Dorothea Puente

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Dorothea Helen Puente (9 de janeiro de 1929 - 27 de março de 2011) foi uma assassina em série norte-americana. Ela faleceu na cadeia, cumprindo prisão perpétua.[1]

Nascida no méxico, Puente foi abandonada quando criança e criada e um orfanato. Nos primeiros quarenta anos de sua vida, ela se casou quatro vezes e deu à luz uma filha a quem imediatamente colocou para a adoção. Em 1983, com 53 anos, foi presa por drogar homens idosos e roubar-lhes o dinheiro. Libertada em 1985, alugou uma casa decrépita em Sacramento, na Califórnia, e abriu uma pensão para idosos com renda fixa. Nos dois anos que se seguiram, mais de uma dúzia de hóspedes desapareceu. Em novembro de 1988 - investigando queixas da vizinhança sobre o fedor que emanava da propriedade de Puente - a polícia encontrou o primeiro de sete cadáveres em suas dependências. Puente fugiu, mas acabou sendo presa em Los Angeles. Ela foi acusada de nove assassinatos, embora as autoridades acreditassem que o total fosse de 25 vítimas. Depois de uma maratona de seis meses de julgamento, ela foi condenada ae sentenciada à prisão perpétua sem possibilidade de liberdade.

Referências

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.