Dóris Monteiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Doris Monteiro)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
NoFonti.svg
Esta biografia de uma pessoa viva cita fontes confiáveis e independentes, mas elas não cobrem todo o texto. (desde Junho de 2012) Ajude a melhorar esta biografia providenciando mais fontes confiáveis e independentes. Material controverso sobre pessoas vivas sem apoio de fontes confiáveis e verificáveis deve ser imediatamente removido, especialmente se for de natureza difamatória.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Dóris Monteiro
Informação geral
Nome completo Adelina Dóris Monteiro
Nascimento 21 de outubro de 1934 (83 anos)
Local de nascimento Rio de Janeiro, RJ
Nacionalidade brasileira
Gênero(s) Samba-canção, Bossa Nova, MPB
Ocupação(ões) Cantora, atriz
Período em atividade 1951–presente
Página oficial www.dorismonteiro.com

Adelina Dóris Monteiro (Rio de Janeiro, 23 de outubro de 1934) é uma cantora e atriz brasileira.[1]

Em 1949 foi revelada como cantora no programa Papel Carbono, de Renato Murce, na rádio Nacional do Rio de Janeiro.[2]

Década de 1950[editar | editar código-fonte]

Em 1951 era estudante do Colégio Pedro II, foi convidada para cantar na rádio Guanabara. Na rádio Tupi ficou durante oito anos. Cantou na boate do Copacabana Palace Hotel. Fez sua primeira gravação, Se você se importasse, em 78rpm. Em 1952, foi eleita Rainha dos Cadetes. No mesmo ano, gravou Fecho meus olhos, vejo você, de José Maria de Abreu. Gravou o primeiro longplay em 1954 - Vento soprando -, pela gravadora Continental. Músicas que se destacaram: Graças a Deus (Fernando César) e Joga a rede no mar (Fernando César e Nazareno de Brito). Foi uma das estrelas da TV Tupi em 1955, apresentando um programa que levava seu nome. Em 1956 grava Mocinho Bonito, de Billy Blanco - uma das músicas mais marcantes do seu repertório. Eleita Rainha do Rádio.

Precedida por:
Vera Lúcia
Rainha do Rádio
19561958
Sucedida por:
Julie Joy

Década de 1960[editar | editar código-fonte]

Em 1963 gravou o longplay Gostoso é sambar, título, música de João Melo - músicas que fizeram sucesso O que eu gosto de você (Silvio César) e Olhou pra mim (Ed Lincoln/Silvio César) - gravação Philips. Dóris Monteiro de 1964, com a música destaque Samba de verbo (Marcos Valle/Paulo Sérgio Valle) - gravadora Philips.

Em 1969 conquistou o país cantando Mudando de conversa, título do disco e música de (Maurício Tapajós/Hermínio Belo de Carvalho, esse hit ficou cerca de cinco meses nas paradas e foi recordista de vendas.Outra música que marcou foi Do-re-mi de Fernando César - gravadora Odeon.

Década de 1970[editar | editar código-fonte]

Em 1970 grava um compacto simples Dóris Monteiro, a música que teve destaque foi Coco verde (Sérgio Sampaio). Durante os anos setentas gravou com com os cantores Miltinho e Lúcio Alves.

Década de 1980[editar | editar código-fonte]

Na década de 1980 Dóris Monteiro volta a gravar. Dóris Monteiro - gravadora Copacabana. Essas Mulheres com Dóris, Elizeth Cardoso, Helena e Ângela Maria - 1986 - gravadora Continental.

Década de 1990[editar | editar código-fonte]

Samba Canção- da série Academia Brasileira de Música - músicas que se destacaram: Chove lá fora, de Tito Madi, Ronda de Paulo Vanzolini e Manhã de carnaval (Antônio Maria/Luiz Bonfá.

Anos 2000[editar | editar código-fonte]

Filmes[editar | editar código-fonte]

Ano Título Papel Notas Ref
1974 Assim Era a Atlântida Ela Mesma Documentário
1963 Sol Sobre a Lama com Glauce Rocha
1962 Copacabana Palace com Tônia Carrero
1958 E o Espetáculo Continua Lília com Eliana Macedo
1957 Tudo é Música [3]
De Vento em Popa Lucy com Oscarito
1955 A Carrocinha Ermelinda com Mazzaroppi
1954 Carnaval em Caxias Garçonete com José Lewgoy [4]
Rua sem Sol Maria com Glauce Rocha [5]
Feitiço da Vila com Mary Gonçalves
1953 Agulha no Palheiro Elisa Prêmio de Melhor Atriz no 1º Festival de Cinema do DF

Turnês[editar | editar código-fonte]

Cassino de Punta del Este, no Uruguai; Lisboa e Coimbra, com Dorival Caymmi, em Portugal; Osaka, Nagoya e Tóquio, no Japão.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

ISBN 85-7326-119-6

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Dóris Monteiro». dicionariompb.com.br. Consultado em 9 de fevereiro de 2014. 
  2. «"Biografia de Dóris Monteiro"». Mpbfm.com.br. Consultado em 27 de fevereiro de 2014. 
  3. «Tudo é Música». Cinemateca Brasileira. Consultado em 29 de novembro de 2017. 
  4. «Carnaval em Caxias». Cinemateca Brasileira. Consultado em 29 de novembro de 2017. 
  5. Cinemateca Brasileira
Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Dóris Monteiro