Don Larsen

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Baseball pictogram.svg Don Larsen
DonLarson2013.jpg
Informações pessoais
Nome completo Donald James Larsen
Data de nasc. 7 de agosto de 1929
Local de nasc. Michigan City, Indiana
Nacionalidade norte-americano
Falecido em 1 de janeiro de 2020 (90 anos)
Local da morte Hayden, Idaho
Altura 1,93 m
Peso 97 kg
Informações profissionais
Posição Arremessador
Rebatidas 144
Aproveitamento 24,2%
Corridas impulsionadas 72
Home Runs 14
Corridas anotadas 65
ERA 3.78
Rebate Direito
Lança Direito
Strikeouts 849
Clubes principais
1953-1954
1955-1959
1960-1961
1961
1962-1964
1965-1965
1965
1967
Browns/Orioles
New York Yankees
Kansas City Athletics
Chicago White Sox
San Francisco Giants
Colt .45's/Astros
Baltimore Orioles
Chicago Cubs

Donald James Larsen (Michigan City, 7 de agosto de 1929Hayden, 1 de janeiro de 2020) foi um jogador profissional de beisebol que atuou como arremessador na Major League Baseball (MLB). Durante seus 15 anos de carreira, arremessou de 1953 até 1967 por sete equipes diferentes: St. Louis Browns / Baltimore Orioles (1953–54; 1965), New York Yankees (1955–59), Kansas City Athletics (1960–1961), Chicago White Sox (1961), San Francisco Giants (1962–64), Houston Colt .45's / Houston Astros (1964–65) e Chicago Cubs (1967).[1]

Larsen conseguiu o sexto jogo perfeito da história da MLB, alcançando a façanha no Jogo 5 da World Series de 1956. Foi o único no-hitter e jogo perfeito na história da World Series e um dos dois no-hitters na história da pós-temporada. Venceu os prêmios de MVP da World Series e o Babe Ruth Award por sua atuação na pós-temporada de 1956.

O jogo perfeito[editar | editar código-fonte]

A mais notável façanha de Larsen foi arremessar o único jogo perfeito na história da World Series; é um dos 23 jogos perfeitos na história da MLB. Larsen estava arremessando no Jogo 5 da World Series de 1956 pelo New York Yankees contra o Brooklyn Dodgers em 8 de outubro de 1956. Seu jogo perfeito permaneceu como o único no-hitter de qualquer tipo em jogos de pós-temporada até que Roy Halladay do Philadelphia Phillies conseguiu um no-hitter contra o Cincinnati Reds em 6 de outubro de 2010, no Jogo 1 da National League Division Series.[2]

Stengel selecionou Larsen para inicir o Jogo 2 da Series. Apesar da liderança dos Yankees por 6–0, Larsen durou apenas 1.2 entrada na derrota por 13 a 8. Concedeu apenas uma rebatida, um simples de Gil Hodges, mas concedeu quatro walks, permitindo quatro corridas, mas nenhuma delas pesou em seu ERA pois foram geradas por um erro do primeira base Joe Collins.[3]

Larsen iniciou o Jogo 5 pelo Yankees. O oponente de Larsen jogando pelo Brooklyn era Sal Maglie. Larsen precisou de apenas 97 arremessos para completar o jogo perfeito e apenas um rebatedor dos Dodgers, (Pee Wee Reese, na primeira entrada) conseguiu chegar em uma contagem de 3 bolas. Em 1998, Larsen relembrou: "Eu tinha ótimo controle. Nunca tive aquele tipo de controle na minha vida." O arremessador do Brooklyn, Maglie, concedeu apenas duas corridas em cinco rebatidas. O home run de Mickey Mantle na quarta entrada abriu o placar da partida. Os Yankees conseguiram outra corrida na sexta entrada. Após Roy Campanella ser eliminado em bola rasteira por Billy Martin, sendo a segunda eliminação na nona entrada, Larsen encarou o rebatedor substituto Dale Mitchell, com aproveitamento ao bastão de 31,1%. Arremessando bolas rápidas, Larsen ficou à frente na contagem em 1–2. Em seu 97º arremesso, o umpire do home plate, Babe Pinelli, chamou o strike e Larsen conseguiu eliminar o 27º e último rebatedor. Após o arremesso, o catcher Yogi Berra se jogou nos braços de Larsen em celebração, em famosa foto chamada de "everlasting image". O jogo sem paralelos de Larsen o levou a ganhar o prêmio de MVP da World Series e do prêmio Babe Ruth Award.

Quando a World Series terminou, Larsen fez uma série de endossos e trabalhos promocionais ao redor dos Estados Unidos, mas parou em seguida porque estava "interrompendo sua rotina".[4]

Morte[editar | editar código-fonte]

Larsen morreu no dia 1 de janeiro de 2020, aos 90 anos, em decorrência do câncer esofágico.[5]

Referências

  1. Don Larsen - estatísticas e perfil no Baseball-Reference
  2. «Roy Halladay throws second no-hitter in postseason history». ESPN.com. 6 de outubro de 2010 
  3. «Brooklyn Dodgers 13, New York Yankees 8». Retrosheet. Retrosheet. Consultado em 26 de março de 2012 
  4. Durslag, Melvin (Dezembro de 1971). «Don Larsen 15 Years Later». Baseball Digest. pp. 31–33. Consultado em 26 de março de 2012 
  5. Kupper, Mike (1 de janeiro de 2020). «Don Larsen, only pitcher to throw a perfect game in World Series, dies at 90». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 2 de janeiro de 2020 

Leitura adicional[editar | editar código-fonte]

  • Paper, Lew (2009). Perfect: Don Larsen's Miraculous World Series Game and The Men Who Made It Happen. [S.l.]: New American Library. ISBN 978-0-451-22819-2 
  • «Don Larsen: The Game I'll Never Forget». Baseball Digest. Outubro de 2003 
  • Larsen, Don & Shaw, Mark (2001). The Perfect Yankee: The Incredible Story of The Greatest Miracle in Baseball History. Champaign, Illinois: Sagamore Publishing. ISBN 1-58261-336-2 
  • Hoose, Phillip (2006). Perfect, Once Removed: When Baseball Was All the World to Me. New York: Walker. ISBN 0-8027-1537-0 
  • Bell, Albert A., Jr. (2006). Perfect Game, Imperfect Lives: A Memoir Celebrating the 50th Anniversary of Don Larsen's Perfect Game. [S.l.]: Ingalls Publishing. ISBN 1-932158-41-3 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Don Larsen