Domingão do Faustão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Domingão do Faustão
Logotipo do programa
Informação geral
Formato Programa de auditório
Gênero Humor, Variedades, Comédia
Duração Variável
Criador(es) Detto Costa
Augusto César Vanucci
Boninho
Maurício Nunnes
e outros
País de origem  Brasil
Produção
Diretor(es) Jayme Praça
Ieié Marcondes
Beto Silva
Cris Gomes
Henrique Matias
Aldo Picini
Apresentador(es) Fausto Silva
Narrador(es) Dirceu Rabello
Elenco Fausto Silva
Bailarinas do Faustão
Tema de abertura Do Tempo Que... - Michael Sullivan e Paulo Massadas (1989-1991)
Instrumental (1991-2011/2017-presente)
Cantada (2012-2017)
Tema de encerramento Instrumental
Exibição
Emissora de televisão original Rede Globo
Formato de exibição 480i (1989-2009)
1080i (2009-)
Transmissão original 26 de março de 1989 (28 anos) - presente
Cronologia
Programas relacionados Perdidos na Noite

Domingão do Faustão é um programa de auditório brasileiro dominical da Rede Globo. O programa está no ar desde 1989, sendo um dos programas mais antigos da emissora, e desde então é comandado por Fausto Silva, mais conhecido como "Faustão".

Tinha, inicialmente, direção de criação e artística de Augusto Cesar Vanucci e direção geral de Detto Costa. Já passaram pela direção de produção Marcelo Paranhos, Carlos Henrique de Cerqueira Leite, Aluísio Augusto e Jayme Praça. Atualmente, tem direção geral de Jayme Praça e gerência de produção de Roberto Ribeiro Costa.

História[editar | editar código-fonte]

O início (1989-1996)[editar | editar código-fonte]

O apresentador do programa, Faustão. Em foto antiga, antes do processo de redução estomacal.

O Domingão do Faustão estreou na Rede Globo no dia 26 de março de 1989 precisamente às 14h55min, num domingo de Páscoa, comandado por Fausto Silva, recém-saído da Rede Bandeirantes. O programa foi criado para frear a audiência do Programa Silvio Santos (SBT), até então líder de audiência nas tardes de domingo, cumprindo o objetivo em pouco tempo.

Desde seu início, o programa contava com uma banda musical que toca ao vivo e um grupo de dançarinas, na Academia do Faustão. Há também entrevistas com atores da emissora e cantores, assim como atrações populares em vários quadros. Ao fim, ia ao ar as tradicionais vídeo-cassetadas.

Por questões contratuais, a geração do programa se dividia entre a Cidade do Rio de Janeiro e a Cidade de São Paulo, assim facilitando o recebimento de convidados ilustres que residiam em ambas as cidades. Mas a partir de janeiro de 2015 o Domingão passou a ser gerado somente de São Paulo a pedido de Faustão.

Até 1993, o programa terminava às 19h e, a partir de então, passou a ter uma hora a mais de duração devido à extinção do Festival Os Trapalhões.

Em 1995, foi criado o quadro Melhores do Ano, que premiava os artistas que fizeram mais sucesso na teledramaturgia, jornalismo, comédia, música e esportes na Rede Globo. Até 2002, os vencedores eram escolhidos por funcionários da própria emissora, mas a partir de então os mesmos passam a escolher três finalistas. Além disso, os mesmos são submetidos à votação do público, que escolhe o vencedor de cada categoria.

Problemas de audiência e reação (1997-2001)[editar | editar código-fonte]

O ex-músico do programa, Caçulinha.

Em 1997, a audiência do programa passou a ser ameaçada pelo Domingo Legal (SBT), apresentado por Gugu Liberato, chegando inclusive a perder a liderança em outubro. Nos anos seguintes, a disputa passou a empatar e monopolizar a audiência entre ambos os programas, com até 60% contra as outras redes.

No início dos anos 2000, Gugu tomou a liderança absoluta do programa, rareando cada vez mais as lideranças da Globo, fazendo com que a emissora começasse a intervir no programa que não apresentava mudanças desde sua estreia: tentaram programa gravado, mas tanto a imprensa como a opinião pública criticaram duramente o programa.

