Ducado de Brunsvique-Luneburgo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde agosto de 2013)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.



Ducado de Braunschweig-Lüneburg
Ducado de Brunsvique-Luneburgo

Vassalo do

(Sacro Império Romano-Germânico)

Blank.png
1235 – 1806 Flag of Hanover (1692).svg
 
Flagge Herzogtum Braunschweig.svg

Brasão de Brunsvique-Luneburgo

Brasão

Localização de Brunsvique-Luneburgo
Continente Europa
Região Europa Central
País Alemanha
Capital Brunsvique,
Luneburgo
Governo Principado
História
 • 1180

1181
Henrique, o Leão destituído; Saxônia divido; Henrique reinvestido como Guelfo num Alódio
 • 1235 Alódio elevado a Ducado de Brunsvique e Luneburgo
 • 1269 de Partição em Luneburgo e Brunsvique
 • 1291 de formação do Grubenhagen
 • 1345 de {{{ano_evento3}}} formação do Gotinga
 • 1432 de {{{ano_evento4}}} Brunsvique se divide em Volfembutel & Calenberga
 • 1806 Elevado a Eleitorado

O ducado de Brunsvique-Luneburgo (em alemão Herzogtüm Braunschweig-Lüneburg) foi criado em 1235 a partir dos territórios da Antiga Casa de Guelfo na Saxônia e foi um feudo de Otão I, cujo cognome é Otão, a Criança, um neto de Henrique, o Leão. O nome composto do ducado corresponde às duas maiores cidades do território, Brunsvique e Luneburgo. O ducado foi dividido várias vezes na Alta Idade Média.

Todas as linhas Guelfo detiveram o título de Duque de Brunsvique e Luneburgo. Os principados existiram até o fim do Sacro Império Romano-Germânico, em 1806. Após o Congresso de Viena tornou-se Estado sucessor do Reino de Hanôver e do Ducado de Brunsvique.

História[editar | editar código-fonte]

Em 1180, Henrique, o Leão, recebeu a "proibição imperial", fazendo com que ele perdesse seus títulos de Duque de Saxônia e Duque da Baviera. Ele, então, foi para o exílio por vários anos, mas foi autorizado a permanecer até o fim de sua vida nas propriedades alodiais, herdadas do lado materno.

Brasão de armas do Duque de Brunsvique-Luneburgo

Em 1235, como parte da reconciliação entre as Casas dos Hohenstaufen e Guelfos, o neto de Henrique, Otão, a Criança, transferiu suas propriedades para o imperador Frederico Barbarossa e foi e enfeoffed (ato pelo qual uma pessoa dava terras em troca de uma promessa de serviço no feudalismo) em troca do ducado recém-criado de Brunsvique-Luneburgo, que foi formado a partir da propriedades transferidas para o imperador, assim como outras grandes áreas do fisco imperial.

Após sua morte em 1252, ele foi sucedido por seus filhos, Alberto e João, que governaram o ducado em conjunto. Em 1269, o ducado foi dividido: Alberto recebeu a parte sul do Estado em torno dos territórios de Brunsvique e João a parte norte na área de Luneburgo. As cidades de Luneburgo e Brunsvique permaneceram na posse total da Casa de Guelfo até 1512 e 1671, respectivamente. Em 1571, o Amt de Calvörde se tornou um enclave do ducado.

As várias partes do ducado foram subdivididas e reunidas ao longo dos séculos, todas elas governadas pelos Guelfos, que mantinham estreitas relações uns com os outros, fenômeno não raro, ao se casarem com primos, uma prática muito mais comum do que é o caso hoje, mesmo entre os camponeses do Sacro Império Romano, com a lei sálica como forma de herança. Tal prática foi incentivada para manter o controle das terras e benefícios. Os assentos do poder mudaram, entretanto, a partir de Brunsvique e Luneburgo para Celle e Volfembutel e as cidades afirmaram sua independência.

História dos principados subordinados[editar | editar código-fonte]

Divisão territorial do Eleitorado de Brunsvique-Luneburgo e as relações dinásticas dentro do Ducado de Brunsvique-Luneburgo e ao Reino da Grã-Bretanha.

