Disputa energética entre a Rússia e a Bielorrússia de 2007

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Oleoduto de Drujba, que sai da Rússia e cruza a Bielorrússia até outros países europeus.

A disputa energética entre a Rússia e a Bielorrússia de 2007 ocorreu quando a fornecedora estatal russa de gás natural, Gazprom, exigiu um aumento nos preços cobrados pelo gás pagos pela Bielorrússia, tradicional aliado de Moscou e que forma uma união estatal com a Rússia. O conflito se acirrou em 8 de janeiro de 2007, quando a empresa estatal russa Transneft parou de bombear petróleo para o oleoduto de Drujba, que corta a Bielorrússia, porque esta estaria desviando petróleo do duto sem um acordo mútuo.[1][2] Em 10 de janeiro, a Transneft voltou a bombear petróleo para o oleoduto, após a Bielorrússia ter parado de cobrar a tarifa que motivou a interrupção do fornecimento, apesar de mensagens conflitantes das partes que participavam das negociações.[3][4]

O oleoduto de Drujba, o maior do mundo, é responsável pelo fornecimento de cerca de 20% de todo o petróleo da Alemanha,[5] e também abastece a Polônia, Ucrânia, Eslováquia, República Tcheca e Hungria.

Referências

  1. «Russia oil row hits Europe supply». BBC News. 8 de janeiro de 2007. Consultado em 9 de janeiro de 2007 
  2. «Russian oil flows via Belarus halted». Upstreamonline. 8 de janeiro de 2007. Consultado em 9 de janeiro de 2007 
  3. «Belarus Cancels Oil Transit Tax; Druzhba Oil Deliveries Resumed». Global Insight. 11 de janeiro de 2007. Consultado em 1 de janeiro de 2007 
  4. Finn, Peter (11 de janeiro de 2007). «Russia-Belarus Standoff Over Oil Ends, Clearing Way for Accord». Washington Post. Consultado em 11 de janeiro de 2007 
  5. «Belarus steps back from brink». Upstreamonline. 5 de janeiro de 2007. Consultado em 9 de janeiro de 2007