Dos Concílios e da Igreja

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Dos Concílios e da Igreja é um tratado sobre eclesiologia escrito por Martinho Lutero em 1539, já nos anos finais de sua vida.

Conteúdo[editar | editar código-fonte]

Esta obra é mais conhecida por sua doutrina, explanada na terceira parte do livro, das "sete marcas da Igreja" através das quais a "Santa, Una e Apostólica Igreja" pode ser reconhecida:

  1. Santa palavra de Deus - revela os meios de graça efetivos:
    1. Santo sacramento do batismo, a regeneração;
    2. Santo sacramento do altar;
    3. Ofício das chaves exercido publicamente - este ofício não é o do papa. Inclui também a confissão privada como meio de graça;
  2. Consagra ou chama ministros ou tem ofícios; ou seja, administra - bispos, pastores, pregadores, mas não mulheres;
  3. Oração, louvor público e agradecimentos a Deus - a liturgia;
  4. Santa possessão da sagrada cruz - sofrendo e carregando a cruz como seguidores de Cristo.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Bibliografia[editar | editar código-fonte]