A história subsequente do ducado e seus subordinados principados foi caracterizado por numerosas divisões e reagrupamentos. Os estados subordinados que foram repetidamente criados, e que tinham o estatuto jurídico de principados, foram, em geral com o nome da residência de seus governantes. As propriedades das diferentes linhas dinásticas podiam ser herdadas por uma linha de lado quando uma determinada família morria. Por exemplo, ao longo dos séculos, havia o Velho, Casas Médio e Novo (ou linhas) de Brunsvique, e as Casas antigas, Médio e Novo de Luneburgo.

Principado de Brunsvique-Volfembutel[editar | editar código-fonte]

Em 1269, o Principado de Brunsvique foi formado após a primeira divisão do Ducado de Brunsvique-Luneburgo. Em 1432, como resultado da crescente tensão com os habitantes da cidade de Brunsvique, a linha Brunsvique mudou sua residência para Volfembutel em um castelo, enquanto a cidade se desenvolveu em um assento real. O nome Volfembutel foi dado a esse principado. Até 1753/1754 foi a residência oficial, porém voltou para Brunsvique, no recém-construído palácio Brunsvique. Em 1814, o principado tornou-se o Ducado de Brunsvique.

Principado de Calenberga - Eleitorado depois de Brunsvique-Luneburgo

Em 1432, as propriedades adquiridas pelo Principado de Brunsvique-Volfembutel entre o Deister e o Leine se separaram como o Principado de Calenberga. Ao norte, este novo Estado limitado no Condado de Hoya perto de Niemburgo e ampliado a partir daí em uma estreita, sinuosa linha ao sul com o rio Leine através de Wunstorf e Hanôver onde atingiu o Principado de Volfembutel.

Em 1495, foi ampliado em torno de Gotinga e em 1584 voltou para a linha de Volfembutel. Em 1634, como resultado de distribuições de herança, ele foi à Casa de Luneburgo, antes de se tornar um principado independente novamente em 1635, quando foi dado a Jorge, irmão mais novo do príncipe Ernesto II de Luneburgo, que escolheu Hanôver como sua residência. Novo território foi adicionado em 1665 nos arredores de Grubenhagen e em 1705 em todo o Principado de Luneburgo. Em 1692, o duque Ernesto Augusto, a partir da linha Calenberga, adquiriu o direito de ser um príncipe-eleitor como o príncipe-eleitor de Brunsvique-Luneburgo. Coloquialmente, o eleitorado também era conhecido como o Eleitorado de Hanôver. Em 1814, foi sucedido pelo Reino de Hanôver.

Principado de Luneburgo[editar | editar código-fonte]

O Principado de Luneburgo surgiu junto com o Principado de Brunsvique em 1269 quando a herança do ducado foi dividida. Após a morte do duque Jorge Guilherme de Brunsvique-Luneburgo em 1705, o rei Jorge I da Grã-Bretanha, herdou o estado de Luneburgo com sua esposa, filha do duque, Sofia Doroteia, mais tarde conhecida como a "Princesa do Ahlden". Foi unido com o Principado de Calenberga, que havia sido elevado a eleitorado em 1692.

Principado de Gotinga[editar | editar código-fonte]

O principado mais austral do Ducado de Brunsvique-Luneburgo se estendia desde Münden no sul até o rio Weser para Holzminden. No Oriente, percorreu Gotinga ao longo do rio Leine via Northeim para Einbeck. Ele surgiu em 1345 como resultado de uma divisão do Principado de Brunsvique e estava unido em 1495 com Calenberga.

Principado de Grubenhagen[editar | editar código-fonte]

A partir de 1291-1596 Grubenhagen foi um principado independente, seu primeiro governante foi Henrique, o Admirável, filho do duque Alberto I de Brunsvique-Volfembutel. O Estado laico estendia-se entre a parte norte das colinas Solling e o rio Leine perto de Einbeck e no norte de Eichsfeld e no sudoeste do Harz. Depois de ser dividido ao longo dos anos em principados menores e menores que Grubenhagen, finalmente retornou em 1596 para Brunsvique-Volfembutel.

