Divino Filho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Divino Filho ou Filho do Divino (em latim: Divi Filius) foi um título muito usado pelo filho adotivo de Júlio César, seu sobrinho-neto Otaviano, o futuro imperador Augusto.

Otaviano[editar | editar código-fonte]

Em 1 de janeiro de 42 a.C., quase dois anos após o assassinato de Júlio César em 15 de março de 44 a.C., mas antes da vitória final do Segundo Triunvirato sob os conspiradores que tinham tomado sua vida, o senado romano reconheceu César como uma divindade. Ele foi, portanto, referido como Divino Júlio (Divus Iulius), e seu filho adotivo denominou-se Divino Filho[1][2] (filho de um deificado, filho do deus). A forma mais completa, "Filho do Divino Júlio" (divi Iuli filius) também foi usada.[3]

Otaviano usou o título para avançar sua posição política, finalmente, superando todos os rivais pelo poder dentro do Estado romano.[4] O título foi para Otaviano "um útil instrumento de propaganda", e foi exibido nas moedas que ele emitiu.[5]

Outros imperadores[editar | editar código-fonte]

Desde o próprio Augusto (o título "Augusto" foi oficialmente conferido a Otaviano em 27 a.C.) e alguns outros imperadores romanos divinizados após a morte, o título também foi aplicado a alguns dos sucessores de Augusto: Tibério, Nero, e Domiciano.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Syme, Ronald (2002) [1939]. The Roman Revolution. Oxford: Oxford University Press. p. 202. ISBN 0-19-280320-4 
  2. «'Augustus' Gaius Julius Octavius». Consultado em 21 de novembro de 2015. Arquivado do original em 18 de março de 2016 
  3. «Inscrição em Porta Tiburtina em Rome». Consultado em 21 de novembro de 2015. Arquivado do original em 10 de fevereiro de 2001 
  4. "Ostensivamente rejeitando a divindade por sua própria conta, ele subiu ao poder por via da imagem divina de César" (Augusto, por Pat Southern, p. 63).
  5. Coins of the Emperor Augustus Arquivado em 25 de maio de 2009, no Wayback Machine.; exemplos são uma moeda de 38 a.C. inscrita "Filho do Divino Júlio", e outra de 31 a.C. com a inscrição "Filho do Divino" (Auguste vu par lui-même et par les autres by Juliette Reid Arquivado em 19 de março de 2009, no Wayback Machine.).
  6. «Tae Hun Kim, «The Anarthrous υἱὸς θεοῦ in Mark 15,39 and the Roman Imperial Cult»». Consultado em 21 de novembro de 2015. Arquivado do original em 28 de agosto de 2008