Dragon (espaçonave)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Dragon SpaceX)
Ir para: navegação, pesquisa
Translation Latin Alphabet.svg
Este artigo ou seção está a ser traduzido (desde janeiro de 2014). Ajude e colabore com a tradução.


Dragon
Uma Dragon variante CRS em aproximação da ISS em Maio de 2012.
Origem
País  Estados Unidos
Fabricante SpaceX
Operação
Transportar carga e astronautas para a ISS e trazê-los de volta.
Tipo de missão
Versão específica para transporte espacial
Características físicas
Altura 6,1 m
Diâmetro 3,7 m
Volume 10 m3 pressurizados e
14 m3 não pressurizados
Massa 4.200 kg
Carga útil 3.310 kg na subida e
2.500 kg na descida

Dragon é a designação de uma espaçonave capaz de levar carga e/ou uma tripulação de até sete pessoas à uma órbita terrestre baixa (LEO). Ela tem a capacidade de se ligar aos segmentos não-russos da Estação Espacial Internacional. A Dragon foi desenvolvida e é fabricada pela SpaceX, uma empresa privada Norte americana.

O nome[editar | editar código-fonte]

O diretor e executivo e dono da SpaceX, Elon Musk, batizou a espaçonave como Dragon, em referência à música "Puff, the Magic Dragon" (1963) de Peter, Paul and Mary, como resposta aos críticos que consideravam seus projetos de voos espaciais impossíveis.[1]

Variantes[editar | editar código-fonte]

Dragon CRS[editar | editar código-fonte]

A variante Dragon CRS é projetada especificamente para voos de carga para a ISS. A capsula é capturada pelo Canadarm2, usando um artefato específico do tipo "presilha", e acopla a Dragon ao segmento orbital Norte americano usando um mecanismo do tipo "common berthing mechanism".[2] A Dragon CRS, não possui meios de manter uma atmosfera para astronautas. Ela usa a atmosfera da ISS quando acoplada.[3] Nas missões típicas, a expectativa é de que a Dragon CRS permaneça acoplada à ISS por 30 dias.[4]

DragonLab[editar | editar código-fonte]

Representação artística da espaçonave Dragon CRS prestes a ser acoplada à ISS para a entrega de carga e mantimentos.

A intenção da variante DragonLab, é atuar em outras missões não tripuladas que não sejam para a NASA nem para a ISS.[5] A DragonLab é uma espaçonave reutilizável, com controle de voo e capaz de transportar cargas úteis pressurizadas ou não. Em Agosto de 2013, havia duas missões para a DragonLab listadas na carteira da SpaceX: uma em 2016 e outra em 2018.[6]

DragonRider[editar | editar código-fonte]

Um modelo da espaçonave DragonRider, exibindo os motores do sistema de escape no lançamento no exterior da cápsula, à direita.[7]

A DragonRider, é a versão tripulada da Dragon. Vai suportar uma tripulação de sete pessoas ou uma combinação de tripulação e carga.[8][9] Está planejada para executar voos autônomos automáticos ou manuais, e xecutando manobras de acoplamento.[5][10]

Para missões típicas, está previsto que a DragonRider permaneça acoplada à ISS por um período de 180 a 210 dias, o mesmo que a Soyuz já faz hoje.[11][12][13]

A SpaceX planeja usar um sistema de escape no lançamento integrado à espaçonave, defendendo muitas vantagens deste sobre o sistema de torre de tração destacável usado na maioria dos voos tripulados de espaçonaves anteriores.[14][15][16] Essas vantagens incluem: a disponibilidade de um sistema de escape durante todo o voo até a órbita, reutilização do sistema de escape, melhoria na segurança da tripulação eliminando um sistema de separação de estágio, a possibilidade de usar os motores do sistema de escape como retro foguetes durante um pouso em terra firme.[17] Um paraquedas de emergência vai ser mantido como um sistema redundante e para pousos na água.[17]

A Paragon Space Development Corporation está dando assistência no desenvolvimento do sistema de suporte à vida da DragonRider.[18] A SpaceX está em negociação com fornecedores de material orbital para o desenvolvimento de um traje espacial a ser usado durante o lançamento e a reentrada. [19] Em uma conferência da NASA em 18 de Maio de 2012, a SpaceX confirmou novamente que o seu objetivo é manter o preço do lançamento de missões usando a DragonRider em US$ 140.000.000,00 ou US$ 20.000.000,00 por assento com uma tripulação máxima de 7 pessoas a bordo. Em contraste com os US$ 63.000.000,00 por assento para uma astronauta da NASA, pagos em um lançamento usando a espaçonave Soyuz.[20]

Voos efetuados[editar | editar código-fonte]

Missão COTS Demo Flight 1[editar | editar código-fonte]

No dia 8 de dezembro de 2010, um foguete Falcon 9 carregando a cápsula Dragon foi lançado de Cabo Canaveral na Florida. A operação foi um sucesso e a Dragon se separou do foguete aproximadamente 10 minutos após o lançamento. Após completar duas órbitas ao redor da Terra a cápsula retornou pousando no Oceano Pacífico. Foi a primeira vez na história que uma espaçonave privada atingiu a órbita e foi trazida de volta para a superfície.[21][22] Em dezembro de 2011, a NASA anunciou a intenção de lançar uma espaçonave "Dragon" para abastecer a Estação Espacial Internacional, tornando-se assim a primeira missão comercial e privada para esse fim.[23]