Outros ramos[editar | editar código-fonte]

Outros ramos que não têm plena soberania existiam no Dannenberg, Harburg, Gifhorn, Bevern, Osterode, Herzberg, Salzderhelden e Einbeck.

Enquanto um total de cerca de uma dúzia de subdivisões que existiam, alguns foram apenas dinásticas e não são reconhecidos como estados do império, que ao mesmo tempo tinha mais de 1500 entidades legalmente reconhecidas. Na lista de participantes do Reichstag (1792), as seguintes quatro subdivisões de Brunsvique-Luneburgo tinham representação:

  • O Principado de Luneburgo.
  • O Principado de Calenberga - Gotinga, fundiu-se com Eric I de Brunsvique-Volfembutel, em 1495.
  • O Principado de Grubenhagen.
  • O Principado de Brunsvique-Volfembutel.

Em 1705, apenas dois duques de Brunsvique-Luneburgo sobreviveram, uma decisão de Calenberga, Luneburgo e outros bens, e os outros dirigentes Volfembutel.

De Luneburgo a Hanôver[editar | editar código-fonte]

Divisão territorial do Eleitorado de Brunsvique-Lüneburg. Relações dinásticas no Ducado de Brunsvique-Luneburgo e no Reino da Grã-Bretanha.

Uma das linhas dinásticas foi a dos príncipes de Luneburgo, que em 1635 adquiriu Calenberga para Jorge, um membro júnior da família que montou residência na cidade de Hanôver. Seu filho Cristiano Luís e seus irmãos herdaram Celle em 1648 e, posteriormente, compartilhá-la e Calenberga entre si; um ramo intimamente relacionado da família governada separadamente em Volfembutel.

Como um desenvolvimento dos últimos dias, que se tornou o Eleitorado de Hanôver foi chamado inicialmente o eleitor de Brunsvique-Lunenberg quando o imperador nomeou Ernesto Augusto, Duque de Brunsvique-Luneburgo um eleitor em 1696 (dois anos antes de sua morte) em um tanto controverso movimento para aumentar o número de eleitores protestantes, assim, ofendendo os interesses arraigados dos existentes príncipes-eleitores, que já não seriam tão poucos. Como a maioria das questões na Europa durante estes tempos, isso era parte da agitação religiosa de muitos séculos religiosas acompanhadas de guerra aberta (verGuerra dos Trinta Anos) desencadeada pelos defensores zelosos de ambos os lados da Reforma Protestante e da Contrarreforma.

Os territórios da Calenberga e Luneburgo-Celle foram tornados um eleitorado pelo imperador Leopoldo I, em 1692, na expectativa da herança iminente de Celle pelo Duque de Calenberga, embora a união real da dinastia dos territórios não ocorreu até 1705 sob seu filho George Eu Louis, e o eleitorado não foi oficialmente aprovado pela Dieta Imperial até 1708.

O Estado resultante era conhecida sob muitos nomes diferentes (Brunsvique-Luneburgo, Calenberga, Calenberga-Celle; seu governante era frequentemente conhecido como o "eleitor de Hanôver ". Coincidentemente, em 1701, o Duque de Brunsvique-Luneburgo encontrou-se na linha de sucessão para a Coroa Britânica, posteriormente confirmada em 1707 pelo Ato de União, que posteriormente herdou, criando assim uma união pessoal das duas coroas a 20 de outubro de 1714.

Depois de um pouco mais de uma década, o assunto do disputado eleitorado foi resolvido, e o novo Duque de Brunsvique-Luneburgo (nomeado como duque em 23 de janeiro de 1698), George Louis eu era capaz de estilo próprio do eleitor de Brunsvique e Luneburgo de 1708. Não foi apenas acaso, mas semelhante política religiosa provocou a circunstância de ele ser também foi colocado na linha de sucessão à Coroa Britânica pela Lei de Liquidação de 1701 - que foi escrita para assegurar uma sucessão protestante aos tronos da Escócia e Inglaterra no momento em que o sentimento anticatólico era elevado na maior parte do norte da Europa e grande parte da Grã-Bretanha.

