Dr. Fritz

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Dr. Fritz é o nome que diversos cirurgiões psíquicos atribuíram ao espírito que alegaram incorporar. O suposto médium brasileiro Zé Arigó teria sido o primeiro, na década de 1950, com outros continuando até os dias de hoje. Não há evidências de que ele realmente tenha existido.[1]

Supostas manifestações[editar | editar código-fonte]

Na década de 1950, Zé Arigó realizava atendimentos médicos e cirurgias espirituais enquanto falava imitando um sotaque alemão[2] e afirmava estar canalizando um espírito denominado Dr. Adolf Fritz, um médico alemão falecido na Primeira Guerra Mundial. Arigó tornou-se famoso no Brasil e no exterior, e foi tema de documentários e livros. Arigó escrevia receitas em uma letra incompreensível que somente seu irmão, um farmacêutico, supostamente era capaz de compreender. Arigó foi processado e preso duas vezes por exercício ilegal da medicina, e morreu em um acidente automobilístico em 1971.[1]

Após a morte de Arigó, diversos outros supostos médiuns afirmaram simultaneamente canalizar o espírito do Dr. Fritz, incluindo Edson Cavalcante Queiroz, um ginecologista, e Rubens Farias Jr., de São Paulo, que misturava com as alegações paranormais outras crenças alternativas como teosofia e antroposofia.[1]

Todas as informações acerca da vida de Fritz provêm de supostas comunicações mediúnicas, incluindo relatos contraditórios. Apesar de buscas exaustivas, nenhum pesquisador jamais encontrou registros de sua existência.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «Dr, Fritz». The Skeptic's Dictionary (em inglês). Consultado em 31 de dezembro de 2020 
  2. Lisboa, Silvia (4 de novembro de 2016). «Espíritos com bisturis». Superinteressante. Consultado em 31 de dezembro de 2020