Depois da queda de audiência durante o fim dos anos 90 e início dos anos 2000, o programa começou a reagir aos poucos com suas mudanças. Porém, outras emissoras começam a dificultar a audiência da dupla Faustão-Gugu, exibindo filmes e esportes. Mas o Domingo Legal se envolveu em um escândalo em 2003 quando levou ao ar uma entrevista forjada com a facção PCC, e o programa da Globo e o recém-criado Pânico na TV, da RedeTV!, foram favorecidos.

De volta à liderança (2002-2009)[editar | editar código-fonte]

A partir de 2004, o Domingão do Faustão demonstrou várias vitórias seguidas contra o Domingo Legal, que chegou a ser ameaçado apenas pela RedeTV! (com o Pânico na TV) e a Band (com o futebol).

Em 2008, um especial marcando as mil exibições do programa foi levado ao ar e mereceu destaque na Revista Veja.[1] Em 2009, o programa completou 20 anos com a realização da premiação dos Melhores do Ano 2008 (propositalmente adiada). Além da premiação, foram anunciadas novidades na programação da emissora. Em dezembro, Adriana Colin (responsável pelo merchandising), Caçulinha (diretor musical da banda) e Lucimara Parisi (diretora do programa) deixaram o programa por conta da não renovação de seus respectivos contratos.

Perda de audiência (2010-2017)[editar | editar código-fonte]

Em 2010, os programas Domingo Espetacular (Record) e Programa do Gugu (Record) representaram uma nova ameaça para o Domingão do Faustão, que chegou a ser derrotado em várias regiões brasileiras, em destaque na Grande SP (a medição do IBOPE na Grande SP é a principal referência no mercado publicitário). Gugu voltava a ameaçar Faustão.

Em 2011, o Domingão marcou média de apenas 10 pontos no IBOPE Media Information na Grande SP. Em alguns momentos do dia, Faustão chega a perder para Record e SBT.[2][3]

No dia 17 de abril de 2016, pelo primeiro domingo desde a estreia, o programa não foi exibido, em função da votação da admissibilidade do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.[4]

Quadros[editar | editar código-fonte]

Atuais[editar | editar código-fonte]

  • A Capella
  • Arquivo Confidencial
  • Cachorrada Vip
  • Dança da Galera
  • Dança dos Famosos
  • Dancinha dos Famosos
  • De Cara com a Fera
  • Desafio do Faustão
  • Divã do Faustão
  • Ding Dong
  • Domingão Aventura
  • Entregação
  • Eu Acho
  • Galeria de Famosos
  • Garotada & Cachorrada
  • Giro Domingão
  • Os Iluminados (por temporada)
  • Maratoma
  • Melhores do Ano (uma vez por ano)
  • Na Boca da Galera
  • Pizza do Faustão (esporádico)
  • Primeira Vez
  • Que Fim Levou?
  • Quem Chega Lá?
  • Quem é?
  • Quem está mentindo?
  • Se Liga no Telão
  • Se Vira nos 30
  • Show dos Famosos
  • Tem Gente Atrás
  • Tô a Fim de Saber
  • Troféu Mário Lago (uma vez por ano)
  • Truque Vip
  • Video Cassetadas

Dancinha dos Famosos[editar | editar código-fonte]

Dancinha dos Famosos é um quadro exibido pelo Domingão do Faustão, sendo uma versão infantil de Dança dos Famosos. Várias celebridades mirins competem por meio da dança de salão. Eles se apresentam para uma banca geralmente composta por 4 jurados, onde 3 deles fazem parte do júri artístico, e 1 do júri técnico. A plateia do programa e os telespectadores também podem votar, avaliando cada casal.

A versão não tem eliminação, funciona por meio de acúmulo de pontos.

