Dr. Paulo Egydio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.

Dr. Paulo Egydio é um especialista em urologia e andrologista brasileiro, autor da Técnica de Egydio para o tratamento da Doença de Peyronie.

Nascido em São Paulo, na cidade de Monte Aprazível, é filho de um funcionário público e uma cabeleireira.

O Dr. Paulo Egydio se interessou, desde a infância, por matemática, especificamente geometria. Mais tarde, aplicou princípios espaciais, físicos e biomecânicos na medicina, aprimorando com base em princípios geométricos uma técnica já consagrada na comunidade médica para o tratamento da curvatura peniana[1].

Ele se formou em Medicina pela Universidade Federal de Juiz de Fora e foi autor da Técnica Egydio durante seu Doutorado na Universidade de São Paulo.

Vida acadêmica[editar | editar código-fonte]

O Dr. Paulo Egydio cursou licenciatura em Medicina na Universidade Federal de Juiz de Fora. Ele iniciou a graduação em 1984 e se formou em 1990.

Fez residência por cinco anos no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, entre 1991 e 1993, tendo como área de estudo a Cirurgia Geral e entre 1993 e 1996, com foco em Urologia. Durante o período de residência, em 1994, realizou pós-graduação “Lato Sensu” em Urologia pela Mayo Clinic School of Medicine em Jacksonville, Florida.

Em 1996, o médico ingressou no Doutorado de Urologia pela Universidade de São Paulo, que concluiu em 2001, com foco em “Curvatura Peniana e Correção Cirúrgica da Doença de Peyronie”. Cursou, em 1997, especialização “Lato Sensu” no Cleveland Clinic, no centro de função sexual, em Ohio, nos Estados Unidos, onde fez aperfeiçoamento de Microcirurgia e Cirurgia Minimamente Invasiva.

Em 1998, Dr. Paulo Egydio criou o primeiro ambulatório de Doença de Peyronie da Universidade de São Paulo - Hospital das Clínicas, que funcionou até o ano 2006. Ele teve o projeto aprovado pelo professor titular de urologia Prof. Dr. Sami Arap. Neste ambulatório se originou a tese de doutoramento em urologia (PhD) no tratamento cirúrgico da Doença de Peyronie, que permitiu ao médico tratar pacientes pelo Sistema Único de Saúde durante oito anos.

Carreira[editar | editar código-fonte]

O médico se dedica ao tratamento da correção cirúrgica de deformidades penianas e implantes de próteses maleável e inflável desde 1997. Ele é especialista no campo da cirurgia urogenital e já realizou mais de 7 mil cirurgias para recuperar o pênis dos homens[2].

Com trajetória acadêmica-científica, é revisor de artigos científicos, autor de publicações em livros e periódicos de renome, como The Journal of Urology, Urology, The Journal of Sexual Medicine, International Journal of Impotence Research, British Journal of Urology, International Brazilian Journal of Urology, entre outros.

O Dr. Paulo Egydio é registrado no Conselho Federal de Medicina, no Brasil, e na Ordem dos Médicos, em Portugal, além de ser membro de entidades nacionais e internacionais, como Sociedade Brasileira de Urologia, European Association of Urology, European Society for Sexual Medicine, Associação Portuguesa de Urologia, American Urological Association e Sociedade Internacional de Medicina Sexual. Paulo Egydio também faz parte do grupo de cirurgia peniana, no quadro de cirurgiões da seção da Sociedade Europeia de Cirurgia Reconstrutiva Genito-Urinária, da European Association of Urology.

A estratégia de autoria do Dr. Paulo Egydio, conhecida como Egydio’s Technique, faz parte das diretrizes da American Urological Association, Canadian Urological Association e European Association of Urology.

É convidado a como professor visitante, para ministrar aulas, palestras e cirurgias demonstrativas ao vivo na América, Europa, Ásia, África e Oceania. Paulo Egydio também colabora em congressos nacionais e internacionais, e, em 2019, foi o vencedor do Debate do Sobrevivente, promovido pela American Urological Association em Chicago, Estados Unidos, ao apresentar a Técnica Egydio para um caso de doença de Peyronie severa associado à disfunção erétil.

Atualmente é diretor técnico no EMC - Egydio Medical Center -, em São Paulo, onde aplica as técnicas atualizadas em seus tratamentos e atende pacientes do Brasil e do exterior.

Técnica Egydio[editar | editar código-fonte]

  • O que é

A Técnica Egydio consiste no aprimoramento de uma estratégia reconhecida e incorporada na estatística de correção de Peyronie. O Conselho Regional de Medicina de São Paulo, em seu Parecer nº 99.212/10, concluiu que:

“A técnica empregada pelo Dr. P.H.E. é uma modificação de uma técnica cirúrgica já consagrada mundialmente, e sua contribuição no aprimoramento desta técnica é reconhecida e incorporada na estatística de correção Peyronie.”[3]

A partir de uma incisão subcoronal, realizam-se múltiplas incisões verticais em pacientes que apresentam afinamento peniano para a maior expansão do tecido do pênis, enquanto que, em pacientes com perda de tamanho aplicam-se incisões horizontais, permitindo que o membro seja alongado até os limites dos nervos e da uretra.

