Douglas Hofstadter

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Douglas Hofstadter
Nascimento Douglas Richard Hofstadter
15 de fevereiro de 1945 (76 anos)
Nova Iorque
Nacionalidade estadunidense
Cidadania Estados Unidos
Progenitores
Alma mater
Ocupação filósofo, escritor, professor universitário, cientista de computação, físico
Prêmios
Empregador Universidade de Michigan, Universidade de Indiana
Orientador(es) Gregory Wannier[1]
Orientado(s) David Chalmers, Robert M. French, Melanie Mitchell
Obras destacadas Gödel

Douglas Richard Hofstadter (Nova Iorque, 15 de fevereiro de 1945) é um acadêmico norte-americano das áreas da ciência cognitiva, física e literatura comparada, cuja pesquisa inclui conceitos como o sentido do Eu ("si mesmo" ou self) em relação ao mundo externo,[2] consciência, uso de analogia, criação artística, tradução literária e descobertas matemáticas e físicas. Foi criador da palavra ambigrama. Seu livro Gödel, Escher, Bach: An Eternal Golden Braid (1979), em português "Gödel, Escher, Bach: um entrelaçamento de gênios brilhantes" ganhou o Prêmio Pulitzer de 1980 para a categoria de obras de não-ficção[3][4] e o National Book Award (na época chamado American Book Award) na categoria de ciência. Seu livro de 2007, I Am a Strange Loop, ganhou o Prêmio do Livro do Los Angeles Times de Ciência e Tecnologia.[5][6][7]

Gödel, Escher, Bach é considerado uma grande referência de leitura e fonte de inspiração para muitos estudantes que se dedicam aos estudos em Ciência da Computação e Inteligência Artificial.

Biografia[editar | editar código-fonte]

Hofstadter nasceu na cidade de Nova York, filho de pais judeus: o físico Robert Hofstadter, ganhador do Prêmio Nobel e Nancy Givan Hofstadter.[8] Ele cresceu no campus da Universidade Stanford, onde seu pai era professor. Frequentou a Escola Internacional de Genebra entre os anos de 1958-1959. Ele se formou com distinção em matemática pela Stanford em 1965 e, em 1975, recebeu seu Ph.D. em física pela Universidade de Oregon.[9] Seu estudo dos níveis de energia dos elétrons de Bloch em um campo magnético o levou à descoberta do fractal conhecido como borboleta de Hofstadter.[9]

Referências

  1. Douglas Hofstadter (em inglês) no Mathematics Genealogy Project
  2. Hofstadter, D. R. (1982). «Who shoves whom around inside the careenium? Or what is the meaning of the word ?I??». Synthese. 53: 189–218. doi:10.1007/BF00484897 
  3. "General Nonfiction" Arquivado em 26-02-2012 no Wayback Machine.. Past winners and finalists by category. The Pulitzer Prizes. Retrieved March 17, 2012.
  4. A bedside book of paradoxes Arquivado em 26-03-2017 no Wayback Machine., New York Times
  5. Book Prizes – Los Angeles Times Festival of Books» Winners By Award Arquivado em 5-04-2013 no Wayback Machine.. Events.latimes.com (22 de Novembro de 1963).
  6. Lista de publicações do Digital Bibliography & Library Project.
  7. «Publicações de Douglas Hofstadter, indexadas pelo banco de dados bibliográfico Scopus, um serviço da Elsevier» 🔗. (pede subscrição (ajuda)) 
  8. Stanford News Service,Nancy Hofstadter, widow of Nobel laureate in physics, dead at 87 Arquivado em 24-03-2012 no Wayback Machine., 17 de agosto de 2017.
  9. a b Hofstadter, Douglas (1976). «Energy levels and wave functions of Bloch electrons in rational and irrational magnetic fields». Physical Review B. 14: 2239–2249. Bibcode:1976PhRvB..14.2239H. doi:10.1103/PhysRevB.14.2239 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço relacionado ao Projeto Biografias. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.