Temporadas[editar | editar código-fonte]

Edição Estreia Vencedor Outros participantes Número de Participantes
1 11 de Outubro de 2015 Mel Maia JP RufinoKadu Schons • Luana Marquezine • Mel Maia • Sabrina Nonata • Vitor Figueiredo 6
2 1 de Janeiro de 2017 Xande Valois Gabriel Palhares • Gabriella Saraivah • Leticia Braga • Nathália Costa • Raffael Pietro • Xande Valois 6

Extintos[editar | editar código-fonte]

  • Aguenta Coração
  • A Voz da Profissão
  • Controle Remoto
  • Dança das Crianças (2007-2009)
  • Dança no Gelo
  • De Cara no Muro
  • Garagem do Faustão
  • Invasão de Privacidade
  • Jogo da Velha
  • Jogo dos 10
  • Mano a Mano
  • Olimpíadas do Faustão (1989-1998)
  • O Melhor do Circo
  • Pegadinhas do Faustão (1989-1999/2001-2002)
  • Ralação
  • Sexolândia (1989-1996)
  • Sufoco (1999-2000)
  • Videokê

Melhores do Ano[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Melhores do Ano

Audiência[editar | editar código-fonte]

Na época da estreia do programa, o Programa Silvio Santos, apresentado pelo proprietário do SBT, ultrapassava os 60 pontos em algumas afiliadas do SBT nas tarde e noite de domingo. Em poucos meses, Faustão consegue frear Silvio Santos e lhe toma a liderança.

Oito anos na liderança absoluta se passaram e o Domingo Legal, em formato semelhante, começou a incomodar Faustão e em pouco tempo fez a Globo devolver a liderança das tarde e noite de domingo ao SBT. Ao mesmo tempo que a Globo era vice, Record e Band mudam a programação e diminuem a audiência da dupla Faustão-Gugu em menos de 50 pontos.

No início dos anos 2000, Faustão e Gugu dividem a audiência mas não a mesma que tinham nos últimos anos. Porém, na segunda metade dos anos 2000, com o declínio do Domingo Legal e a ascensão da RedeTV!, o programa conquistou novamente a até então impossível liderança dos domingos. O SBT não pôde mais reivindicar a liderança das tardes e noites de domingo, mas Gugu sim: trocou o SBT pela Record e, junto ao Domingo Espetacular, voltou a incomodar Faustão, que mesmo líder não tinha o potencial da primeira metade dos anos 90.

Controvérsias[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de setembro de 1996, o programa exibiu por 37 minutos o caso do órfão Rafael Pereira dos Santos, portador da síndrome de Seckel — que causa uma forma aguda de nanismo primordial. Exibido como uma aberração, seria ridicularizado pelo apresentador e por integrantes do grupo humorístico Café com Bobagem, por conta de sua aparência física (possuía apenas 87 centímetros de altura, 8 quilos e idade mental de uma criança de 3 anos, embora tivesse 15 anos de idade), tendo inclusive sido obrigado a imitar o cantor Latino, presente no referido programa (recebendo a alcunha de Latininho, dada pelo apresentador Fausto Silva)[5]. O caso levantou o IBOPE do programa, chegando a alcançar 30 pontos de audiência (enquanto que o seu principal concorrente, o Domingo Legal, possuía apenas 16 pontos). O programa causou muita polêmica e protestos por parte da mídia e do Juizado de Menores do Rio de Janeiro, a ponto do então vice-presidente de operações da Rede Globo, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, emitir um memorando interno (escrito a mão momentos após ter assistido em sua casa a exibição do programa) proibindo exibições de quadros ou programas que apresentassem atos de baixaria, sensacionalismo ou que ferissem o chamado Padrão Globo de Qualidade. Em 2001, a emissora seria condenada pela justiça a indenizar Rafael em R$ 1 milhão.[6][7]

Em 26 de outubro de 1997, para tentar desbancar o Domingo Legal, o programa estreou o polêmico "Sushi Erótico" — comida japonesa servida sobre o corpo de uma modelo japonesa nua — e acabou provocando inúmeros protestos dos telespectadores e até do Governo Federal. Após isso, outras emissoras aproveitaram o fato e passaram a exibir outras atrações para ganhar audiência no horário nobre.[8]

