Doom Eternal

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Doom Eternal
Desenvolvedora(s) id Software
Publicadora(s) Bethesda Softworks
Diretor(es) Hugo Martin
Produtor(es) Timothy Bell
Escritor(es) Hugo Martin
Adam Gascoine
Jon Lane
Chad Mossholder
Programador(es) Evan Eubanks
Artista(s) Tony Garza
Compositor(es) Mick Gordon
Motor id Tech 7
Série Doom
Plataforma(s) Google Stadia
Microsoft Windows
Nintendo Switch
PlayStation 4
Xbox One
Lançamento Windows, PlayStation 4, Stadia, Xbox One
20 de março de 2020
Nintendo Switch
2020
Gênero(s) Tiro em primeira pessoa
Modos de jogo Um jogador
Multijogador
Doom

Doom Eternal é um jogo eletrônico de tiro em primeira pessoa desenvolvido pela id Software e publicado pela Bethesda Softworks. Foi lançado em 20 de março de 2020 para Google Stadia, Microsoft Windows, PlayStation 4 e Xbox One, com previsão de lançamento para Nintendo Switch mais tarde nesse mesmo ano. É o quinto título principal da série Doom e a sequência de Doom (2016).

Jogabilidade[editar | editar código-fonte]

Os jogadores mais uma vez assumem o papel de Doom Slayer, um antigo guerreiro que luta contra as forças demoníacas do inferno a partir de uma perspectiva em primeira pessoa. O jogo continua a ênfase do seu predecessor no combate "push-forward", encorajando o jogador a atacar inimigos agressivamente para adquirir saúde e munição. O jogador tem acesso a várias armas de fogo, como Combat Shotgun, Super Shotgun , Heavy Cannon, Rocket Launcher, Plasma Rifle e Ballista. Armas brancas, como uma motosserra, espada energética "Crucible Blade" e uma lâmina de braço retrátil também podem ser usadas. A lâmina do braço oferece a oportunidade para uma variedade maior de execuções rápidas e violentas. A Super Shotgun agora é equipada com um "Meat Hook", que ataca o jogador em direção a um inimigo, funcionando como um gancho em ambos os cenários de combate e navegação ambiental. Armamentos incluindo mísseis, lançadores de granadas e lança - chamas também podem ser anexados à armadura do Exterminador do Destino.[1] Também serão introduzidas novas mecânicas de movimento, como a escalada na parede e os movimentos do painel.[2]

O diretor criativo Hugo Martin afirmou que haverá o dobro de tipos de demônios do que no jogo anterior. Existem novos tipos de inimigos, como o Marauder e Doom Hunter, enquanto outros, como Pain Elemental, Arachnotron e Archvile, serão reintroduzidos de jogos anteriores de Doom. Um novo sistema chamado "Destructible Demons" é caracterizado, no qual os corpos dos inimigos se tornam progressivamente destruídos e se deterioram em combate à medida que sofrem danos.

O jogo conta com um modo multijogador assimétrico chamado "Invasão", no qual os jogadores podem se juntar a outras campanhas de um jogador, lutando contra eles como demônios.[3] Este modo pode ser desativado por jogadores que desejam jogar o jogo solo.[4] Além da "Invasão", o jogo apresenta outros modos multiplayer padrão.[5]

Enredo[editar | editar código-fonte]

As forças do Inferno começaram a invadir a Terra, e com a Union Aerospace Corporation luta para defendê-lo, o Slayer chega para repelir os demônios.[6]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O jogo está sendo desenvolvido pela id Software com a versão do Nintendo Switch sendo desenvolvida pela Panic Button.[5] Marty Stratton e Hugo Martin retornaram para servir como diretores do jogo.

