Doutor Estranho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Doutor Estranho
Dr strange.jpg
Dados da publicação
Publicado por Marvel Comics
Primeira aparição Strange Tales #110
(Julho de 1963)
Criado por Stan Lee
Steve Ditko
Características do personagem
Alter ego Stephen Vincent Strange
Espécie Humano
Terra natal Filadélfia, Pennsylvania
Afiliações Defensores
Illuminati
Vingadores
A Ordem
Filhos da Meia-Noite
Novos Vingadores
Ocupação ex-Neurocirurgião, Consultor de ocultismo
Parceria Wong (seu discípulo)
Base de operações Sanctum Sanctorum, Mansão dos Vingadores
Parentesco Eugene Strange (pai morto), Beverly Strange (mãe morta), Victor Strange (irmão morto), Donna Strange (irmã morta), Clea Strange (ex-esposa)
Inimigos Dormammu, Barão Mordo, Daniel Drumm
Situação presente Ativo
Codinomes conhecidos Mestre das artes místicas, Mago Supremo, Vincent Sanders,[1] Capitão Universo, Shiah, O Destruidor
Habilidades
  • Especialista em neurologia
  • Intelecto genial
  • Grande estrategista

Com seus poderes místicos:

  • Manipulação de energia mística
  • Conjuração de feitiços
  • Domínio de magia negra
  • Telecinese
  • Telepatia
  • Escudos de energia
  • Intangibilidade
  • Longevidade
  • Projeção astral
  • Banimento
  • Exímio artista marcial
  • Transmutação
  • Hipnose
  • Criação de ilusões
  • Teletransporte interdimensional
  • Controle temporal
    (em alguns casos)
  • Consciência universal
    (após meditação)
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Doutor Estranho (Doctor Strange, no original em inglês) é um personagem fictício dos quadrinhos americanos. Stephen Vincent Strange, o mago supremo ou mestre da magia negra, um dos mais diferentes super-herói do Universo Marvel, criado pelo roteirista Stan Lee junto com o desenhista Steve Ditko em 1963, na HQ em Strange Tales #110, revista de terror da Marvel.[2][3]

O personagem ganhou destaque nas edições #110 a #168, quando foram apresentado os vilões e o universo místico.[2] Dividiu histórias com o Tocha Humana, e apareceu em histórias solo, quando Strange Tales, a partir da #169, passou a se chamar Doctor Strange.[4]

Seu nome não era original, pois pouco antes do lançamento da personagem, Lee já o havia usado para um vilão das primeiras histórias do Homem de Ferro,[carece de fontes?] entretanto, seus poderes e dons constituíram características originais, principalmente pelo fato de que o Doutor Estranho não se vale da força física, mas de inteligência e magia em suas aventuras.

Seus direitos autorais pertencem à sua criadora, a Marvel Comics. Seu maior inimigo é Dormammu, tio de sua namorada, e posteriormente esposa, Cléia. Participou do grupo de super-heróis denominado os Defensores, capazes de rivalizar até com Os Vingadores.[2]

Como característica marcante do personagem, Stan Lee criou uma série de palavras e frases de efeito para os encantamentos do mago, inspirado em programas de rádio americano dos anos 40 cujos personagens se valiam desses efeitos dramáticos. Desta forma, as revistas do Doutor Estranho alcançaram grande sucesso de vendas, principalmente nas décadas de 70 e 80.

Biografia ficcional do personagem[editar | editar código-fonte]

Infância[editar | editar código-fonte]

Stephen Strange nasceu em 1930, filho de Eugene e Beverly Strange, enquanto o casal estava de férias na Filadélfia. Em 1932, a irmã de Stephen, Donna nasceu na fazenda da família em Nebraska.

Sabendo que Strange estava destinado a se tornar o próximo Mago Supremo, um feiticeiro aprendiz ressentido, Karl Mordo, atormentou a criança com demônios desde os oito anos de idade até à idade adulta, devido ciúmes de uma criança que no futuro seria melhor que ele. Strange foi resgatado pelo mestre de Mordo, o Ancião, protetor místico da Terra e Mago Supremo da época. Após um ou dois anos do começo do tormento, o irmão de Stephen, Victor, nasceu. Aos onze anos, Strange ajudou Donna quando ela estava ferida, uma experiência que desenvolveu seu interesse na medicina. Strange entrou na Faculdade de Nova York como um estudante de medicina. Mais tarde, enquanto passava as férias em casa para o seu décimo nono aniversário, Strange estava nadando com Donna quando ela sofreu uma cãibra. Depois de uma busca frenética, Stephen a encontrou já afogada. A experiência deixou-o com uma sensação de fracasso pessoal que corroeu seu idealismo médico.

