Dragon (espaçonave)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Dragon SpaceX)
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido (desde janeiro de 2014). Ajude e colabore com a tradução.


Dragon
Uma Dragon variante CRS em aproximação da ISS em Maio de 2012.
Origem
País  Estados Unidos
Fabricante SpaceX
Operação
Transportar carga e astronautas para a ISS e trazê-los de volta.
Tipo de missão
Versão específica para transporte espacial
Características físicas
Altura 6,1 m
Diâmetro 3,7 m
Volume 10 m3 pressurizados e
14 m3 não pressurizados
Massa 4.200 kg
Carga útil 3.310 kg na subida e
2.500 kg na descida

Dragon é a designação de uma espaçonave capaz de levar carga e/ou uma tripulação de até sete pessoas à uma órbita terrestre baixa (LEO). Ela tem a capacidade de se ligar aos segmentos não-russos da Estação Espacial Internacional. A Dragon foi desenvolvida e é fabricada pela SpaceX, uma empresa privada Norte americana.

O nome[editar | editar código-fonte]

O diretor e executivo e dono da SpaceX, Elon Musk, batizou a espaçonave como Dragon, em referência à música "Puff, the Magic Dragon" (1963) de Peter, Paul and Mary, como resposta aos críticos que consideravam seus projetos de voos espaciais impossíveis.[1]

Variantes[editar | editar código-fonte]

Dragon CRS[editar | editar código-fonte]

A variante Dragon CRS é projetada especificamente para voos de carga para a ISS. A capsula é capturada pelo Canadarm2, usando um artefato específico do tipo "presilha", e acopla a Dragon ao segmento orbital Norte americano usando um mecanismo do tipo "common berthing mechanism".[2] A Dragon CRS, não possui meios de manter uma atmosfera para astronautas. Ela usa a atmosfera da ISS quando acoplada.[3] Nas missões típicas, a expectativa é de que a Dragon CRS permaneça acoplada à ISS por 30 dias.[4]

DragonLab[editar | editar código-fonte]

Representação artística da espaçonave Dragon CRS prestes a ser acoplada à ISS para a entrega de carga e mantimentos.

A intenção da variante DragonLab, é atuar em outras missões não tripuladas que não sejam para a NASA nem para a ISS.[5] A DragonLab é uma espaçonave reutilizável, com controle de voo e capaz de transportar cargas úteis pressurizadas ou não. Em Agosto de 2013, havia duas missões para a DragonLab listadas na carteira da SpaceX: uma em 2016 e outra em 2018.[6]

DragonRider[editar | editar código-fonte]

Um modelo da espaçonave DragonRider, exibindo os motores do sistema de escape no lançamento no exterior da cápsula, à direita.[7]

A DragonRider, é a versão tripulada da Dragon. Vai suportar uma tripulação de sete pessoas ou uma combinação de tripulação e carga.[8][9] Está planejada para executar voos autônomos automáticos ou manuais, e xecutando manobras de acoplamento.[5][10]

Para missões típicas, está previsto que a DragonRider permaneça acoplada à ISS por um período de 180 a 210 dias, o mesmo que a Soyuz já faz hoje.[11][12][13]

A SpaceX planeja usar um sistema de escape no lançamento integrado à espaçonave, defendendo muitas vantagens deste sobre o sistema de torre de tração destacável usado na maioria dos voos tripulados de espaçonaves anteriores.[14][15][16] Essas vantagens incluem: a disponibilidade de um sistema de escape durante todo o voo até a órbita, reutilização do sistema de escape, melhoria na segurança da tripulação eliminando um sistema de separação de estágio, a possibilidade de usar os motores do sistema de escape como retro foguetes durante um pouso em terra firme.[17] Um paraquedas de emergência vai ser mantido como um sistema redundante e para pousos na água.[17]

A Paragon Space Development Corporation está dando assistência no desenvolvimento do sistema de suporte à vida da DragonRider.[18] A SpaceX está em negociação com fornecedores de material orbital para o desenvolvimento de um traje espacial a ser usado durante o lançamento e a reentrada. [19] Em uma conferência da NASA em 18 de Maio de 2012, a SpaceX confirmou novamente que o seu objetivo é manter o preço do lançamento de missões usando a DragonRider em US$ 140.000.000,00 ou US$ 20.000.000,00 por assento com uma tripulação máxima de 7 pessoas a bordo. Em contraste com os US$ 63.000.000,00 por assento para uma astronauta da NASA, pagos em um lançamento usando a espaçonave Soyuz.[20]

Voos efetuados[editar | editar código-fonte]

Missão COTS Demo Flight 1[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de dezembro de 2010, um foguete Falcon 9 carregando a cápsula Dragon foi lançado de Cabo Canaveral na Florida. A operação foi um sucesso e a Dragon se separou do foguete aproximadamente 10 minutos após o lançamento. Após completar duas órbitas ao redor da Terra a cápsula retornou pousando no Oceano Pacífico. Foi a primeira vez na história que uma espaçonave privada atingiu a órbita e foi trazida de volta para a superfície.[21][22] Em dezembro de 2011, a NASA anunciou a intenção de lançar uma espaçonave "Dragon" para abastecer a Estação Espacial Internacional, tornando-se assim a primeira missão comercial e privada para esse fim.[23]

Missão COTS Demo Flight 2[editar | editar código-fonte]

