Doc Rivers

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Doc Rivers
Doc Rivers
Rivers treinando os Clippers em 2013
Informações pessoais
Nome completo Glenn Anton Rivers
Data de nasc. 13 de outubro de 1961 (60 anos)
Local de nasc. Chicago, Illinois,  Estados Unidos
Informações profissionais
Período como jogador 1983–1996 (13 anos)
Posição em que jogava Armador
Número da camisa 25
Altura 6 ft 4 in (1.93 m)
Peso 210 lb (95 kg)
Período como treinador 1999–presente (21 anos)
Clube atual Estados Unidos Philadelphia 76ers
Função Treinador
Clubes de juventude
1980–1983 Estados Unidos Marquette Golden Eagle
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (pontos)
1983–1991
1991–1992
1992–1994
1994–1996
Estados Unidos Atlanta Hawks
Estados Unidos Los Angeles Clippers
Estados Unidos New York Knicks
Estados Unidos San Antonio Spurs
00567 00(7.357)
00059 000(641)
0099 000(766)
00138 000(613)
Seleção nacional
Estados Unidos Estados Unidos
Times que treinou
Anos Clubes Jogos (V - D)
1999–2003
2004–2013
2013–2020
2020–Presente
Estados Unidos Orlando Magic
Estados Unidos Boston Celtics
Estados Unidos Los Angeles Clippers
Estados Unidos Philadelphia 76ers
0339 (171-168)
0721 (416-305)
0564 (356-208)
Conquistas
Campeonatos Mundiais
Prata Colômbia 1982 Equipe

Glenn Anton "Doc" Rivers (nascido em 13 de outubro de 1961) é um americano ex-jogador e técnico de basquete profissional que é o treinador principal do Philadelphia 76ers da National Basketball Association (NBA). Ele jogou como armador na NBA e era conhecido por seu jogo defesa, uma característica que se manteve em seu estilo como treinador. Rivers jogou no All-Star Game da NBA em 1988.

Rivers foi nomeado Treinador do Ano da NBA em 2000 em sua primeira temporada como treinador principal do Orlando Magic. Ele ganhou um título da NBA como técnico do Boston Celtics em 2008.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Rivers estudou na Proviso East High School na área metropolitana de Chicago. Rivers representou os Estados Unidos no Campeonato Mundial de Basquetebol Masculino de 1982, no qual levou a equipe à medalha de prata.

Após sua terceira temporada na Universidade Marquette, Rivers foi selecionado pelo Atlanta Hawks como a 31º escolha geral no Draft da NBA de 1983 pelo Atlanta Hawks.[1] Ele passou as sete temporadas seguintes como titular em Atlanta, auxiliando a estrela Dominique Wilkins enquanto a equipe alcançava grande sucesso na temporada regular. Ele teve uma média de 12.8 pontos e 10.0 assistências na temporada de 1986-87.[2]

Mais tarde, Rivers passou uma temporada como titular do Los Angeles Clippers e mais duas temporadas como titular do New York Knicks, antes de terminar sua carreira como jogador do San Antonio Spurs de 1994 a 1996.

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Orlando Magic (1999–2003)[editar | editar código-fonte]

Rivers começou sua carreira de treinador no Orlando Magic em 1999, onde treinou por mais de quatro temporadas da NBA. Rivers ganhou o prêmio de Treinador do Ano em 2000, após seu primeiro ano com o Magic.[3] Naquela temporada, ele liderou o time para uma vaga nos playoffs.

Durante a onda de gastos do Magic no verão de 2000, Doc Rivers teve a oportunidade de montar um "Big Three", já que o Magic estava cortejando o agente livre Tim Duncan, que esteve perto de assinar com o Magic e formar uma equipe com Grant Hill e Tracy McGrady. No entanto, Duncan voltou a assinar com o San Antonio Spurs devido à política estrita de Rivers de membros da família não serem autorizados a viajar no avião da equipe.[4]

Ele foi para os playoffs em seus próximos três anos como técnico, mas foi demitido em 2003 após um início de temporada de 1-10.[5]

Boston Celtics (2004–2013)[editar | editar código-fonte]

Depois de passar um ano trabalhando como comentarista da NBA na ABC, ele foi contratado pelo Boston Celtics como seu treinador principal em 2004. Durante seus primeiros anos com os Celtics, ele foi criticado por muitos na mídia pelo seu estilo de treinador, mais veementemente por Bill Simmons, que em 2006 pediu publicamente que Rivers fosse despedido em suas colunas.