Carreira Médica[editar | editar código-fonte]

Brilhante cirurgião, Stephen ganhou seu diploma de médico na Universidade Columbia em tempo recorde e entrou em uma residência de cinco anos no Hospital Presbiteriano de Nova York, onde seu rápido sucesso o tornou arrogante. A mãe de Stephen, Beverly, morreu perto do fim de sua residência, e o trabalho se tornou mais e mais impessoal para o cirurgião de luto. No entanto, Strange continuou talentoso, e ele tornou-se um rico e célebre neurocirurgião antes de completar trinta anos.

Doutor arrogante, egoísta e ganancioso, frio e insensível, o interesse de Strange em seus pacientes em geral começava e terminava em sua conta. A exceção foi Madeleine Revell, uma tradutora das Nações Unidas ferida que ele salvou e se apaixonou. Após um rápido romance e uma proposta de casamento, ela o deixou, devido à sua natureza cada vez mais materialista.

Dois anos após a morte de sua mãe, o pai de Strange também adoeceu. Já prejudicado pela perda da mãe (embora nunca admitisse), Stephen estava incapacitado de enfrentar outra tragédia, e recusou visitar o pai em seu leito de morte. Dias depois, Victor, indignado, confrontou Stephen em seu apartamento sobre a aparente falta de luto. Após o confronto, Victor saiu correndo e foi morto atropelado por um carro, e Stephen com a culpa o pertubando, colocou o corpo de Victor em câmara fria, esperando que avanços futuros poderiam reanimá-lo.

Acidente de carro e a origem de seus poderes místicos[editar | editar código-fonte]

Por volta de 1963, Strange se envolveu em um acidente de carro que danificou os nervos de suas mãos afetando o movimento, impedindo de continuar na profissão de médico.[5][6] Com sua carreira cirúrgica terminada e muito vaidoso para aceitar cargos como consultor ou assistente, Strange esgotou sua fortuna com vários tipos de tratamento, não importando se fossem ineficaz. Em questão de meses, o cirurgião tornou-se um desamparado, e teve que realizar uma série de procedimentos médicos suspeitos para sobreviver e pagar suas contas. A culpa de Strange sobre os erros de sua juventude pesaram sobre ele ao longo dos anos, suas lembranças da época nem sempre foram confiáveis.

Após ouvir rumores sobre o Ancião místico, Strange penhorou suas últimas posses em uma passagem para o Oriente. Strange encontrou o palácio Tibetano do Ancião,[5][7] mas o feiticeiro idoso se recusou a curá-lo, ao invés disso, ofereceu aulas de misticismo. Strange recusou, mas não pôde ir embora devido a uma tempestade de neve repentina. Enquanto esperava a tempestade terminar, Strange testemunhou o aprendiz do Ancião, o Barão Mordo, atacar por ciúmes o professor,[4][7] com esqueletos convocados misticamente, os quais o velho facilmente dissipou. Strange, com seu ceticismo diminuindo, confrontou Mordo sobre sua traição, mas Mordo respondeu com feitiços de contenção que impediram Strange de avisar ao Ancião ou de atacar Mordo fisicamente. Espantado com estas exibições de magia, Strange passou por uma mudança de ideologia. Percebeu que o único modo de impedir Mordo era aprender a magia, então, aceitou a oferta do Ancião. Satisfeito com a aceitação de Strange de modo altruísta, o Ancião removeu as restrições místicos, explicando que ele estava bem ciente da traição de Mordo mas preferiu mantê-lo por perto, a fim de controlar e possivelmente mudá-lo.

O Ancião sabia que Strange tinha potencial para servir como Mago Supremo, antes mesmo de seu primeiro encontro com ele. Assim, o Ancião planejou fazer o Dr. Strange seu sucessor. Então, Strange passou anos sob a tutela do Ancião, aprendendo a controlar os poderes místicos, do seu interior e do mundo, e a invocar os poderes dos Principados, seres poderosos, como Dormammu, Satannish e Vishanti, os quais residem em seus próprios reinos místicos. Alguns anos após a chegada de Strange, Mordo deixou o palácio do Ancião para buscar poderes maiores. Os dois rivais iriam colidir muitas vezes no futuro. Foi durante esse tempo que Strange passou por um teste contra a própria Morte. Como recompensa, foi dado a Strange vida eterna, e uma marca em forma de Ankh na testa que só aparece quando sua vida está em grande perigo. O próprio Ancião tinha alcançado quase imortalidade por passar neste teste a mais de 600 anos antes.