No evento, Jorge I sucedeu a seu segundo primo da rainha Ana da Grã-Bretanha - o último membro reinante da Casa de Stuart, e, posteriormente, formaram uma União pessoal de 1 de agosto de 1714 entre a Coroa Britânica e do Ducado de Brunsvique-Luneburgo (Eleitorado de Hanôver), que iria durar até bem depois do final do guerras napoleônicas mais de um século mais tarde, incluindo até mesmo através da dissolução do Sacro Império Romano-Germânico e a ascensão de um novo reino como sucessor. Dessa forma, o "Eleitorado de Hanôver" (o núcleo do ducado) foi ampliado com a adição de outras terras e tornou-se o Reino de Hanôver, em 1814, nas conferências de paz (Congresso de Viena) para resolver o futuro da Europa no pós-guerras napoleônicas .

História da relação com a Coroa Britânica[editar | editar código-fonte]

O primeiro rei hanoveriano da Inglaterra, Jorge I da Grã-Bretanha foi Duque de Brunsvique-Luneburgo, e finalmente foi feito Príncipe-eleitor do Sacro Império Romano-Germânico em 1708. Seus bens foram ampliadas em 1706, quando as terras hereditárias do ramo Calenberga dos Duques de Brunsvique-Luneburgo fundiram-se com as terras do ramo Luneburgo-Celle para formar o Estado de Hanôver. Posteriormente, Jorge I foi nomeado eleitor de Hanôver. Em 1700 e 1701, quando o parlamento inglês tinha abordado a questão de uma sucessão ordenada, com um viés religioso em direção a uma regra protestante, preteriu os filhos da rainha Ana (Casa de Stuart) e, com as disposições da Lei de Liquidação 1701, passou a Sofia de Hanôver, neta de Jaime VI da Escócia e I de Inglaterra. A Grã-Bretanha e Hanôver permaneceram unidos em união pessoal até a ascensão ao trono inglês da rainha Vitória em 1837.

Jorge I foi seguido por seu filho Jorge II e bisneto Jorge III. O último mencionado manteve a posição do eleitor, mesmo depois de o Sacro Império Romano-Germânico foi abolido por seu último imperador em 1806. Jorge III contestou a validade da dissolução do império e manteve escritórios separados consular e pessoal para o Eleitorado de Hanôver até a conferência de paz no final da guerra. Após a queda de Napoleão, Jorge III recuperou suas terras além de terras da Prússia como rei de Hanôver, enquanto abrir mão de alguns outros pequenos territórios dispersos.

Após o Congresso de Viena[editar | editar código-fonte]

Após o fim do Sacro Império Romano-Germânico em 1806, Calenberga-Celle e suas possessões foram adicionados pelo Congresso de Viena ao Reino de Hanôver (incluindo Brunsvique-Luneburgo). Durante a primeira metade do século XIX, o Reino de Hanôver foi governado como união pessoal pela Coroa Britânica sob Jorge III do Reino Unido, o último eleitor de Hanôver até a morte de Guilherme IV em 1837. Nesse ponto, a Coroa de Hanôver foi para o irmão mais novo de Guilherme IV, Ernesto, Duque de Cumberland e Teviotdale sob a lei sálica exigindo que o próximo herdeiro fosse do sexo masculino, enquanto o trono britânico foi herdado pela única filha do irmão mais velho, a rainha Vitória.

Posteriormente, o reino foi perdido em 1866 por seu filho Jorge V de Hanôver durante a Guerra Austro-Prussiana, quando foi anexada pelo Reino da Prússia, e se tornou a província prussiana de Hanôver.

Ducado de Brunsvique[editar | editar código-fonte]

A linha de Volfembutel manteve a sua independência, com exceção de 1807-1813, quando ela e Hanôver foram incorporadas ao napoleônico Reino da Vestfália. O Congresso de Viena, de 1815, transformou-o em um Estado independente sob o nome de Ducado de Brunsvique. O ducado permaneceu independente e juntou-se à primeira Confederação da Alemanha do Norte e em 1871 o então Império Alemão.