Como resultado da vitória dos Celtics por 109-93 sobre o New York Knicks em 21 de janeiro de 2008, Rivers, como o técnico do time com a melhor porcentagem de vitórias na Conferência Leste, ganhou a honra de treinar a Conferência Leste no All-Star Game da NBA de 2008 em Nova Orleans.[6] Em 17 de junho de 2008, Rivers venceu seu primeiro título da NBA como treinador principal após derrotar o Los Angeles Lakers em seis jogos.[7]

Rivers levou os Celtics às finais da NBA de 2010, onde mais uma vez enfrentou o Los Angeles Lakers mas dessa vez perdeu a série em sete jogos.

Depois de decidir entre permanecer no emprego ou passar mais tempo com sua família em Orlando, Rivers finalmente decidiu que honraria o último ano de seu contrato e voltaria para a temporada de 2010-11.[8]

Rivers em 2011

Em 13 de maio de 2011, após meses de rumores de que ele se aposentaria, a ESPN informou que o Celtics e o Rivers concordaram em uma extensão de contrato de 5 anos no valor de $ 35 milhões.[9]

Em 6 de fevereiro de 2013, Rivers alcançou sua 400ª vitória com o Celtics em uma vitória por 99–95 sobre o Toronto Raptors.[10]

Los Angeles Clippers (2013–2020)[editar | editar código-fonte]

Em 25 de junho de 2013, o Los Angeles Clippers adquiriu Rivers dos Celtics em troca de uma escolha de primeira rodada de 2015.[11] Em sua primeira temporada como técnico principal, Rivers levou os Clippers a um recorde de 57 vitórias, conquistando a terceira melhor campanha na conferência Oeste. A primeira rodada dos playoffs contra o Golden State Warriors foi marcada quando o TMZ lançou uma fita de áudio contendo comentários racistas feitos pelo então proprietário do Clippers, Donald Sterling. Embora houvesse a possibilidade dos Clippers boicotarem a série, eles continuariam, mantendo um protesto silencioso, deixando suas camisetas na quadra central e obscurecendo o logotipo dos Clippers em suas camisetas de aquecimento. O próprio Rivers afirmou que não voltaria aos Clippers se Sterling permanecesse como seu dono na temporada seguinte. O comissário da NBA, Adam Silver, respondeu à polêmica banindo Sterling para sempre e obrigando-o a vender o time. Depois que a equipe foi vendida para o CEO da Microsoft, Steve Ballmer, por US $ 2 bilhões.[12]

Em 16 de junho de 2014, os Clippers promoveram Rivers a presidente de operações de basquete em conjunto com suas funções contínuas de treinador principal. Embora Dave Wohl tenha sido contratado como gerente geral, Rivers tinha a palavra final em questões de basquete.[13] Em 27 de agosto de 2014, ele assinou um novo contrato de cinco anos com os Clippers.[14]

Em 16 de janeiro de 2015, Rivers se tornou o primeiro treinador da NBA a treinar seu próprio filho, Austin Rivers,[15] até 26 de junho de 2018, quando foi negociado com o Washington Wizards em troca de Marcin Gortat.

Em 4 de agosto de 2017, Rivers renunciou ao cargo de presidente de operações de basquete. No entanto, ele continuou a dividir a responsabilidade pelos assuntos de basquete com o vice-presidente executivo de operações de basquete, Lawrence Frank.[16] Em 23 de maio de 2018, Rivers e os Clippers concordaram com uma extensão do contrato.[17]

Em 31 de maio de 2019, Rivers fez comentários sobre Kawhi Leonard durante uma aparição na ESPN, afirmando que "Ele é o mais parecido com Jordan que já vimos".[18] Os Clippers foram multados em $ 50.000 devido aos comentários de Rivers em violação da regra anti-adulteração da liga.[19]

Na temporada de 2019-20, Rivers conquistou sua 900ª vitória como treinador principal depois que os Clippers venceram em casa o Portland Trail Blazers em 8 de novembro de 2019.[20] Nas seminfinais da Conferência Oeste, os Clippers saltaram para uma vantagem de 3-1 antes de perder por 4-3 para o Denver Nuggets. Rivers se tornou o primeiro treinador na história da NBA com três times que não conseguiram avançar de uma série melhor de sete após assumir uma vantagem de 3-1.[21]