Durante seus primeiros anos como um estudante das artes místicas, estranha fez amizade com muitos feiticeiros de todo o mundo, incluindo o Lorde Julian Phyffe e Sir Clive Bentley da Grã-Bretanha; o Cardeal Alfeo Spinosa e o Conde Tancredo Carezzi da Itália; Omar Karindu, Rama Kaliph, e Turhan Barim do Oriente Médio; Wai Chee Yee e Sen-Yu da Ásia; e Aleister Kane, Kenneth Ward, e Frank Brukner da América. Strange também encontrou aliados entre a maioria dos heróis da Terra, auxiliando o Raposa Negra em pelo menos duas aventuras, enquanto outros aventureiros, como Immortalis e Terror, o olhavam com ceticismo.

Strange estudou magia com o Ancião por sete anos e voltou para os Estados Unidos na década de 70. Strange tornou-se um consultor místico, estabelecendo seu Sanctum Sanctorum em Greenwich Village, Nova York. Ele foi ajudado por Wong, o mais recente em uma linhagem de séculos, que havia servido o Ancião, e quem havia se tornado um criado bem como um amigo. Durante este tempo, Strange lutou contra entidades demoníacas, como os Possuidores, Aggamon, a Casa de Sombras, Zota, um Imp da Garrafa e KhLΘG. Strange também lutou contra o sobrenatural Pesadelo, o qual se alimenta dos pesadelos da humanidade, e se tornou um dos inimigos mais cruéis de Strange. A misteriosa reputação do doutor cresceu, e Strange até mesmo tornou-se um consultor ocasional para as autoridades locais e federai

Carreira de Super-Herói[editar | editar código-fonte]

Quando a estréia do Quarteto Fantástico anunciava a aurora da Era Heroica, Strange inicialmente permaneceu afastado da comunidade super-herói de Nova York, lutando secretamente contra o Pesadelo e o Barão Mordo. Em certo momento, Loki, o deus Asgardiano da trapaça, manipulou Strange a atacar seu irmão de criação, Thor. No entanto, a traição foi descoberta e Strange voltou-se contra Loki. Thor, mais tarde, sob o disfarce de Dr. Donald Blake, salvou a vida de Strange ao operá-lo após outra batalha contra Mordo. Logo depois, um confronto com Mordo levou Strange a aliar-se com o Homem-Aranha, o qual ajudou a resgatar várias pessoas de uma dimensão mística. Sendo uma experiência tão traumática que o Homem-Aranha pediu para Strange remover suas memórias sobre o evento, embora isso também os levou a esquecer o heroísmo do Homem-Aranha. Impressionado com a coragem e altruísmo do jovem herói, Strange o considerou como um amigo, e os dois uniram-se muitas vezes ao longo dos anos.

Dormammu, sentindo que o poder do Ancião diminuía, desafiou Strange para um duelo místico em sua Dimensão das Trevas, como parte de um plano maior para invadir o Reino da Terra e fundir com seu reino sombrio.[8] Enquanto estava lá, Strange foi abordado por Clea, uma mística principiante e, filha da irmã de Dormammu, Umar.[7][9] Clea temia que, se Dormammu caísse como governante da Dimensão das Trevas, as barreiras dimensionais enfraqueceriam e o reino seria devastado pelos Acéfalos. Clea, assim, procurou impedir o duelo,[7] mas Strange não se renderia. Dormammu facilmente superou Strange, mas perdera energia o suficiente para que os Acéfalos fossem capazes de invadir. Procurando salvar os habitantes desta Dimensão, Strange emprestou a Dormammu energia para restaurar a barreira. Enfurecido por sua própria fraqueza, Dormammu teve que poupar Strange, que negociou a salvação da Terra e de Clea.[8] No entanto, o vingativo Dormammu nunca se esqueceu da humilhação, e se tornou um dos inimigos mais implacáveis de Strange. Após a vitória, o Ancião presenteia Estranho com o Manto da Levitação.[8]

Strange juntou-se a vários super-heróis na batalha contra o poderoso Sundown. Agora, mais envolvido com a comunidade de super-heróis, tornou-se um consultor especial para as principais super-equipes, como o Quarteto Fantástico, os X-Men e os Vingadores. Meses depois de ir ao casamento de Reed e Sue Richards, Strange se reencontrou com seu próprio amor, Clea, que veio para viver com ele em Nova York.