A técnica possui patentes nos Estados Unidos[4] e Inglaterra[5].

  • Criação

Esta estratégia foi desenvolvida no ambulatório de Doença de Peyronie do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo em 1999. O método foi a base para a tese de doutoramento (PhD) do Dr. Paulo Egydio na Universidade de São Paulo em 2000.

A primeira cirurgia do tipo foi realizada em 21 de abril de 1999.

  • Histórico da técnica

Os princípios geométricos que compõem a estratégia cirúrgica de autoria do Dr. Paulo Egydio foram se popularizando ao longo dos anos. Em 2004 o urologista Dr. Harris Nagler, em carta enviada ao médico, se referiu a ela como Egydio’s Technique, ou Técnica de Egydio.

Em 2008, Mulhall J. et al, apresentou um estudo no boletim da American Urological Association, sobre incisões na placa e chamou a estratégia cirúrgica dos princípios geométricos de Egydio’s Geometrical Incision ou Incisão Geométrica de Egydio[6].

Em 2011, Sansalone S. et al, publicou um estudo no Asian Journal of Andrology, com uma casuística de 157 pacientes que foram acompanhados entre os anos 2004 e 2008, utilizando os princípios geométricos publicados pelo Dr. Paulo Paulo Egydio. Esta estratégia foi referenciada na literatura como Egydio's Technique ou Técnica Egydio[7].

Em 2015, Konstantinidis K. et al. publicou um estudo no Jornal Árabe de Urologia, com uma casuística de 330 pacientes utilizando os princípios geométricos desenvolvidos pelo Paulo Egydio e o referenciou como Egydio's Geometrical Procedure, ou Procedimento Geométrico de Egydio[8].

Ao longo do tempo, urologistas do Brasil e do exterior que utilizam esses princípios de autoria do Dr. Paulo Egydio têm referenciado a estratégia como Técnica de Egydio, como reconhecimento pela dedicação e empenho do médico no tratamento para a Doença de Peyronie.

Livros e Capítulos[editar | editar código-fonte]

  • 2020: Peyronie’s Disease: Pathophysiology and Treatment

Capítulo: A tunica expansion procedure (TEP): an innovative non-grafting proposal for penile enlargement (the Egydio TEP strategy)

  • 2014: Como Cuidar do Seu Melhor Amigo (Que Não É o Seu Cão)[9]
  • 2010: Atlas of Reconstructive Penile Surgery

Reconstructive Surgery for Peyronie’s Disease – Geometric Plaque Surgery

  • 2007: Clínica Cirúrgica – Universidade de São Paulo (USP) - Hospital das Clínicas

Deformidade Peniana Adquirida (Doença de Peyronie)

  • 2007: Disfunção Sexual na Doença de Peyronie

Disfunção Sexual: Diagnóstico e Tratamento

  • 2007: Peyronie's Disease. A Guide to Clinical Management;

Surgical Straightening with Tunical Incision and Grafting Technique - Singe Relaxing Incision Based on Geometrical Principles.

  • 2000: Correção da Deformidade Peniana na Doença de Peyronie com Incisão Circunferencial Incompleta em Duplo Y na Placa e Enxerto de Pericárdio Bovino

Referências

  1. Ferreira, Christiane (1 de agosto de 2019). «Comum depois dos 50 anos, pênis torto atrapalha sexo, mas tem solução». UOL. Universa. Consultado em 11 de março de 2021 
  2. Lenharo, Mariana (26 de setembro de 2016). «Cirurgia íntima: entenda procedimento feito por mulheres e homens». G1. G1 Bem Estar. Consultado em 11 de março de 2021 
  3. «Parecer do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo». Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo. Consultado em 11 de março de 2021 
  4. «Patente Americana da Técnica Egydio». World Intellectual Property Organization. Consultado em 11 de março de 2021 
  5. «Patente Europeia da Técnica Egydio». Espacenet. Consultado em 11 de março de 2021 
  6. «Erectile dysfunction after plaque incision and grafting: short-term assessment of incidence and predictors». Stefan Flores, Judy Choi, Byron Alex, John P Mulhall. Consultado em 12 de março de 2021 
  7. «Long-term results of the surgical treatment of Peyronie's disease with Egydio's technique: a European multicentre study». Sansalone S, Garaffa G, Djinovic R, Pecoraro S, Silvani M, Barbagli G, Zucchi A, Vespasiani G, Loreto C. Consultado em 11 de março de 2021 
  8. «The Egydio geometrical procedure for managing penile curvature using a single relaxing incision: A single-centre experience with 330 patients». Konstantinidis K, Kuehhas F, Papatsoris A. Consultado em 11 de março de 2021 
  9. EGYDIO, Paulo (2014). Como Cuidar do Seu Melhor Amigo (Que Não É o Seu Cão). São Paulo: Paulo Henrique Egydio. ISBN 9788565122030