Duarte da Costa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Duarte da Costa
Nome completo Duarte da Costa Casemiro
Nascimento 1505
Morte 1560 (55 anos)
Nacionalidade Português
Ocupação Administrador colonial

Duarte da Costa (início do 15051560) foi um nobre e administrador colonial português. Membro do Conselho Real, foi embaixador na corte de Carlos I de Espanha. Foi nomeado como segundo governador-geral do Brasil (1553-1558).

Desembarcou na Bahia em 1553, trazendo uma comitiva de 250 pessoas, entre elas o noviço José de Anchieta, que seria responsável, mais tarde, juntamente com o padre Manuel da Nóbrega, pela fundação do Colégio jesuíta na vila de São Paulo.

Importantes acontecimentos marcaram a sua gestão:

  • combateu as tribos indígenas do Recôncavo da Bahia, cujos constantes ataques impediam o progresso das povoações de colonos;
  • organizou entradas no sertão para procurar as desejadas riquezas minerais, pois havia delas abundância nas colônias espanholas na região andina;
  • o incidente entre o primeiro bispo, D. Pero Fernandes Sardinha e o filho de Duarte da Costa, D. Álvaro da Costa, onde diante das críticas do bispo à agressividade e aos maus costumes de D. Álvaro, a população de Salvador dividiu-se em duas facções: uma favorável a D. Álvaro e ao governador; outra, favorável ao bispo. D. Pero Fernandes que foi chamado a Portugal para dar explicações, mas o seu navio naufragou no litoral de Alagoas, tendo os sobreviventes sido mortos e devorados pelos Caetés;
  • fundação do Colégio dos jesuítas na vila de São Paulo (25 de janeiro de 1554);
  • invasão da baía de Guanabara, em 1555, pelos franceses, que pretendiam estabelecer uma colônia naquele local (a França Antártica). Como não dispunha de recursos para expulsá-los, o governador nada pôde fazer, sendo preciso esperar a chegada de Mem de Sá.

Em 1574, foi nomeado por D. Sebastião Presidente do Senado da Câmara de Lisboa.

Segundo o Agiologio Lusitano, terá sido o 9º provedor da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa[1].

Descendência[editar | editar código-fonte]

Duarte da Costa se casou com Maria da Silva, filha de Francisco de Mendonça e Leonor de Almeida, filha de Francisco de Almeida, Vice-Rei da Índia:

•Margarida da Costa (1525-?) Se casou com Duarte de Melo, 5° Senhor de Povolide. Com Descendência.

•Álvaro da Costa (1530-?) Se casou com Leonor de Sousa, filha de Fernão Alves de Sousa e Brites de Sousa. Sem Descendência.

•Francisco da Costa (1531-?) Se casou com Joana Henriques, filha de Gonçalo Vaz Pinto, 4° Senhor de Ferreiros e Violante Henriques. Com Descendência.

•Ana da Costa (1533-?) Se casou com Antônio Moniz Barreto, Governador da Índia Portuguesa. Com Descendência.

•João da Costa (1534-1562)

•Lourenço da Costa (1535-1562)

Referências

Precedido por
Tomé de Sousa
Governador do Brasil
1553 — 1558
Sucedido por
Mem de Sá
Precedido por
Afonso de Albuquerque
Presidente do Senado da Câmara de Lisboa
1574 — 1575
Sucedido por
Pedro de Almeida


Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.