Em julho de 1998, Faustão e a Globo foram condenados pela desembargadora Áurea Pimentel Pereira, da 7ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro, a pagarem uma indenização no valor de R$50.000 ao operador de câmera Ivanildo Raimundo da Silva, conhecido pelas gozações que sofria, sendo chamado de "o homem que não sorri". Após ser demitido em fevereiro de 1995, Ivanildo entrou com um processo pedindo uma indenização de R$1.000.000 por perdas e danos morais e materiais decorrentes pelas humilhações. A desembargadora determinou que a Procuradoria Geral do Estado analise os possíveis excessos no programa, que considera como "baixo nível moral que impera no programa". Ivanildo chegou a anunciar que iria recorrer por considerar a quantia determinada irrisória,[9] mas segundo jornais e revistas da época, aceitou a quantia da indenização.

Uma entrevista do cantor Belo exibida em 25 de agosto de 2002 causou polêmica por conta do apresentador Faustão defender o cantor das acusações de envolvimento com o tráfico de drogas no Rio de Janeiro. Após a exibição do programa, o Fantástico exibiu reportagem onde apresentava mais provas contra Belo (incluindo áudios de ligações telefônicas obtidos pela polícia), de forma que sua defesa ficaria insustentável. Posteriormente o apresentador admitiu que errou ao defender o cantor.[10]

Em 27 de agosto de 2006, durante a exibição da Dança no Gelo, o casseta Marcelo Madureira, um dos jurados do quadro, deu nota 5 para todos os participantes. No domingo seguinte, após críticas, Madureira emitiu uma nota, esclarecendo o que aconteceu, pediu desculpas e afirmou que no dia em questão, estava tentando fazer um personagem feliz, o que não deu certo[11].

Em 5 de fevereiro de 2012, comentando o suposto estupro no programa Big Brother Brasil 12, Faustão defendeu o direito do ex-participante Daniel, o acusado por ter cometido tal ato, de se defender, dando sua versão em seu Domingão, e de, com isso, fazer com que o público decidisse se o brother voltaria ou não à casa[12]. Contudo, o apresentador acabou batendo de frente nos bastidores, pois colocou novamente à tona um assunto que já caía no esquecimento. Via Twitter, o diretor do reality show, Boninho, rebateu Fausto Silva, afirmando que o responsável pelo programa dominical vespertino da Rede Globo"não cuida do BBB"[13].

Em 3 de março de 2013, durante a entrega do prêmio Melhores do Ano, promovido por seu programa, o apresentador criticou os atores Marcos Caruso e Eliane Giardini no ar, sem ao menos se dar conta do motivo da ausência da dupla, indicada à premiação. Tal atitude deixou o alto escalão global indignado[14]. No ano seguinte o apresentador, reconheceu que errou, e pediu desculpas para os atores.[15]

Em 30 de março de 2014, a EX-BBB Tatiele Polyana, participou do programa e se estranhou com o apresentador, após afirmar ter recebido várias propostas de trabalho, mas que se nada desse certo, ela iria virar bailarina do programa. Visivelmente irritado, Faustão rebateu o comentário e disse que ela já estava velha para isso e disparou: "Para ser bailarina, precisa começar desde cedo. Olha, não é assim, não. As bailarinas tem que estudar bastante". A repórter e ex-bailarina do programa, Carol Nakamura, concordou com o apresentador e ressaltou: "Eu tinha dito que gostava tanto de você. A gente estuda muito, ensaia muito. Para se formar, são nove anos". Tatiele rebateu: "Não, eu sei. Mas eu estudei. Fiz jazz e tal". Assim que Tatiele deixou o palco, Faustão disse: "ela pode estar nervosa, mas ser bailarina não é mole, não". Depois de apresentar um outro quadro, Faustão ainda voltou no assunto, inconformado: "Aí a outra vem aqui e fala das bailarinas. Elas dançam 4 horas e ensaiam 5 dias por semana"[16].