Em 28 de setembro de 2020, Rivers deixou o cargo após a derrota dos Clippers para o Denver Nuggets nas semifinais da conferência. Seu recorde em sete temporadas com a equipe foi de 356-208, mas ele acabou sendo incapaz de levar os Clippers à sua primeira aparição em finais de conferência na história da franquia.[22]

Philadelphia 76ers (2020-Presente)[editar | editar código-fonte]

Em 3 de outubro de 2020, o Philadelphia 76ers anunciou que contratou Rivers como seu treinador principal.[23]

Como os 76ers tiveram um início de 10-5 na temporada de 2020-21, Rivers ganhou sua 945ª vitória na carreira passando Bill Fitch como o 10º maior vencedor de jogo na temporada regular de todos os tempos.[24]

Estatísticas[editar | editar código-fonte]

Como jogador[editar | editar código-fonte]

LEGENDA
 PJ  Partidas jogadas  PI  Partidas iniciadas  MPJ  Minutos por jogo  AP  Arremessos de quadra (%)
 3P  Arremessos de 3 pontos (%)  LL  Lances-livre (%)  RT  Rebotes por jogo  AS  Assistências por jogo
 BR  Roubos de bola por jogo  TO  Tocos por jogo  PPJ  Pontos por jogo  Negrito  Melhor da carreira

Temporada regular[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe PJ PT MPJ AP 3P LL RT AS BR TO PPJ
1983–84 Atlanta 81 47 23.9 .462 .167 .785 2.7 3.9 1.6 .4 9.3
1984–85 Atlanta 69 58 30.8 .476 .417 .770 3.1 5.9 2.4 .8 14.1
1985–86 Atlanta 53 50 29.6 .474 .000 .608 3.1 8.4 2.3 .2 11.5
1986–87 Atlanta 82 82 31.6 .451 .190 .828 3.6 10.0 2.1 .4 12.8
1987–88 Atlanta 80 80 31.3 .453 .273 .758 4.6 9.3 1.8 .5 14.2
1988–89 Atlanta 76 76 32.4 .455 .347 .861 3.8 6.9 2.4 .5 13.6
1989–90 Atlanta 48 44 31.8 .454 .364 .812 4.2 5.5 2.4 .5 12.5
1990–91 Atlanta 79 79 32.7 .435 .336 .844 3.2 4.3 1.9 .6 15.2
1991–92 L.A. Clippers 59 25 28.1 .424 .283 .832 2.5 3.9 1.9 .3 10.9
1992–93 New York 77 45 24.5 .437 .317 .821 2.5 5.3 1.6 .1 7.8
1993–94 New York 19 19 26.3 .433 .365 .636 2.1 5.3 1.3 .3 7.5
1994–95 New York 3 0 15.7 .308 .600 .727 3.0 2.7 1.3 .0 6.3
1994–95 San Antonio 60 0 15.7 .360 .344 .732 1.7 2.6 1.0 .4 5.0
1995–96 San Antonio 78 0 15.8 .372 .343 .750 1.8 1.6 .9 .3 4.0
Carreira 864 605 26.4 .428 .310 .768 2.9 5.3 1.7 .3 10.3
All-Star 1 0 16.0 .500 .455 3.0 6.0 9.0

Playoffs[editar | editar código-fonte]

Ano Equipe PJ PT MPJ AP 3P LL RT AS BR TO PPJ
1984 Atlanta 5 26.0 .500 .000 .878 2.0 3.2 2.4 .8 13.6
1986 Atlanta 9 9 29.1 .435 .500 .738 4.7 8.7 2.0 .0 12.7
1987 Atlanta 8 8 30.6 .383 .000 .500 3.4 11.3 1.1 .4 7.8
1988 Atlanta 12 12 34.1 .511 .318 .907 4.9 9.6 2.1 .2 15.7
1989 Atlanta 5 5 38.2 .386 .316 .708 4.8 6.8 1.4 .4 13.4
1991 Atlanta 5 5 34.6 .469 .091 .895 4.0 3.0 1.0 .4 15.6
1992 L.A. Clippers 5 4 37.4 .446 .500 .815 3.8 4.2 1.2 .0 15.2
1993 New York 15 15 30.5 .453 .355 .767 2.6 5.7 1.9 .1 10.2
1995 San Antonio 15 0 21.2 .389 .370 .839 1.9 1.6 .9 .6 7.8
1996 San Antonio 2 0 10.0 .333 .500 .000 .5 .0 .0 .0 1.5
Carreira 81 58 29.1 .430 .295 .704 3.2 5.4 1.4 .2 11.3