Mais tarde, Strange foi exilado para uma dimensão hostil por Asmodeus, que tomou a forma do doutor na tentativa de pegar o Ancião de surpresa. Impedido de retornar para o Reino da Terra por leis metafísicas enquanto Asmodeus ocupava sua forma, Strange adotou uma nova forma com uma máscara (talvez imitando seus aliados super-heróis). Depois de derrotar Asmodeus, Strange manteve sua nova aparência para preservar o anonimato. Após descuidosamente revelar seu nome durante uma batalha contra o Pesadelo, a cósmica Eternidade, a quem Strange ajudava, concordou em devolver o anonimato alterando todos os documentos e memórias terrenas relevantes com o nome "Stephen Strange" para "Stephen Sanders".

Pouco depois, Strange resistiu à invasão dos Imortais, uma raça de demônios que uma vez que tinha dominado a Terra, e foram conduzidos pelo infernal Inominável. Para enfrentar o ataque, Strange manipulou o Príncipe Namor de Atlântida e o monstruoso Hulk para o ajudar. Com os Imortais derrotados, Strange parecia acreditar que o mundo estava salvo outras invasões. No entanto, Strange estava incomodado por sua arrogante exploração de Namor e Hulk, e decidiu abandonar a magia e voltar para a medicina como um consultor, altruisticamente desempenhando tarefas que antes acreditava estar abaixo dele.

O retorno de Strange à medicina durou apenas algumas semanas. Depois do Barão Mordo tentar matá-lo, Strange voltou para a feitiçaria e derrotou Mordo com a ajuda do Ancião. O Ancião, por razões próprias, reverteu o feitiço da Eternidade, restaurando o nome de "Stephen Strange" para os registros e memórias do mundo. Mas, o Inominável voltou e Strange teve que enfrentar a ameaça ao lado de Namor e Hulk.[10] Tornando-se amigos e, os três foram logo acompanhados pelo alienígena Surfista Prateado para formar os Defensores,[2][11] uma "não-equipe" que iria se reunir esporadicamente para atender às ameaças contra a Terra.[12]

Dinastia M[editar | editar código-fonte]

Quando a Feiticeira Escarlate utilizou seus poderes para remodelar toda a realidade, dando origem ao universo da Dinastia M, o Dr. Stephen Strange se transformou em um famoso e exemplar médico. Considerado um dos maiores psicólogos de todos os tempos.

Porém, mesmo sendo um humano, Stephen tem mais poder de fogo do que qualquer mutante, sendo o Mago Supremo da Terra. Porém, ele não revela seus poderes ao Mundo, exercendo suas atividades heroicas em segredo. Depois de ter derrotado sem piedade a Feiticeira Escarlate, acabou com a distorção da realidade provocado por ela.

Poderes e habilidades[editar | editar código-fonte]

Nesta realidade, o Doutor Estranho possui as mesmas habilidades de sua contraparte "oficial", ou seja, é o Mestre das Artes Místicas da Terra. A única diferença é que ele exerce sua função em segredo.

Novos Vingadores[editar | editar código-fonte]

Atualmente em atividade nos Novos Vingadores (Vingadores Secretos), um grupo formado pelos rebeldes que apoiaram o Capitão América, Thor, e alguns novos membros como Clint Barton e o próprio Dr. Estranho e Wolverine. Grupo formado após a prisão do Capitão América.

Poderes e habilidades[editar | editar código-fonte]

Stephen é um grande estrategista (sendo por essa razão o líder dos Defensores), e como parte do seu treinamento místico, se tornou um brilhante artista marcial (quase tão bom quanto o Punho de Ferro). Ao completar seus estudos, Stephen virou um dos seres mais poderosos da Marvel Comics. Seus poderes são todos de natureza mística, mas são separadas em categorias diferentes, e elas são:

Poderes pessoais: É um dos mais poderosos telepatas do planeta, sendo capaz de projetar seu corpo astral através da existência; possui também uma forma de mesmerismo, criando ilusões realistas e comunicando-se mentalmente com outros. Ele não precisa de magia para as suas habilidades telepáticas, no entanto, pode aumentá-las com fontes de energias mágicas, como o Olho de Agamotto, por exemplo.

