católicas! Por isso peço, gentilmente, a revisão de alguém mais parcial sobre o tema, pois acredito que nem mesmo eu sou qualificado para tal.

Imparcial

A parte de reabilitação está pouco neutra, bastante confusa, contraditória e não apresenta todos os lados do assunto. A parte que se refere aos opositores da TL não é abordada nessa seção.

Fusão Teologia da Libertação; Lista de teólogos da libertação