Duarte Mendes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde março de 2016). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Duarte Mendes
Informação geral
Nome completo José Henrique Duarte Mendes
Nascimento 7 de agosto de 1947 (71 anos)
Local de nascimento Lisboa
País Portugal Portugal
Género(s) música popular portuguesa
Instrumento(s) voz
Período em actividade 1970-actualidade
Editora(s) Orfeu, Movieplay

José Henrique Duarte Mendes (Lisboa, 7 de Agosto de 1947) é um cantor português e "capitão de Abril".

Biografia[editar | editar código-fonte]

Duarte Mendes nasceu a 7 de Agosto de 1947 em Lisboa.[carece de fontes?]

É um dos denominados "capitães de Abril", pela sua intervenção na Revolução de 25 de Abril de 1974, fazendo parte do Movimento das Forças Armadas que derrubou o Governo de Marcelo Caetano,[1] sendo oficial da Escola Prática de Artilharia de Vendas Novas.

Paralelamente teve uma longa carreira musical, tendo vencido o Festival RTP da Canção de 1975 com o tema "Madrugada".[1][2]

Música[editar | editar código-fonte]

A primeira participação de Duarte Mendes no Festival RTP da Canção (à data denominado "Grande Prémio TV da Canção 1970") foi em 1970 com a canção "Então Dizia-te".

No ano seguinte participa no VIII Grande Prémio TV da Canção Portuguesa com "Adolescente" de José Luis Tinoco e Ivette Centeno.

Lança um single com os temas "Vou Dançar Nas Manhãs De Janeiro" e "Dulce Neia".[3]

Muda da etiqueta Philips para a Orfeu, de Arnaldo Trindade. Voltou a participar no Festival em 1972 com "Cidade Alheia" de José Luís Tinoco. Neste ano grava várias versões em inglês dos seus temas. Participa também no álbum editado pela Orfeu Fala do Homem Nascido, com produção de José Niza com 12 poemas de António Gedeão, colabora nos temas "Tempo de Poesia", "Vidro Côncavo" e "Lágrima de Preta".

A Orfeu editou um álbum homónimo (Duarte Mendes) com as canções lançadas em single ainda "Boy" e "Poissons d'Avril". [4]

Alcança o 3.º lugar do Festival RTP da Canção de 1973 com "Gente". É editado um EP com as canções "Gente", "O Retrato", e "Maria Vida Fria".

Em 1975 venceu o Festival RTP da Canção (ainda denominado "Grande Prémio TV da Canção") com a canção "Madrugada" da autoria de José Luís Tinoco.[1] No Festival Eurovisão da Canção 1975, realizado em Estocolmo (Suécia) ficou apenas em 16.º lugar mas recebeu 12 pontos da Turquia.[1][2]

Em 1978 colaborou no álbum "Lisboémia" de Júlio Pereira.

Foi editada uma compilação na série Clássicos da Renascença da Movieplay.

Em 2006 foi convidado para uma série de concertos de "Tributo ao Festival da Canção" com a participação de Anabela, Nucha, Paulo de Carvalho e Fernando Pereira.

Discografia[editar | editar código-fonte]

Singles e EP[editar | editar código-fonte]

  • "Então Dizia-te / Como Um Homem Velho" (Single, Philips, 1970)
  • "Adolescente / Dar e Cantar" (Single, Philips, 1971)
  • "Vou Dançar Nas Manhãs De Janeiro / Dulce Neia" (Single, Philips, 1971)
  • "Cidade Alheia / Town Without Sun" (Single, Orfeu, 1972)
  • Tempo Sem Horas / Absence / Running Time (EP, Orfeu, 1972)
  • Gente / O Retrato / Maria Vida Fria (EP, Orfeu, 1973)
  • "O Lago / Sol e Angústia" (Single, Orfeu, 1973) SAT 852
  • "Canção de Todos Nós / Hino à Mulher" (Single, Orfeu, 1974) KSAT 504
  • "Madrugada / Entre Espanha e o Mar" (Single, Orfeu, 1975) KSAT 522

Álbuns[editar | editar código-fonte]

  • Duarte Mendes (LP, Orfeu, 1973) SB1003

Compilações[editar | editar código-fonte]

  • Clássicos da Renascença (CD, Movieplay, 2000)

Participações[editar | editar código-fonte]

Fala do Homem Nascidode José Niza (LP, Orfeu, 1972) (Reedição CD, Movieplay, 1998)[5]

Comentários[editar | editar código-fonte]

Duarte Mendes recorda com particular prazer "o frisson durante os ensaios da versão em inglês, quando a rapaziada da imprensa internacional se apercebeu do que a canção dizia".[6]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d Agência Lusa (24 de maio de 2016). «Os casos que marcaram 60 anos de Festival da Eurovisão». Diário de Notícias. Consultado em 3 de abril de 2017 
  2. a b «Na história do Festival : um festival sem história». Recorte na Hemeroteca Digital de Lisboa. O Século Ilustrado, n.º 1942. 29 de Março de 1975. p. 60. Consultado em 19 de março de 2016 
  3. https://www.discogs.com/Duarte-Mendes-Vou-Dan%C3%A7ar-Nas-Manh%C3%A3s-De-Janeiro/release/8608941. Consultado em 31 de março de 2017  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  4. http://ocovildovinil.pt/duarte-mendes.html
  5. «Catálogo - Detalhes do registo de "Fala do homem nascido"». Fonoteca Municipal de Lisboa. Consultado em 19 de março de 2016 
  6. Declarações ao jornal 24 horas, Março de 2006
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.