Druuna

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Druuna
Druuna.jpg
Sexo Feminino
Espécie Humana
Criado por Paolo Eleuteri Serpieri
Editor(es) Vários
Projecto Banda desenhada  · Portal da Banda desenhada

Druuna é o nome de uma personagem e série de Ficção Científica e/ou Quadrinhos Eróticos criada por Paolo Eleuteri Serpieri, lançado originalmente na revista Heavy Metal[1] em inglês e em francês pela editora Bagheera. As últimas edições em francês foram publicadas pela editora Glenat.

Druuna é um Hq com belos traços, desenhos de anatomia humana feitos com perfeição e aos mínimos detalhes, cenário, enredo e história fantástica. A saga vai de 1985 até 2003, o Hq traz bastante ação e tensão e muito erotismo, com algumas cenas explícitas.

Apesar de várias serem as influências femininas na criação de Druuna - ver declarações de Serpieri em Drunna X, v. 1 - uma influência se destaca em relação às suas características físicas: a modelo brasileira Ana Lima, a qual posou nua na "Revista Playboy de Abril de 1989"[2].

O enredo da Saga acontece em um futuro pós-apocalíptico onde uma doença amedronta a todos, um vírus que transforma seres humanos em mutantes; o espírito de porco nos humanos reina, tanto humanos quanto mutantes são pervertidos e covardes, tudo que é de podre e desumano reina nesse ambiente mórbido. Druuna — que é a protagonista — se prostitui para conseguir antibióticos para ajudar seu namorado. Ela perambula pela cidade mórbida, passando por grandes perigos. A sexualidade de Druuna, entretanto, não pode ser entendida como um decaimento moral da humanidade, o próprio Serpieri afirma de forma contundente em Druuna X, que ele visava uma expressão e percepção mais libertarias da sexualidade humana, mesmo que muitas vezes o próprio Serpieri tenha redesenhado cenas para torna-las menos explícitas. Citado conflito entre uma visão libertária da sexualidade e a sua censura chega a diferenciar as publicações americanas e francesas, tendo em vista que algumas vezes cenas da edição americana foram censuradas através da colocação de balões tampando os órgãos genitais dos personagens quando estes foram julgados demasiado explícitos.

Fazem parte da Saga os seguintes títulos em ordem de publicação: Morbus Gravis 1; Morbus Gravis 2; Creatura; Carnivora; Mandragore; Aphrodisia; O Planeta Esquecido (The Forgotten Planet/La Planète Oublié ) e Clone. Publicados fora da Saga estão os títulos: Druuna X 1 e 2 - os quais contêm gravuras de Druuna, assim como comentários de Serpieri sobre seu trabalho - e o Baralho (Tarô) Erótico de Serpieri, sendo que todas as cartas possuem imagens eróticas de Druuna. Após um período de mais de uma década sem novas histórias no universo de Druuna, o mais novo título em 2016 é "Anima". Prequela número 0 na saga.

No Brasil Druuna teve quatro títulos lançados pela revista Heavy Metal em português, Morbus Gravis I e II, Criatura e Carnívora. Alguns desses títulos já tinham sido editados dentro da revista Heavy Metal em forma de capítulos.

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre banda desenhada é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.