Diss

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Diss, também conhecida nos Estados Unidos como diss track (literalmente traduzida por canção de insatisfação) é uma canção criada com o único propósito de atacar verbalmente e insultar uma pessoa ou um grupo de cantores. Seu uso é frequente no hip hop.[1]

As disses se classificam como hardcore rap e gangsta rap, pela temática e estrutura das canções destacaram agressividade e violência, principalmente a quem são dirigidas.

Estas canções geralmente se iniciam com canções de beef, rivalidades e disputas entre dois ou mais artistas do meio do rap. Entre as principais disses da história estão "The Bridge is Over" de KRS-One, "Hit 'Em Up" de Tupac Shakur, "No Vaseline" de Ice Cube, "King of the Hill" de Westside Connection, "2nd Round Knockout" de Canibus, "Dollaz & Sense" de DJ Quik "Ether" de Nas, "The Warning" e "Quitter" de Eminem, "Takeover" de Jay Z, "Fuck wit Dre Day (And Everybody's Celebratin')" de Dr. Dre, "Real Muthaphuckkin G's" de Eazy-E, "Back Down" de 50 Cent e "99 Problems (Lil Flip Ain't One)" de T.I..[2]

Lista de disses[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Rap's Top 10 Diss Songs». rapfix.mtv.com. Consultado em 2010-12-05 
  2. «FIQL Playlist - Top Ten Rap/Hip-Hop Diss Songs». www.fiql.com. Consultado em 2010-12-05 
Ícone de esboço Este artigo sobre hip hop, integrado ao Projeto Hip hop é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.