Domingos Pellegrini

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Domingos Pellegrini
Nascimento 23 de julho de 1949 (69 anos)
Londrina
Prêmios Prémio Jabuti (1977, 2001)
Gênero literário Romance, conto
Movimento literário Pós-modernismo
Magnum opus No coração das perobas

Domingos Pellegrini Júnior (Londrina, 23 de julho de 1949) é um escritor brasileiro. É romancista, contista, cronista, poeta, jornalista e publicitário.[1]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Filho de um barbeiro e de uma dona de pensão, começou a escrever aos 14 anos de idade, quando ganhou uma máquina de escrever do pai. Estudou Letras e Publicidade na Universidade Estadual de Londrina entre 1967 e 1975, e na Universidade Estadual Paulista (na cidade de Assis, SP), onde se especializa em teoria literária.[1]

Em 1977, lançou o primeiro livro, O homem vermelho, uma coletânea de contos e com ele recebeu o Prêmio Jabuti, um dos mais importantes prêmios literários do país. Nesse mesmo ano, lançou uma nova coletânea de contos, Os meninos.

Entre 1989 e 1992, foi secretario municipal da Secretária da Cultura do Município de Londrina, na gestão de Antônio Belinati.[1]

Entre suas obras destacam-se Terra Vermelha, que conta a história da colonização do Paraná, O Caso da Chácara Chão e o já citado O Homem Vermelho, tendo recebido por estas duas últimas obras o Prêmio Jabuti.[2]

Sua obras já foram publicadas nos o Estados Unidos, Itália e França.[3]

Obras[editar | editar código-fonte]

  • O Homem Vermelho (contos),
  • As Sete Pragas (contos).
  • Paixões (contos).
  • Os Meninos não Crescem (contos).
  • Tempo de Meninos (contos).
  • Negócios de Família (contos).
  • Meninos e Meninas (contos).
  • Bicho-gente (contos).
  • Tempo de Guerra (contos), Cia. das Letras, 1998.
  • Terra Vermelha (romance), Moderna, 1998, Geração Editorial, 2008.
  • Questão de Honra (romance), Moderna, 1999.
  • O Caso da Chácara Chão (romance), Record, 2000.
  • A Árvore que Dava Dinheiro, 1981, (Ed. Ática),na Série Vaga-Lume.
  • Andando com Jesus (Ed. Ática).
  • As Batalhas do Castelo (Ed. Moderna).
  • A Última Tropa (Ed. Moderna).
  • O Dia em que Choveu Cinza (Ed. Moderna).
  • Água Luminosa (Ed. Moderna).
  • A Guerra de Platão (Quinteto Editorial).
  • A Guerra de Macarrão (Quinteto Editorial).
  • O Dia em que Deus Criou as Frutas (FTD).
  • Conversas de Amor, 2004.
  • Não Somos Humanos, 2005.
  • O Mestre e o Herói, (Ed. Moderna), 2006.
  • Mestres da Paixão
  • O Professor milionário 2009 (FTD)
  • No começo de tudo (2002)
  • Bendito Assalto (romance), Editora Leitura, 2009.
  • A Revolução dos cães
  • Estação Brasil Editora FTD 2011
  • Familia Composta 2006 teatro
  • Ladrão que rouba ladrão

Prêmios[editar | editar código-fonte]

O livro de contos O Homem Vermelho, sua primeira publicação, lhe valeu o Prêmio Jabuti em 1977. Em 2001 foi novamente agraciado com o Prêmio Jabuti (juntamente com Milton Hatoum e Patrícia Melo) pelo romance O caso da Chácara Chão.[4]

Também foi agraciado no Prêmio Fernando Chinaglia II, da União Brasileira de Escritores, em 1970 e 1974[3], por poesias e contos publicados.[5]

Referências

  1. a b c «Biografia». Enciclopédia Itaú Cultural. 28 de março de 2017. Consultado em 6 de novembro de 2018 
  2. «PERFIL: DOMINGOS PELLEGRINI». Universidade Estadual de Londrina. Consultado em 6 de novembro de 2018 
  3. a b «DOMINGOS PELLEGRINI NA HISTORIOGRAFIA LITERÁRIA» (PDF). Universidade Estadual de Maringá. 2007. Consultado em 6 de novembro de 2018 
  4. «Biografia». Livraria Cultura. Consultado em 6 de novembro de 2018 
  5. «Domingos Pellegrini – Vida». Portal São Francisco. Consultado em 6 de novembro de 2018 
Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.