Divinolândia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Divinolândia
Divinolândia-SP - panoramio.jpg

Bandeira de Divinolândia
Brasão de Divinolândia
Bandeira Brasão
Hino
Fundação 30 de dezembro de 1953 (65 anos)
Gentílico divinolandense
Lema Impar caelum terraque gloria
"Terra fértil de céu glorioso"
Prefeito(a) Naief Haddad Neto (PSDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Divinolândia
Localização de Divinolândia em São Paulo
Divinolândia está localizado em: Brasil
Divinolândia
Localização de Divinolândia no Brasil
21° 39' 39" S 46° 44' 20" O21° 39' 39" S 46° 44' 20" O
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária

Campinas IBGE/2017 [1]

Região imediata

São José do Rio Pardo-Mococa IBGE/2017

Municípios limítrofes São José do Rio Pardo, Caconde, São Sebastião da Grama, Poços de Caldas
Distância até a capital 285 km
Características geográficas
Área 222,257 km² [2]
Distritos distrito-sede e Campestrinho [3]
População 11 209 hab. Censo IBGE/2010[4]
Densidade 50,43 hab./km²
Altitude 1058 m
Clima tropical de altitude Cwb
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,788 alto PNUD/2000[5]
PIB R$ 158 577,000 mil IBGE/2009[6]
PIB per capita R$ 13 980,20 IBGE/2009[6]

Divinolândia é um município brasileiro do estado de São Paulo. Localiza-se a uma latitude 21º39'41" sul e a uma longitude 46º44'21" oeste, estando a uma altitude de 1058 metros. Sua população estimada em 2004 era de 12.121 habitantes. O município é formado pela sede e pelo distrito de Campestrinho[7][8].

Antes de tornar-se município, a localidade recebia o nome de Sapecado.

A principal fonte de renda do município se baseia na agricultura, principalmente no cultivo de batata e café.

Devido ao relevo acidentado, conta com muitas cachoeiras e mirantes, sendo o mais famoso de todos o "morro da torre", que se situa a 1380 metros acima do nível do mar, e do qual é possível enxergar Divinolândia e São Sebastião da Grama durante o dia, e várias outras cidades vizinhas a noite, como Vargem Grande do Sul, São José do Rio Pardo, Tapiratiba, Caconde, entre outras.

O município pertenceu a São José do Rio Pardo até conseguir sua emancipação no ano de 1953. O aniversário é comemorado no dia 30 de Dezembro.

Igreja Católica[editar | editar código-fonte]

O município pertence à Diocese de São João da Boa Vista. Existem duas paróquias: Divino Espírito Santo, cuja matriz se localiza no centro do município, e cujo paróco é o Pe. Marcos Antonio Campanhari, e a de Nossa Senhora Aparecida, cujo pároco é o Pe. José João Minussi e cuja matriz se situa no distrito de Campestrinho, abrangindo também os bairros Três Barras, Campo Redondo e Ribeirão do Santo Antônio.

Demografia - censo de 2000[editar | editar código-fonte]

População Total: 12.016

  • Urbana: 6.875
  • Rural: 5.141
  • Homens: 6.136
  • Mulheres: 5.880

Geografia e clima[editar | editar código-fonte]

O relevo é acidentado, devido à posição da cidade, situada na Serra da Mantiqueira. O ponto mais alto do município se situa no bairro Campo Redondo, e é chamado de "Morro do Canelá", cuja altitude é de 1490 metros acima do nível do mar. O clima é ameno, com verões mornos e invernos frescos, com geadas ocorrendo todo ano, especialmente na zona rural, onde o fenômeno acontece várias vezes ao ano devido às altitudes, que lá são maiores.[9]

Dados demográficos[editar | editar código-fonte]

Densidade demográfica (hab./km²): 54,05

Mortalidade infantil até 1 ano (por mil): 11,20

Expectativa de vida (anos): 73,93

Taxa de fecundidade (filhos por mulher): 2,35

Taxa de Alfabetização: 90,08%

Índice de Desenvolvimento Humano (IDH-M): 0,788

  • IDH-M Renda: 0,686
  • IDH-M Longevidade: 0,815
  • IDH-M Educação: 0,862

(Fonte: IPEADATA)

Comunicações[editar | editar código-fonte]

A cidade era atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP)[10], que construiu a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1998 esta empresa foi privatizada e vendida para a Telefônica[11], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[12] para suas operações de telefonia fixa.

Referências

  1. «O recorte das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias de 2017» (PDF). Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 2017. p. 20–34. Consultado em 10 de agosto de 2017 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. IBGE. «Formação administrativa do município». Consultado em 9 de janeiro de 2019 
  4. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  5. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2005-2009». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 14 de dezembro de 2011 
  7. «Municípios e Distritos do Estado de São Paulo» (PDF). IGC - Instituto Geográfico e Cartográfico 
  8. «Divisão Territorial do Brasil». IBGE - Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 
  9. [1]
  10. «Área de atuação da Telesp em São Paulo». Página Oficial da Telesp (arquivada) 
  11. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  12. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]