Em 16 de agosto de 2015, no Arquivo Confidencial, em uma homenagem ao ator Caio Castro, foi revelado que ele dançou valsa com uma adolescente de 15 anos com câncer, que havia falecido por causa da doença na sexta-feira anterior ao programa (14). Isso gerou inúmeras críticas por parte da mídia, supondo que o programa quisesse dar audiência por causa da morte da garota. Pouco tempo depois, Caio desmentiu o constrangimento.[17]

Em 6 de março de 2016, em uma participação de Rodrigo Santoro no programa, Faustão citou a atriz Renée de Vielmond, em um trabalho que fizeram juntos, alegando que a atriz havia falecido e deixou saudades. Entretanto, Renée está viva, o que gerou inúmeras controvérsias na mídia. Pouco depois, o apresentador corrigiu o erro.[18]

Em 24 de abril de 2016, no quadro Ding Dong durante a conversa com a atriz Yanna Lavigne, Fausto trocou o ano da novela Salve Jorge, que Yanna se apresentou, de 2012 para 2002. No mesmo dia, é anunciada a saída de Carol Nakamura do programa para a mesma se dedicar à carreira de atriz.[19]

No dia 1 de maio de 2016, Nakamura reaparece no programa no quadro Ding Dong, mesmo após ter o deixado no último domingo. O ocorrido foi que o quadro havia sido gravado antes de sua saída do dominical, causando a confusão.[20] No mesmo dia, é anunciado que Faustão veta a presença do apresentador Rafael Cortez no programa, devido às suas piadas no domingo anterior, no quadro Ding Dong.[21] Ainda no mesmo dia, Bruno de Luca é dispensado após trabalhar como repórter por apenas 2 meses. Segundo a Central Globo de Comunicação, o contrato do rapaz era de apenas 60 dias.[22]

No dia 22 de maio de 2016, o ator Rafael Vitti, no quadro Truque Vip, estrelou um truque de escapismo com espadas, onde foi amarrado em uma cama e precisava se soltar antes de espadas caírem sobre ele. Acontece que uma das bailarinas tropeçou na estrutura, acionando a parte superior onde estavam as lâminas. Uma das espadas acabou caindo antes do esperado e quase o feriu. Diante do ocorrido, Faustão pediu que o quadro fosse menos perigoso dali em diante.[23]

Em 19 de junho de 2016, o programa enfrentou alguns problemas técnicos no quadro Iluminados. Na primeira música do quadro, no qual seis cantores disputam a preferência do público e dos jurados cantando diferentes trechos de uma mesma canção, o som da música "Bang", de Anitta, parou, e uma participante, confusa, não cantou: "A Aline está fora da votação porque ela não pode ser prejudicada por uma falha no som. Perguntei e falaram que deu problema no sistema. Tudo hoje em dia é problema no sistema", disse Faustão. A segunda questão foi a iluminação. Irritado, Fausto disse que já se acidentou no palco: "Eu já caí uma vez nessa porra aqui. Parece 'cassetada'. Brincadeira isso aqui." [24] Ainda no mesmo dia, o apresentador causou polêmica ao defender a operação Lava-Jato e criticar cotas para estudantes.[25]

Em 25 de setembro de 2016, Faustão critica a proposta do Governo Temer de excluir a obrigatoriedade de educação física e artes no Ensino Médio. O apresentador disse: "A educação física os caras iam tirar. Essa porra desse governo nem começou, não sabe se comunicar e já faz a reforma sem consultar ninguém", "Então, o país que mais precisa de educação faz uma reforma com cinco gatos pingados que não entende porra nenhuma, que não consulta ninguém e aí, de repente, tira a educação física, que é fundamental na formação do cidadão", disse. "Aí, quando você percebe, um país como esse, que tem uma saúde de quinta [categoria], não tem segurança, não tem emprego, não tem respeito a profissões básicas. O país que não respeita professor, pessoal da polícia e pessoal da área de saúde e um país que não oferece o mínimo ao seu cidadãos." O Ministério da Educação não se pronunciou sobre o desabafo de Fausto Silva.[26]

Denúncias[editar | editar código-fonte]

Em 2003 o programa entrou na lista da campanha "Quem Financia a Baixaria é Contra a Cidadania", que é formada por denúncias de telespectadores e pelo Comitê de Acompanhamento da Programação (CAP), onde estão como representantes mais de 60 entidades que assessoram a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados para criar o "Ranking da Baixaria na TV".[27] As principais queixas da população que formaram a lista, era de apelo sexual, incitação à violência, exposição das pessoas ao ridículo e discriminação.[28]