O jogo é o primeiro a ser desenvolvido com o motor id Tech 7, que apresenta dez vezes o detalhe geométrico e a fidelidade de textura do idTech 6.[7] De acordo com Stratton, a equipe pretendia criar um "universo Doom", com locais maiores e mais variados, incluindo "Inferno na Terra", para os jogadores explorarem.[8] Ao contrário de seu antecessor, a id Software está desenvolvendo o componente multijogador do jogo internamente, ao invés de ser terceirizado para o desenvolvedor multijogador do jogo anterior, Certain Affinity,[9][10] com o objetivo de tornar a experiência mais "social" e "conectada" com a campanha para um jogador. A equipe decidiu remover o modo SnapMap e reatribuir seu recurso para desenvolver conteúdo para download de campanha pós-lançamento.[11]

A editora Bethesda Softworks anunciou o jogo na E3 2018, com as primeiras imagens de gameplay sendo reveladas no QuakeCon 2018. As plataformas disponíveis para o jogo incluem Microsoft Windows, PlayStation 4, Nintendo Switch, Xbox One[12] e para o serviço de streaming Google Stadia.[13]

Recepção[editar | editar código-fonte]

 Recepção
Resenha crítica
Publicação Nota
Destructoid 8.5/10[14]
EGM 4 de 5 estrelas.[15]
Game Informer 9.25/10[16]
GameSpot 8/10[17]
GamesRadar+ 3.5 de 5 estrelas.[18]
IGN 9/10[19]
Jeuxvideo.com 18/20[20]
VG247 4 de 5 estrelas.[21]
VideoGamer.com 8/10[22]
Pontuação global
Publicação Nota média
Metacritic PC & XOne: 88/100[23][24]
PS4: 87/100[25]

Doom Eternal recebeu críticas "geralmente favoráveis" de acordo com o agregador de resenhas Metacritic.[23][24][25] Os críticos elogiaram a campanha, os gráficos, o level design, o combate, a trilha sonora e as melhorias apresentadas em comparação ao seu antecessor, enquanto alguns não gostaram do foco crescente do jogo em contar histórias.[26]

Vendas[editar | editar código-fonte]

Doom Eternal teve mais de 100 mil usuários simultâneos na Steam no dia de seu lançamento, mais do que o dobro de Doom (2016).[27] O jogo dobrou a receita de final de semana de lançamento de Doom (2016).[28] Doom Eternal estreou na segunda posição nas paradas do Reino Unido, atrás de Animal Crossing: New Horizons, embora as vendas físicas do jogo tenham sido 33% menores que seu antecessor, um provável efeito colateral dos procedimentos de distanciamento social implementados após a pandemia de coronavírus (2019-2020).[29]

Na América do Norte, o jogo foi o sexto mais vendido de março de 2020, embora isso não inclua vendas digitais.[30] A SuperData estimou que, em março de 2020, o jogo havia vendido 3 milhões de cópias digitais em todo o mundo, superando as 957.000 unidades de vendas do mês de lançamento de Doom (2016). Isso fez de Eternal o quarto jogo de console mais vendido em março de 2020.[31]

Prêmios e indicações[editar | editar código-fonte]

Doom Eternal foi indicado para "Jogo Mais Aguardado" no Golden Joystick Awards 2018.[32] No Game Critics Awards 2019, o jogo venceu nas categorias de "Melhor Jogo de PC" e "Melhor Jogo de Ação".[33]