Quando a principal linha de descendência se extinguiu em 1885, o imperador alemão tornou-se o legítimo herdeiro, o "Príncipe Herdeiro de Hanôver", e tomou o controle, em vez de instalar um regente. Décadas mais tarde, as famílias foram reconciliados pelo casamento de filho do príncipe herdeiro com a única filha do imperador, e o este permitiu que seu genro assumisse.

Duques de Brunsvique-Luneburgo e sucessores[editar | editar código-fonte]

Casa de Guelfo[editar | editar código-fonte]

Partições do Brunsvique-Luneburgo sob governo Guelfo[editar | editar código-fonte]

Ducado de Brunsvique-Luneburgo
(1235-1269)
Brunsvique
(1269-1291)
Luneburgo
(1ª criação)
(1269-1369)
Grubenhagen
(1291-1596)
       Volfembutel
(1ª criação)
(1291-1292)
      
Gotinga
(1291-1463)
Volfembutel
(2ª criação)
(1344-1400)
      
       Luneburgo sob
governo Ascânio

(1373-1388)
      
Luneburgo
(2ª criação)
(1388-1705)
             
       Volfembutel
(3ª criação)
(1409-1485)
Calemberga
(1ª criação)
(1432-1584)
      
      
             
Volfembutel
(4ª criação)
(1494-1807)
      
       (Luneburgo anexou
Grubenhagen em 1617)
       Calemberga
(2ª criação)
(1634-1692)
Designado Hanôver em 1692
      
Eleitorado de Hanôver
(1692-1866)
Anexado ao
Reino de França
Brunsvique
(1813-1918)
Anexado ao
Reino de França

Os governantes[editar | editar código-fonte]

(Nota: Nesta tabela a numeração dos príncipes é a mesma para todos os principados/ducados, uma vez que todos se designaram Duques de Brunsvique-Luneburgo, apesar das diferentes partes de terra e as suas numerações particulares para os governantes. Os príncipes estão aqui numerados pelo ano de ascensão.)

Governante Nascimento Reinado Morte Parte Consorte Notas
Otão I A Criança
FriedrichIIbelehntottodaskind.jpg
1204 1235-1252 9 de junho de 1252 Brunsvique-Luneburgo Matilde de Brandemburgo
1228
dez filhos
Neto de Henrique O Leão, fundou o ducado, sendo reconhecido como primeiro duque em 1235, por Frederico II do Sacro Império Romano-Germânico.
Alberto I O Alto
Herzog Albrecht I.jpg
1236 1252-1269 15 de agosto de 1279 Brunsvique-Luneburgo Isabel de Brabante
1254
sem filhos

Aléxia de Monferrato
1263
sete filhos
Filhos de Otão I, partilharam o governo até 1269.
João I 1242 13 de dezembro de 1277 Brunsvique-Luneburgo Lutgarda de Holstein-Itzehoe
1265
cinco filhos
Todas as linhas da Casa de Guelfo tomaram para si o título de "Duque de Brunsvique-Luneburgo", entre a divisão de 1269 e o fim do Sacro Império Romano-Germânico, em 1806, sendo um título adicional aos que definiam a sua posse territorial (sempre e apenas uma parte do ducado dividido em 1269). Contudo, a tabela percorre as gerações de duques para lá do final do Império, até à deposição do último duque em 1918.
Alberto I O Alto Herzog Albrecht I.jpg 1236 1269-1279 15 de agosto de 1279 Brunsvique Isabel de Brabante
1254
sem filhos

Aléxia de Monferrato
1263
sete filhos
Em 1269 recebeu o Brunsvique.
João I 1242 1269-1277 13 de dezembro de 1277 Luneburgo Lutgarda de Holstein-Itzehoe
1265
cinco filhos
Em 1269 recebeu o Luneburgo.
Alberto I , Duque de Brunsvique (regente)
Herzog Albrecht I.jpg
1236 1277-1279 15 de agosto de 1279 Luneburgo Isabel de Brabante
1254
sem filhos