Prêmios e Indicações[editar | editar código-fonte]

Ano Prêmio Categoria Indicado Resultado Ref.
2016 Troféu Internet Programa de Auditório Domingão do Faustão Indicado [29]
2017 Troféu Internet Indicado

Referências

  1. «Mil domingos brasileiros». Veja. 21 de maio de 2008 
  2. «Gugu lidera e bate Faustão de ponta a ponta». O Fuxico. 12 de dezembro de 2011 
  3. «Audiência: Gugu vence Faustão de ponta a ponta pela primeira vez no ano». O Dia Online. 12 de dezembro de 2011 
  4. F5 (17 de abril de 2016). «Internautas se dividem entre saudades e alívio em domingo sem Faustão». Folha de S.Paulo. Consultado em 18 de abril de 2016 
  5. «Família se diz arrependida da apresentação». Folha de S. Paulo. 13 de setembro de 1996. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  6. O Estado de S. Paulo (30 de outubro de 2001). «Globo é condenada a indenizar "Latininho"». Consultado em 16 de janeiro de 2012 
  7. Revista Veja (18 de setembro de 1996). «O circo na TV». edição 1462 - Página 122. Consultado em 16 de janeiro de 2012 
  8. «Faustão e Gugu admitem excessos». Folha de S. Paulo. 29 de outubro de 1997. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  9. «Fausto Silva condenado pela justiça». TV Crítica (no GeoCities). 6 de julho de 1998. Consultado em 3 de abril de 2011 
  10. «Tropeção do Faustão». Veja Online. 28 de agosto de 2002. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  11. «Marcelo Madureira não leva a sério o júri da "Dança no Gelo"». Terra. 27 de agosto de 2006. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  12. «Faustão convida Daniel do "BBB12" para dar sua versão ao vivo sobre suspeita de estupro». UOL. 5 de fevereiro de 2012. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  13. «Boninho rebate Faustão sobre volta do ex-BBB Daniel». R7. 5 de fevereiro de 2012. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  14. Mauricio Stycer (3 de março de 2013). «Faustão foi deselegante com Marcos Caruso e Eliane Giardini em "festa da firma"». UOL. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  15. Mauricio Stycer (18 de março de 2014). «m ano depois, Faustão pede desculpas a Eliane Giardini e Marcos Caruso». UOL. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  16. «Faustão e Tatiele se estranham ao vivo; via Twitter, ex-BBB se explica». UOL. 30 de março de 2014. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  17. «Caio Castro passa por constrangimento no 'Domingão do Faustão'». O Dia. 16 de agosto de 2015. Consultado em 30 de setembro de 2017 
  18. «Faustão "mata" Renée de Vielmond ao vivo» 
  19. «Carol Nakamura chora ao deixar o "Domingão" para fazer novela: "Farei o meu melhor"» 
  20. «Após demissão, Carol Nakamura reaparece em "Domingão" gravado e confunde fãs: "Aviso prévio?"» 
  21. «Faustão veta presença de Rafael Cortez no "Domingão"» 
  22. «Após dois meses, Bruno de Luca é dispensado do "Domingão do Faustão"» 
  23. «Faustão pede 'Truque Vip' menos arriscado após Rafael Vitti escapar de acidente» 
  24. «Faustão se irrita com falhas técnicas de 'Os Iluminados' e diz palavrão ao vivo» 
  25. «Faustão elogia Lava Jato e critica cotas no "Domingão"» 
  26. «Faustão xinga, ataca gestão Temer e critica reforma na educação» 
  27. Patricia Roedel (9 de outubro de 2007). «Big Brother lidera 13º ranking da baixaria na TV». observatoriodaimprensa.com.br. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  28. «"Kubanacan" lidera ranking da baixaria na TV - Cultura - Estadão». cultura.estadao.com.br. 17 de novembro de 2003. Consultado em 3 de novembro de 2016 
  29. «Conheça os ganhadores do Troféu Imprensa 2016» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]