Discussão:Teoria musical

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Atenção, precisamos rever este artigo. --Guilherme Lindner 01:44, 16 Outubro 2006 (UTC)

Teoria musical ou Teoria da Música é um conjunto de sistemas para analisar, classificar e compor música e elementos musicais. Uma definição sintética seria: a descrição, em palavras, de elementos musicais e a relação entre a simbologia da música e sua performance prática. Sugiro a modificação do artigo das seguintes formas, para bem completar ou preencher melhor a explicação:


1. Porque não consiste um sistema para analisar música; não caracteriza composição musical; não caracteriza classificação musical; estes três elementos estão contidos na teoria e prática musical, mas não os caracterizam; a frase: “e compor música e elementos musicais” é ambígua e pouco clara.

2.Assim como todas as disciplinas científicas, a teoria musical vem para explicar as combinações sonoras em forma de tratados, leis e dogmas seus fenômenos físicos, humanos, históricos e a sua prática, que foram possível ao homem explicar com estudos, descobertas e argumentos validados por bancas formadas pelos maiores especialista, que assim comprovaram sua autenticidade humanística dentro das artes, estabelecida por Ricciotto Canudo no "Manifesto das Sete Artes" [1], em 1912 (publicado apenas em 1923) como a primeira das setes artes. Estava assim a música como a arte de fazer sons estabelecida como linguagem universal sem excluir suas diferenças culturais dos povos que assim a praticam. (eu acho que assim ficou bom!!!)


Fica mais completo: Teoria musical ou Teoria da Música é o fundamento ou ciência que engloba todos os sistemas dos sons em caráter teórico, ou seja a descrição, de elementos musicais e a relação entre a simbologia da música e sua performance prática. Por extenso, teoria musical pode ser considerada qualquer enunciado, crença, ou concepção de música (Boretz, 1995).

2.Assim como todas as disciplinas científicas, a teoria musical vem para explicar as combinações sonoras em forma de tratados, leis e dogmas à sua prática, seus fenômenos físicos, humanos e históricos que foram possível ao homem explicar com estudos, descobertas e argumentos validados por bancas formadas pelos maiores especialista, que assim comprovaram sua autenticidade humanística dentro das artes, estabelecida por Ricciotto Canudo no "Manifesto das Sete Artes" [1], em 1912 (publicado apenas em 1923) como a primeira das setes artes. Estava assim a música como a arte de fazer sons estabelecida como linguagem universal sem excluir suas diferenças culturais dos povos que assim a praticam. (eu acho que assim ficou bom!!!)


Sugiro eliminar esta citação, pois nada acrescenta ao assunto.

3. Acredito que ficaria absolutamente difícil tentar classificar como no seguinte, de mesmo modo, não compreendo a especificidade desta citação, nem posso ver em que acrescenta neste artigo: “A teoria musical tem um funcionamento ambíguo, tanto descritivo como perceptivo. Tenta-se com isso definir a prática e, posteriormente, a influência.” Se a teoria compreender a percepção, então passa a ser prática. Porque definir “posteriormente, a influência”? que tipo de influência? Que tipo de prática?

Sugiro, novamente, que esta citação seja eliminada para não confundir o leitor, visto que nada acrescenta.

4. Acredito resumir melhor a divisão da teoria musical, simplesmente caracterizando os seus aspectos fundamentais: conceitos de som: altura, intensidade, densidade, timbre, duração, volume; conceitos da música: harmonia, melodia e ritmo. Se colocarmos “ notação, harmonia, melodia, contraponto, ritmo, forma, andamento, técnica composicional, solfejo, percepção e ditado.”, deveríamos colocar também estética, morfologia, história, evolução da música, regência, arranjo, etc, etc. Pois tratam-se de aspectos teóricos ou teórico-práticos. Mesmo assim, é errôneo incluir contraponto, visto que é uma prática melódica; andamento é propriedade da notação (para não dizer do som), onde está a intensidade? Nunca ouvi falar em Técnica composicional: acredito, e com fontes válidas, que a composição engloba o conhecimento da teoria e demais elementos da música. Sugerir técnica composicional seria como dizer que existe uma “técnica mágica” para compor sem o estudo pró´rio da composição (que compreende os elementos de toda música). Ditado é um método usado para educação musical. Solfejo é uma técnica para aprimoramento da interpretação da notação.

Sugiro rever todos os tópicos e ser coerente: ou colocamos todos os termos que a teoria engloba, ou somos sintéticos.

“Nos campos da teoria musical muitos foram os grandes analistas, destacam-se: Schönberg, Rameau, Strauss e Wagner.” 5. Este parágrafo não acrescenta nada, alias, mesmo que acrescentasse seria incompleto e pouco explicativo. Os mais importantes teóricos foram talvez Bach e Beethoven, mas temos que lembrar que todos (quase sem exceção) deram sua contribuição para a música. Mozart criou um sistema, Vivaldi desenvolveu as técnicas que Bach aprimorou, Debussy inovou com o impressionismo, Mario de Andrade fez muito pela música brasileira, e, muitos, muitos, muitos outros...

Sugiro mais uma vez eliminar esta citação, ou simplesmente relacionar que: “O estudo acadêmico da música também é chamado musicologia.”, o que é correto.

Guilherme, concordo com as alterações que você propôs. Me parece que suas sugestões vão melhorar o artigo. Como esse artigo não é editado significativamente há algum tempo não creio que haja qualquer problema em fazer as alterações imediatamente. Caso haja alguma discordância ela pode ser resolvida pontualmente depois. Bom trabalho. Cralizemsg 02:14, 16 Outubro 2006 (UTC)

VDA[editar código-fonte]

O conteúdo VDA existente encontra-se oculto para quem quiser tirar a dúvida, em breve ajudarei a melhorá-lo. Jcegobrain Man made shame 12h54min de 23 de Dezembro de 2008 (UTC)