Como treinador[editar | editar código-fonte]

Time Temporada Temporada Regular Playoffs
Jogos Vitórias Derrotas % Classificação Jogos Vitórias Derrotas % Resultado
Orlando 1999–00 82 41 41 .500 4° no Atlântico Não foi para os playoffs
Orlando 2000–01 82 43 39 .524 4° no Atlântico 4 1 3 .250 Eliminado na primeira rodada
Orlando 2001–02 82 44 38 .537 3° no Atlântico 4 1 3 .250 Eliminado na primeira rodada
Orlando 2002–03 82 42 40 .512 4° no Atlântico 7 3 4 .429 Eliminado na primeira rodada
Orlando 2003–04 11 1 10 .091 (demitido)
Boston 2004–05 82 45 37 .549 1° no Atlântico 7 3 4 .429 Eliminado na primeira rodada
Boston 2005–06 82 33 49 .402 3° no Atlântico Não foi para os playoffs
Boston 2006–07 82 24 58 .293 5° no Atlântico Não foi para os playoffs
Boston 2007–08 82 66 16 .805 1° no Atlântico 26 16 10 .615 Campeão da NBA
Boston 2008–09 82 62 20 .756 1° no Atlântico 14 7 7 .500 Eliminado na Semi-Final de Conferência
Boston 2009–10 82 50 32 .610 1° no Atlântico 24 15 9 .625 Perdeu nas Finais da NBA
Boston 2010–11 82 56 26 .683 1° no Atlântico 9 5 4 .556 Eliminado na Semi-Final de Conferência
Boston 2011–12 66 39 27 .591 1° no Atlântico 20 11 9 .550 Eliminado nas Finais de Conferência
Boston 2012–13 81 41 40 .506 3° no Atlântico 6 2 4 .333 Eliminado na primeira rodada
L.A. Clippers 2013–14 82 57 25 .695 1st in Pacific 13 6 7 .462 Eliminado na Semi-Final de Conferência
L.A. Clippers 2014–15 82 56 26 .683 2° no Pacifico 14 7 7 .500 Eliminado na Semi-Final de Conferência
L.A. Clippers 2015–16 82 53 29 .646 2° no Pacifico 6 2 4 .333 Eliminado na primeira rodada
L.A. Clippers 2016–17 82 51 31 .622 2° no Pacifico 7 3 4 .429 Eliminado na primeira rodada
L.A. Clippers 2017–18 82 42 40 .512 2° no Pacifico Não foi para os playoffs
L.A. Clippers 2018–19 82 48 34 .585 2° no Pacifico 6 2 4 .333 Eliminado na primeira rodada
L.A. Clippers 2019–20 72 49 23 .681 2° no Pacifico 13 7 6 .538 Eliminado na Semi-Final de Conferência
Carreira 1.624 943 681 .561 180 91 89 .445

Fonte:[25][26]

Vida pessoal[editar | editar código-fonte]

Rivers é sobrinho do ex-jogador da NBA, Jim Brewer. Ele é casado com sua esposa, Kris, e eles têm quatro filhos. Seu filho mais velho, Jeremiah, jogou basquete na Georgetown University e na Indiana University, e jogou na G-League pelo Maine Red Claws.[27] Sua filha Callie jogava vôlei pela Universidade da Flórida e é casada com o jogador da NBA, Seth Curry,[28] enquanto seu filho mais novo, Austin, atualmente joga pelo New York Knicks. Seu filho mais novo, Spencer, jogou na Universidade da California Irvine.

Rivers é primo do ex-armador da NBA, Byron Irvin, e do ex-jogador da MLB, Ken Singleton.