Forças Universais: É capaz de manipular as energias mágicas da realidade, para uma quantidade quase infinita de efeitos. Com essas energias ele tem habilidades telecinéticas, projeta escudos de energia, teleporta a si e a outros, e pode destruir e transmutar um planeta inteiro.

Fraquezas[editar | editar código-fonte]

O Doutor Estranho tem apenas três fraquezas conhecidas, e elas são:

  • Ironicamente, a própria ciência: Não pode duplicar magicamente nada descoberto pela ciência humana;
  • Gestos e palavras mágicas: Depende destes para usar a magia, e pode ficar correr perigo caso fique mudo ou com as mãos imobilizadas
  • Seu próprio corpo: Apesar de todo o treinamento místico e marcial recebido, Stephen continua sendo um ser humano, podendo assim, ser afetado e/ou morto por balas, gases tóxicos e ataques de energia.

Utensílios Mágicos[4][editar | editar código-fonte]

O Doutor Estranho possui um arsenal de utensílios. Dentre eles podemos destacar 5 que mais lhe são úteis:

  • O Olho de Agamotto: que serve como um "protetor" de Stephen, revelando ilusões, dispensando magia, e gera rajadas de energias de grande força;
  • A Capa da Levitação: a quase indestrutível capa que permite ao seu utilizador voar;
  • O Livro de Vinshanti: Stephen o consulta várias vezes, para relembrar feitiços e encantamentos;
  • A Esfera de Agamotto: já que ele é um super-herói, utiliza este artefato mágico para localizar problemas no mundo e em outras dimensões, e;
  • A Jóia do Tempo: Doutor Estranho já foi dono da Jóia do tempo uma das 6 jóias do infinito.

Encantamentos[editar | editar código-fonte]

Dr. Estranho costuma conjurar feitiços poderosos para fins específicos, como por exemplo:

  • O Cone Conjurado, que transporta uma pessoa para outra realidade;
  • As Faixas Escarlates de Cyttorak, que imobilizam um oponente. Cyttorak é a mesma divindade mística que outrora serviu como fonte de poder ao Fanático; durante a saga Fear Itself, Cyttorak acaba escolhendo outro avatar para seu poder, Colossus, já que Fanático havia sido corrompido pelo poder da Serpente de Asgard;
  • Os Raios do Caos, uma arma ofensiva;
  • As Chamas de Faltine, uma outra arma ofensiva;
  • As Imagens de Ikonn que criam imagens duplicadas de si mesmo para confundir o inimigo;
  • Os Sete Anéis de Raggadorr, sete anéis azuis de energia que o circundam e rebatem ataques;
  • A Luz do Olho de Agamotto, o Olho que Tudo Vê que dispersa encantamentos e revela a verdade;
  • A Esfera de Agamotto,utiliza este artefato mágico para localizar problemas em todo o Mundo e também em outras Dimensões.
  • O Escudo de Seraphim, uma barreira protetora;
  • Os Vapores de Valtorr, uma neblina que obscurece;
  • Os Ventos de Watoomb, uma arma ofensiva ou meio de transporte;
  • As Algemas de Krakkan que prende o inimigo em algemas poderosas;
  • Os Sete Sóis de Cinnibus, uma descarga de energia que torna-se quente como sete sóis;
  • A Esfera do Feiticeiro, uma bolha negra que o protege e absorve as energias místicas do ambiente;
  • As Forças divinas: O Doutor Estranho pode absorver energias de entidades misticas e não-misticas para aumentar a força de seus feitiços.

Inimigos[editar | editar código-fonte]