Referências

  1. «Doom Eternal: A Bigger, Badder, Bloodier Demon Fest». Game Informer 
  2. «Everything we know about Doom Eternal». PC Gamer 
  3. «The 6 most metal things in the Doom Eternal reveal». PC Gamer 
  4. «Doom Eternal ushers in idTech 7, bloody new powers». Ars Technica 
  5. a b «DOOM Eternal's PvP Component Won't Be An Extension Of Existing Multiplayer Mode». Nintendo Life 
  6. «Everything we know about Doom Eternal» (em inglês) 
  7. «DOOM Eternal tech details: id Tech 7 can display 10 times higher geometric detail, demons will be destructible | DSOGaming | The Dark Side Of Gaming». www.dsogaming.com (em inglês) 
  8. «QuakeCon 2018: Building a DOOM Universe». Hardcore Gamer 
  9. «Doom Eternal will have competitive multiplayer that's different from Doom 2016» 
  10. «Doom Eternal will have competitive multiplayer that's different from Doom 2016». Polygon 
  11. «Doom Eternal Ditches SnapMap To Focus On Campaign DLC, New PvP Mode». GameSpot 
  12. «E3 2018: Bethesda Announces Doom Eternal, Sequel to Doom». IGN 
  13. «DOOM Eternal is coming to Stadia» 
  14. Carter, Chris (17 de março de 2020). «Review: Doom Eternal». Destructoid. Enthusiast Gaming. Consultado em 17 de março de 2020 
  15. Goroff, Michael (17 de março de 2020). «Doom Eternal review». Electronic Gaming Monthly. EGM Media, LLC. Consultado em 17 de março de 2020 
  16. Reiner, Andrew (18 de março de 2020). «Doom Eternal Review – Bloody Brilliant». Game Informer. GameStop. Consultado em 18 de março de 2020 
  17. Hornshaw, Phil (24 de março de 2020). «Doom Eternal Review - The Thinking Slayer's Ripping And Tearing». GameSpot. CBS Interactive. Consultado em 24 de março de 2020 
  18. West, Josh (17 de março de 2020). «DOOM ETERNAL REVIEW: "SCREAMS AT YOU TO MOVE FASTER AND TO FIGHT HARDER, AND YOU CAN DO NOTHING BUT OBEY"». GamesRadar+. Future plc. Consultado em 17 de março de 2020 
  19. McCaffrey, Ryan (24 de março de 2020). «Doom Eternal Final Review». IGN. Ziff Davis. Consultado em 24 de março de 2020 
  20. de Panthaa, L'avis (17 de março de 2020). «Doom Eternal : Au sommet du fast-FPS». Jeuxvideo.com. Webedia. Consultado em 17 de março de 2020 
  21. Iwaniuk, Phil (17 de março de 2020). «Doom Eternal review – cathartic combat, passable platforming, and stupid swimming». VG247. videogaming247 Ltd. Consultado em 17 de março de 2020 
  22. Wise, Josh (17 de março de 2020). «Doom Eternal review». VideoGamer.com. Consultado em 17 de março de 2020 
  23. a b «Doom Eternal for PC Reviews». Metacritic. CBS Interactive. Consultado em 17 de março de 2020 
  24. a b «Doom Eternal for Xbox One Reviews». Metacritic. CBS Interactive. Consultado em 17 de março de 2020 
  25. a b «Doom Eternal for PlayStation 4 Reviews». Metacritic. CBS Interactive. Consultado em 23 de março de 2020 
  26. Wright, Steven T. (17 de março de 2020). «Doom Eternal Review Roundup - GameSpot». GameSpot. Consultado em 23 de março de 2020 
  27. Chalk, Andy (20 de março de 2020). «Doom Eternal roars past 100,000 concurrent users on Steam». pcgamer.com. Consultado em 24 de março de 2020 
  28. Phillips, Tom (25 de março de 2020). «Doom Eternal had the series' best opening sales weekend». eurogamer.net. Consultado em 28 de março de 2020 
  29. Dring, Christopher (22 de março de 2020). «Animal Crossing: New Horizons smashes sales records in the UK». gamesindustry.biz. Consultado em 24 de março de 2020 
  30. Grubb, Jeff (21 de abril de 2020). «March 2020 NPD: Animal Crossing powers March to blockbuster game sales». VentureBeat. Consultado em 22 de abril de 2020 
  31. Valentine, Rebekah (22 de abril de 2020). «Animal Crossing: New Horizons sold an estimated 5m digital units in March». gamesindustry.biz. Consultado em 23 de abril de 2020 
  32. «Golden Joysticks 2018 nominees announced, voting open now» 
  33. Makuch, Eddie (28 de junho de 2019). «Final Fantasy 7 Remake Wins Best Of Show At E3 2019 Game Critics Awards». GameSpot. Consultado em 29 de junho de 2019