Rivers recebeu seu apelido de "Doc" pelo então técnico assistente de Marquette, Rick Majerus. Rivers participou de um acampamento de basquete vestindo uma camiseta com o nome de "Dr. J" em homenagem ao jogador do Philadelphia 76ers, Julius Erving. Majerus o chamou de "Doc" e os jogadores do acampamento seguiram o exemplo. A fonte do apelido também foi atribuída ao então técnico de Marquette, Al McGuire.[29] O primeiro jogo de Rivers na NBA foi contra Erving, que se referiu a Rivers como "Doc" e "fez ele se sentir como um milhão de dólares". O locutor dos 76ers, Marc Zumoff, recusou-se a chamar Rivers pelo apelido e, em vez disso, se referiu a ele pelo nome de nascimento ao anunciar seus jogos, uma prática que mudou após a contratação de Rivers pelos Sixers como treinador principal em 2020.[30]

Rivers tem transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, de acordo com um teste de personalidade que fez quando treinava os Celtics.[31]

Rivers é membro do National Advisory Board for Positive Coaching Alliance, uma organização nacional sem fins lucrativos que ajuda estudantes-atletas e seus treinadores.[32]

Referências

  1. «1983 NBA Draft». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  2. «Doc Rivers 1986-87 Game Log». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  3. «NBA & ABA Coach of the Year Award Winners». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  4. Cali, Mike (15 de fevereiro de 2018). «Grant Hill confirms the Tim Duncan/Doc Rivers airplane policy story». Orlando Pinstriped Post (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  5. «2003-04 Orlando Magic Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  6. «NBA.com - Doc Rivers to Coach East in 2008 All-Star Game». web.archive.org. 5 de março de 2009. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  7. Spears, Marc J. (18 de junho de 2008). «Ring it up!». Boston.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  8. «NBA News, Scores, Fantasy Games and Highlights 2020-21 | Yahoo Sports». sports.yahoo.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  9. «Rivers agrees to 5-year extension with Celtics». ESPN.com (em inglês). 13 de maio de 2011. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  10. «Rivers earns 400th career Celtics win». RSN (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  11. «RIVERS HEADED TO L.A.». Los Angeles Clippers (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  12. Patt, Jason (29 de abril de 2014). «Doc won't return to work under Sterling». SBNation.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  13. «CLIPPERS RESTRUCTURE BASKETBALL OPERATIONS DEPARTMENT». Los Angeles Clippers (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  14. «Doc Rivers Agrees to Contract Through 2019 Season». Los Angeles Clippers (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  15. «Doc: Team fit, not family triggered Austin add». ESPN.com (em inglês). 17 de janeiro de 2015. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  16. «Press Release: L.A. Clippers Announce Expansion of Leadership Team Through New Roles for Rivers, Frank». Los Angeles Clippers (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  17. «L.A. Clippers, Doc Rivers, Agree to Contract Extension». Los Angeles Clippers (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  18. «Clippers fined $50K for Rivers' Kawhi comments». ESPN.com (em inglês). 31 de maio de 2019. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  19. «NBA fines Clippers $50,000 for Rivers' comments | NBA.com». www.nba.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  20. «Doc Rivers earns 900th career win as Los Angeles Clippers beat Blazers | Boston.com». www.boston.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  21. «Doc Rivers is the only coach ever to blow three 3-1 series leads». www.msn.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  22. «Doc out as Clips coach after surprising playoff exit». ESPN.com (em inglês). 28 de setembro de 2020. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  23. «Team Names Doc Rivers Head Coach». Philadelphia 76ers (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  24. «Doc Rivers climbs to 10th in career coaching wins | NBA.com». www.nba.com. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  25. «Doc Rivers». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  26. «Doc Rivers Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  27. «Georgetown sophomore guard Rivers to transfer». ESPN.com (em inglês). 7 de maio de 2008. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  28. SFGATE, Katie Dowd (15 de setembro de 2019). «Seth Curry and Callie Rivers wed in Malibu ceremony». SFGATE (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  29. Writer, TOM YANTZ; Courant Staff. «DOC RIVERS OWES HIS NAME TO AL MCGUIRE». courant.com (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  30. «Q&A: Doc Rivers on the future of the Clippers». ESPN.com (em inglês). 16 de maio de 2016. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  31. «How OCD almost ended one NBA player's career before it began». ESPN.com (em inglês). 22 de agosto de 2018. Consultado em 22 de janeiro de 2021 
  32. «Want to learn more about PCA's National Advisory Board?». positivecoach.org (em inglês). Consultado em 22 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Precedido por
Chuck Daly
Treinador do Orlando Magic
1999 – 2003
Sucedido por
Johnny Davis
Precedido por
John Carroll
Treinador do Boston Celtics
2004 — 2013
Sucedido por
Brad Stevens
Precedido por
Vinny Del Negro
Treinador do Los Angeles Clippers
2013 – 2020
Sucedido por

Precedido por
Dražen Dalipagić
Campeonato Mundial de Basquetebol
MVP

1982
Sucedido por
Dražen Petrović