Dodi Al-Fayed

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
"Innocent Victims" (2005), Harrods

Emad El-Din Mohamed Abdel Moneim Fayed (em árabe: عماد الدين محمد عبد المنعم الفايد), mais conhecido como Dodi Fayed, nascido em 15 de abril de 1955 e falecido em 31 de agosto de 1997, foi um produtor cinematográfico e empresário egípcio, melhor conhecido por seu relacionamento com Diana, Princesa de Gales nos anos 90.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Vida familiar[editar | editar código-fonte]

Nascido em Alexandria, Egito, Dodi al-Fayed era o filho mais velho do bilionário egípcio Mohamed Al-Fayed (em árabe: محمد الفايد), dono da loja de departamentos britânica Harrods, do clube de futebol Fulham FC e do Hôtel Ritz Paris. Sua mãe era Samira Kashoggi, irmão do notório comerciante de armas saudita Adnan Khashoggi. Samira e Mohamed se divorciaram antes de 1985, e ela morreu no ano seguinte, vítima de câncer. A segunda esposa de seu pai foi a socialite finlandesa e ex-modelo Heini Wathén, com quem Mohamed teve mais quatro filhos: Jasmine, Karim, Camilla e Omar.

Educação e carreira[editar | editar código-fonte]

Fayed foi educado em Collège Saint Marc antes de ser matriculado no Instituto Le Rosey, na Suíça. Ele foi um graduado da Real Academia Militar de Sandhurst e uma vez serviu como oficial júnior em Londres pelos Emirados Árabes Unidos. Fayed montou uma companhia de produção de filme em 1979 e adquiriu imediatamente sucesso como produtor de Breaking Glass (1980). Em 1981, atuou como produtor executivo ao lado de David Puttnam do filme Chariots of Fire, ganhador do Oscar de Melhor Filme. Dodi ajudou a fazer também os seguintes filmes: The World According to Garp (1982), F/X (1986) e F/X2 (1991).

Trabalhou também como consultor de criação e executivo de séries de televisão, bem como diretor da Harrods. Dodi Al-Fayed foi um produtor executivo para o filme Hook, de 1991, estreando Robin Williams e Dustin Hoffman, bem como para o filme The Scarlet Letter.

Romances[editar | editar código-fonte]

Dodi mudou-se para Hollywood, onde esteve ligado romanticamente com várias mulheres belas e famosas, o que lhe trouxe certa publicidade. Em 1983, Fayed ficou brevemente noivo de Linda Atterzaedh, uma herdeira iraniana. Entre 1984 e 1985, namorou Brooke Shields. A 31 de dezembro de 1986, ele casou-se com a socialite americana Suzanne Gregard, mas eles se divorciaram oito meses depois, continuando bons amigos. Em 1996, antes de começar um caso com a princesa Diana, Dodi namorou Kelly Fisher.

Dodi Fayed conheceu a Princesa de Gales em 1986, durante uma partida de pólo em Guard's Club, Windsor. Ele estava jogando contra o time em que Charles, Príncipe de Gales estava. A relação romântica entre Dodi e Diana tornou-se aparente no verão de 1997, quando eles viajaram pelo Mediterrâneo no iate do pai de Dodi, nomeado Jonikal, causando intensa atenção da mídia. Os príncipes William e Harry estavam a bordo em julho daquele ano e viajaram, juntamente com Diana e Dodi, pelas costas de Saint-Tropez e Sardenha. Na noite de 30 de agosto, o casal chegou a Paris e jantaram no restaurante do Ritz.

De acordo com a autora Kate Snell, entretanto, Diana queria que fotografias suas em companhia de Dodi fossem publicadas para causar ciúmes ao Dr. Hasnat Khan, um cirurgião cardíaco paquistanês, por quem realmente estaria apaixonada.

Morte[editar | editar código-fonte]

Na madrugada do dia 31 de agosto de 1997, o carro que os transportava, seguido por paparazzi e com destino ao apartamento de Dodi, bateu fortemente numa pilastra do túnel da Ponte de l'Alma, em Paris, França. Fayed e o motorista Henri Paul, que segundo investigadores franceses e britânicos estava embriagado e drogado, morreram na hora. Seriamente feridos, Diana e o guarda-costas Trevor Rees-Jones foram levados às pressas para o hospital, mas a princesa não sobreviveu e foi dada como morta às 4 da madrugada.

O corpo de Dodi Fayed foi trazido de volta à Inglaterra no helicóptero da família Fayed e, depois de um serviço na mesquita do Regent Park, foi enterrado no Cemitério de Brookwood, perto de Woking, Surrey, porque uma lei muçulmana diz que a pessoa deve ser enterrada dentro de 24 horas após sua morte. Seu corpo foi transportado posteriormente para a propriedade dos Fayed na Escócia.

Mohamed Al-Fayed ergueu um memorial a Dodi e a Diana em Harrods no dia 12 de abril de 1998 e um segundo, mais grandioso, em 2005.


Ligações externas[editar | editar código-fonte]