Missão COTS Demo Flight 2[editar | editar código-fonte]

O início da segunda missão, que incluiu um acoplamento com a Estação Espacial Internacional (ISS), era inicialmente planejado para 19 de maio de 2012. Foi a primeira tentativa de uma empresa privada para enviar uma cápsula de reabastecimento à Estação Espacial. O lançamento foi abortado pouco após a ignição, devido à alta pressão no motor de combustão da câmara 5.[24]

Em 22 de maio de 2012 ocorreu a segunda tentativa de lançamento do foguete Falcon 9. A cápsula não tripulada Dragon atingiu a órbita terrestre dez minutos após seu lançamento a partir do Cabo Canaveral.[25] A cápsula foi então capturada pelo braço robótico Canadarm2, atingindo com sucesso o objetivo de ser o primeiro voo privado para a Estação.[26] Esta missão, que incluiu o transporte de alimentos, abastecimentos e experiências para a EEI, que orbita a 385 quilômetros da Terra, foi um passo para a privatização da exploração espacial. A NASA encerrou no fim de 2011, após três décadas, o seu programa de viagens espaciais e a empresa SpaceX, com sede em Hawthorne (Califórnia), recebeu um contrato de 1,6 bilhões de dólares do programa de Serviços de Transportes de Órbita Comerciais (COTS) para a fabricação da cápsula Dragon e 12 missões de provisionamento da ISS.[24]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «5 Fun Facts About Private Rocket Company SpaceX». Space.com. 21 de maio de 2012. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  2. Bergin, Chris (12 de abril de 2012). «ISS translates robotic assets in preparation to greet SpaceX's Dragon». NASASpaceflight.com. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  3. Hernandez, Brenda J. (2011). «SpaceX Dragon Air Circulation System» (PDF). SpaceX / American Institute of Aeronautics and Astronautics. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  4. «NASA Advisory Council Space Operations Committee» (PDF). NASA. Julho de 2010. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  5. a b «Dragon Overview». SpaceX. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  6. «Future Missions». SpaceX. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  7. Simberg, Rand (14 de junho de 2012). «Elon And Charlie». Transterrestrial Musings. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  8. «Q+A: SpaceX Engineer Garrett Reisman on Building the World's Safest Spacecraft». PopSci. 13 de abril de 2012. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  9. «SpaceX Completes Key Milestone to Fly Astronauts to International Space Station». SpaceX. 20 de outubro de 2011. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  10. Parma, George (20 de março de 2011). «Overview of the NASA Docking System and the International Docking System Standard» (PDF). NASA. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  11. Bayt, Rob (26 de julho de 2011). «Commercial Crew Program: Key Driving Requirements Walkthrough». NASA. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  12. Oberg, Jim (28 de março de 2007). «Space station trip will push the envelope». MSNBC. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  13. Bolden, Charles (9 de maio de 2012). «2012-05-09_NASA_Response» (PDF). NASA. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  14. Com exceção da espaçonave do Projeto Gemini, que usava dois assentos ejetores: "Encyclopedia Astronautica: Gemini Ejection".
  15. Chow, Denise (18 de abril de 2011). «Private Spaceship Builders Split Nearly $270 Million in NASA Funds». Space.com. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  16. «Spaceship teams seek more funding». MSNBC. 10 de dezembro de 2010. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  17. a b «Taking the next step: Commercial Crew Development Round 2». SpaceX. 17 de janeiro de 2011. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  18. «In the news Paragon Space Development Corporation Joins SpaceX Commercial Crew Development Team». Paragon Space Development Corporation. 16 de junho de 2011. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  19. Sofge, Eric (19 de novembro de 2012). «The Deep-Space Suit». PopSci. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  20. «SpaceX scrubs launch to ISS over rocket engine problem». Deccan Chronicle. 19 de maio de 2012. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  21. «Empresa privada americana lança com sucesso cápsula espacial». Globo Comunicação e Participações S.A. 8 de dezembro de 2010. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  22. «Cápsula de carga privada vai ao espaço e volta à Terra pousando no oceano Pacífico». Folha de S.Paulo. 8 de dezembro de 2010. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  23. «Nasa anuncia 1º voo privado de carga à Estação Internacional». Grupo Estado. 9 de dezembro de 2011. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  24. a b «Fracassa 1º lançamento de foguete privado por possível problema de motor». UOL. 19 de maio de 2012. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  25. «Primeiro voo privado para Estação Espacial está em órbita». IOL.pt. 22 de maio de 2012. Consultado em 12 de janeiro de 2014 
  26. «Cápsula não tripulada Dragon da SpaceX chegou à Estação Espacial Internacional». SIC notícias. 25 de maio de 2012. Consultado em 12 de janeiro de 2014 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Dragon (espaçonave)