O início da segunda missão, que incluiu um acoplamento com a Estação Espacial Internacional (ISS), era inicialmente planejado para 19 de maio de 2012. Foi a primeira tentativa de uma empresa privada para enviar uma cápsula de reabastecimento à Estação Espacial. O lançamento foi abortado pouco após a ignição, devido à alta pressão no motor de combustão da câmara 5.[24]

Em 22 de maio de 2012 ocorreu a segunda tentativa de lançamento do foguete Falcon 9. A cápsula não tripulada Dragon atingiu a órbita terrestre dez minutos após seu lançamento a partir do Cabo Canaveral.[25] A cápsula foi então capturada pelo braço robótico Canadarm2, atingindo com sucesso o objetivo de ser o primeiro voo privado para a Estação.[26] Esta missão, que incluiu o transporte de alimentos, abastecimentos e experiências para a EEI, que orbita a 385 quilômetros da Terra, foi um passo para a privatização da exploração espacial. A NASA encerrou no fim de 2011, após três décadas, o seu programa de viagens espaciais e a empresa SpaceX, com sede em Hawthorne (Califórnia), recebeu um contrato de 1,6 bilhões de dólares do programa de Serviços de Transportes de Órbita Comerciais (COTS) para a fabricação da cápsula Dragon e 12 missões de provisionamento da ISS.[24]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «5 Fun Facts About Private Rocket Company SpaceX». Space.com. 21/05/2012. Consultado em 12/01/2014. 
  2. Bergin, Chris (12/04/2012). «ISS translates robotic assets in preparation to greet SpaceX’s Dragon». NASASpaceflight.com. Consultado em 12/01/2014. 
  3. Hernandez, Brenda J. (2011). «SpaceX Dragon Air Circulation System» (PDF). SpaceX / American Institute of Aeronautics and Astronautics. Consultado em 12/01/2014. 
  4. «NASA Advisory Council Space Operations Committee» (PDF). NASA. Julho de 2010. Consultado em 12/01/2014. 
  5. a b «Dragon Overview». SpaceX. Consultado em 12/01/2014. 
  6. «Future Missions». SpaceX. Consultado em 12/01/2014. 
  7. Simberg, Rand (14/06/2012). «Elon And Charlie». Transterrestrial Musings. Consultado em 12/01/2014. 
  8. «Q+A: SpaceX Engineer Garrett Reisman on Building the World's Safest Spacecraft». PopSci. 13/04/2012. Consultado em 12/01/2014. 
  9. «SpaceX Completes Key Milestone to Fly Astronauts to International Space Station». SpaceX. 20/10/2011. Consultado em 12/01/2014. 
  10. Parma, George (20/03/2011). «Overview of the NASA Docking System and the International Docking System Standard» (PDF). NASA. Consultado em 12/01/2014. 
  11. Bayt, Rob (26/07/2011). «Commercial Crew Program: Key Driving Requirements Walkthrough». NASA. Consultado em 12/01/2014. 
  12. Oberg, Jim (28/03/2007). «Space station trip will push the envelope». MSNBC. Consultado em 12/01/2014. 
  13. Bolden, Charles (09/05/2012). «2012-05-09_NASA_Response» (PDF). NASA. Consultado em 12/01/2014. 
  14. Com exceção da espaçonave do Projeto Gemini, que usava dois assentos ejetores: "Encyclopedia Astronautica: Gemini Ejection".
  15. Chow, Denise (18/04/2011). «Private Spaceship Builders Split Nearly $270 Million in NASA Funds». Space.com. Consultado em 12/01/2014. 
  16. «Spaceship teams seek more funding». MSNBC. 10/12/2010. Consultado em 12/01/2014. 
  17. a b «Taking the next step: Commercial Crew Development Round 2». SpaceX. 17/01/2011. Consultado em 12/01/2014. 
  18. «In the news Paragon Space Development Corporation Joins SpaceX Commercial Crew Development Team». Paragon Space Development Corporation. 16/06/2011. Consultado em 12/01/2014. 
  19. Sofge, Eric (19/11/2012). «The Deep-Space Suit». PopSci. Consultado em 12/01/2014. 
  20. «SpaceX scrubs launch to ISS over rocket engine problem». Deccan Chronicle. 19/05/2012. Consultado em 12/01/2014. 
  21. «Empresa privada americana lança com sucesso cápsula espacial». Globo Comunicação e Participações S.A. 08/12/2010. Consultado em 12/01/2014. 
  22. «Cápsula de carga privada vai ao espaço e volta à Terra pousando no oceano Pacífico». Folha de S.Paulo. 08/12/2010. Consultado em 12/01/2014. 
  23. «Nasa anuncia 1º voo privado de carga à Estação Internacional». Grupo Estado. 09/12/2011. Consultado em 12/01/2014. 
  24. a b «Fracassa 1º lançamento de foguete privado por possível problema de motor». UOL. 19/05/2012. Consultado em 12/01/2014. 
  25. «Primeiro voo privado para Estação Espacial está em órbita». IOL.pt. 22/05/2012. Consultado em 12/01/2014. 
  26. «Cápsula não tripulada Dragon da SpaceX chegou à Estação Espacial Internacional». SIC notícias. 25/05/2012. Consultado em 12/01/2014. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Dragon (espaçonave)