  • Barão Karl Mordo: Mago traidor e discípulo de Dormammu;
  • Chthon: deus ancestral de magia negra, descrito no Darkhold;
  • D'Spayre: um Senhor do Medo criado pelo Morador das Trevas, para encarnar desespero;
  • Dormammu: Arquinimigo de Dr. Estranho, é um ser místico que vive nas profundezas de um mundo de pesadelos em outra dimensão, e pretende dominar as outras;
  • Drácula: morto-vivo, senhor dos vampiros;
  • Morador das Trevas: mais antigo que o universo 616 e o mais poderoso dos Senhores do Medo;
  • In-Betweener: agente de equilíbrio entre as forças do Caos e Ordem, desejando rebeldemente e impiedosamente reequilibrar o universo de acordo com seus desejos;
  • Kaluu: imortal, arqui-rival do Ancião, grande mestre humano de magia negra;
  • Lilith: antigo demônio feminino ligado à antiga Atlântida, mãe da Lilin;
  • Mephisto: um dos mais poderosos senhores dos infernos;
  • Pesadelo: um Senhor do Medo que governa os sonhos infestados de todos os seres humanos, e um dos maiores inimigos de Strange.
  • Nox: um dos Senhores do Medo;
  • Satannish: um dos mais poderosos senhores do inferno, criado por Dormammu há bilhões de anos atrás;
  • Set: deus ancestral do caos, e mestre da Coroa da Serpente;
  • Shuma-Gorath: um dos maiores imortais dos muitos ângulos. Responsável pela morte do mentor de Estranho, o Ancião;
  • Silver Dagger: ex-cardeal da Igreja Católica, que enlouqueceu depois de ler o Darkhold, e transformado em um fanático caçador de bruxas, acreditando seem elas uma afronta ao Senhor;
  • Umar: irmã de Dormammu. Uma entidade motivada pelo hedonismo, o sadismo e a sede de poder;
  • Urthona: mago alienígena que tentou usurpar o poder de Estranho;
  • Xandu: feiticeiro em busca do poder através da Vara de Watoomb;
  • Yandroth: o Supremo Cientista do seu Universo, colocando a combinação de sua tecnologia e conhecimento de feitiçaria contra a magia de Estranho, e;
  • Zom: o demônio mais poderoso existente, além da capacidade da própria Eternidade para derrotá-lo.

Em outras mídias[editar | editar código-fonte]

Desenhos Animados[editar | editar código-fonte]

Filmes[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Doutor Estranho (filme)
  • Em 1978, a MCA realizou um filme televisivo do Dr. Estranho estrelado por Peter Hooten e dirigido por Philip DeGuerre. Stan Lee ajudou na produção, que visava ser um piloto para uma série nos moldes de O Incrível Hulk.[13]
O ator Benedict Cumberbatch foi escolhido para interpretar o personagem no cinema

Dr. Estranho também foi mencionado no filme Capitão América 2: O Soldado Invernal, por Jasper Sitwell como uma das possíveis ameaças aos planos da HIDRA detectados pelo o algoritmo de Arnim Zola. Ele também é mencionado em Homem-Aranha 2, pelo personagem J. J. Jameson: "é bom, mas já existe".

Dr. Estranho pode ter uma pequena aparição importante no filme Thor: Ragnarök.[carece de fontes?]

Videogames[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Doutor Estranho #183
  2. a b c d "10 HQs indispensáveis para conhecer o Doutor Estranho!" (em PT-BR). Legião dos Heróis. Grupo UOL. Visitado em 09/11/2016.
  3. Howe, Sean (2016). Marvel Comics : a história secreta (Google Livros: Leya). ISBN 9788580448795. Consultado em 09/11/2016. 
  4. a b c «Doutor Estranho - 50 Anos». Omelete Clube. Grupo UOL. Consultado em 09/11/2016. 
  5. a b "6 passos para entender ‘Doutor Estranho’, a nova aposta da Marvel | VEJA.com". VEJA.com. Editora Abril. Visitado em 09/11/2016.
  6. Strange Tales #115
  7. a b c d "A trajetória do Doutor Estranho nos quadrinhos e no cinema" (em PT-BR). Omelete Clube. Grupo UOL. Visitado em 09/11/2016.
  8. a b c (05/11/2016) "Crítica: Doutor Estranho: Duelo com Dormammu (Strange Tales #126 e 127)" (em PT-BR). Plano Crítico. Visitado em 09/11/2016.
  9. Strange Teles #126
  10. Defensores #1
  11. Defensores #3
  12. «Dr. Stephen Strange no Marvel Wikia». Consultado em 7 de Novembro de 2016. 
  13. «MARVEL IN THE 1970'S: DR STRANGE AND CAPTAIN AMERICA». Twitch Film [S.l.: s.n.] Consultado em 2011-10-06. 
  14. Chitwood, Adam (May 3, 2013). «Kevin Feige Says DOCTOR STRANGE Is “Next Up” for Marvel to Explore; Hints at Possible Phase Three Release». Collider. Consultado em May 3, 2013. 
  15. 3 MOS. «Marvel Cliffhanger: Robert Downey Jr.'s $50 Million Sequel Showdown». Hollywoodreporter.com. Consultado em 2013-08-03. 


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Fanboy Ent.