Dolores del Río

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Dolores del Río
Dolores del Río em 1947
Nome completo María de los Dolores Asúnsolo López-Negrete
Nascimento 3 de agosto de 1904
Victoria de Durango, Durango, México
Morte 11 de abril de 1983 (78 anos)
Newport Beach, Califórnia, Estados Unidos
Ocupação Atriz
Atividade 1925 - 1978
Cônjuge Jaime Martínez del Río (m. 1921 - 1929)
Cedric Gibbons (m. 1930 - 1940)
Lewis Riley (m. 1959 - 1983)
Dolores del Río em 1935

Dolores del Río, nome artístico de María de los Dolores Asúnsolo López-Negrete (Victoria de Durango, 3 de agosto de 1904Newport Beach, 11 de abril de 1983), foi uma atriz mexicana. Sua carreira de mais de cinquenta anos deu-lhe grande reconhecimento internacional, sendo considerada a primeira estrela latino-americana em Hollywood[1][2][3] com uma destacada participação no cinema estadunidense nos anos 1920 e 1930. Também é considerada uma das mais importantes atrizes da era de ouro do cinema mexicano nos anos 1940 e 1950.[4]

Dolores del Río também é lembrada como um dos rostos mais belos do cinema daquela época.[5]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Foi educada no Convento de São José, no México, e por sua bela voz, foi mandada, por seus pais, para aprender canto em Paris e depois para Madrid. Iniciou no cinema em 1925 (cinema mudo), alcançando a popularidade devido ao seu fascínio e a sua vigorosa personalidade.

Ela foi a precursora do uso de maiô de duas peças no cinema, em 1933, no primeiro filme estrelado por Fred Astaire. Mas a atriz reclamava que os produtores e diretores norte-americanos não lhe davam papéis interessantes e que só ao voltar para o México no final da década de 1940, teve suas melhores oportunidades.

Era de uma beleza notória e mesmo aos setenta anos, não tinha rugas. Sua pele lisa e o brilho dos cabelos sempre causaram inveja às grandes estrelas de Hollywood. Dizia que o segredo de sua juventude era dormir de 10 a 12 horas por dia, não tomar álcool, não comer alimentos gordurosos e uma vez por semana alimentar-se apenas de cenouras, suco de laranja e limão.

Em 1946, já no México ela realizou seu maior sucesso no cinema, "Maria Candelária" que recebeu o prêmio de melhor filme no Festival de Cannes.

Foi uma mulher muito rica e culta, casando-se três vezes; não quis ter filhos por causa do trabalho.

Filmografia[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. Hall, Linda (2013). Dolores del Río: Beauty in Light and Shade. [S.l.]: Stanford University Press. p. 3. ISBN 9780804786218 Film International: The First Latina to Conquer Hollywood Arquivado em 2014-06-25 no Wayback Machine., Filmint.nu; accessed July 19, 2016.
  2. The Face of Deco: Dolores Del Rio Arquivado em 2016-01-07 no Wayback Machine., Screendeco.wordpress.com, May 18, 2012.
  3. Dolores del Río biodata Arquivado em 2015-07-26 no Wayback Machine., TCM.com; accessed July 19, 2016.
  4. Zolov, Eric (2015). Iconic Mexico: An Encyclopedia from Acapulco to Zócalo. New York: ABC-CLIO. p. 260. ISBN 9781610690447. Consultado em 28 de março de 2016. Cópia arquivada em 19 de agosto de 2017 
  5. «Overview for Dolores Del Rio». Turner Classic Movies. Cópia arquivada em 26 de julho de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Dolores del Río
Ícone de esboço Este artigo sobre um ator ou atriz de cinema é um esboço relacionado ao projeto entretenimento. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.