Aléxia de Monferrato
1263
sete filhos
Regentes em nome do sobrinho, Otão.
Conrado de Brunsvique-Luneburgo, Bispo de Verden
(regente)
Antes de 1277 1277-1282 Depois de 1282 Luneburgo Não casou
Otão II O Rigoroso
Bomann-Museum Skulptur Otto II. der Strenge, Herzog zu Braunschweig und Lüneburg, Duke of Brunswick-Lüneburg 1277-1330, mit von der Schmalstieg-GmbH restauriertem Schloss Celle.jpg
1266 1282-1330 10 de abril de 1330 Luneburgo Matilde da Baviera
1288
cinco filhos
O seu governo foi marcado por conflitos feudais. Restringiu os direitos dos cavaleiros e salvaguardou a ordem pública..
Henrique I O Admirável agosto de 1267 1279-1291 7 de setembro de 1322 Brunsvique Inês de Meissen
1282
dezasseis filhos
Filhos de Alberto I, governaram em conjunto. Em 1291 dividram as terras: Henrique recebeu Grubenhagen; Guilherme, Volfembutel; e Alberto, Gotinga. Guilherme faleceu sem descendentes e Alberto reuniu os seus territórios aos do irmão.
1291-1322 Grubenhagen
Guilherme I 1270 1279-1291 30 de setembro de 1292 Brunsvique Isabel de Hesse I
1290
sem filhos
1291-1292 Volfembutel
Alberto II O Gordo 1268 1279-1291 22 de setembro de 1318 Brunsvique Riquilda de Mecklemburgo-Werle
1284
dez filhos
1291-1292 Gotinga
1292-1318 Gotinga e Volfembutel
Otão III O Gentil Otto der Milde.jpg 24 de junho de 1292 1318-1344 30 de agosto de 1344 Gotinga e Volfembutel Judite de Hesse
1311
sem filhos

Inês de Brandemburgo-Salzwedel
1319
no children
Filhos de Alberto II, governaram em conjunto. Após a morte de Otão, os irmãos Magno e Ernesto dividiram a terra: o primeiro recebeu Volfembutel e o segundo Gotinga.
Magno I O Piedoso 1304 1318-1344 1369 Gotinga e Volfembutel Sofia de Brandemburgo-Stendal
1327
oito filhos
1344-1369 Volfembutel
Ernesto I 1305 1318-1344 24 de abril de 1367 Gotinga e Volfembutel Isabel de Hesse II
1337
three children
1344-1367 Gotinga
Henrique II Antes de 1296 1322-1351 Depois de 1351 Grubenhagen Judite de Brandemburgo-Stendal
1318
quatro filhos

Helvis de Ibelin
1324
seis filhos
Filhos de Henrique I, governaram em conjunto.
Ernesto II 1297 1322-1361 9 de março de 1361 Grubenhagen Adelaide de Everstein-Polle
junho de 1335
nove filhos
Guilherme II 1298 1322-1360 1360 Grubenhagen Não casou
João II Antes de 1296 1322-1325 Depois de 1367 Grubenhagen Não casou
Otão IV 1296 1330-1352 19 de agosto de 1352 Luneburgo Matilde de Mecklemburgo
1311
três filhos
Filhos de Otão II, governaram em conjunto. Depois da morte de Otão, Guilherme continuou a governar sozinho. A sua morte em descendentes precipitou a Guerra de Sucessão do Luneburgo, em 1370.
Guilherme III O Velho Wilhelmvonbraunschweiglueneburg(gest.1369).jpg c.1300 1330-1369 23 de novembro de 1369 Luneburgo Edviges de Ravensberg
7 de abril de 1328
um filho

Maria
Depois de 1387
um filho

Sofia de Anhalt-Bermburgo
12 de março de 1346
sem filhos

Inês de Saxe-Lauemburgo
1363
sem filhos
Alberto III c.1339 1361-1383 1383 Grubenhagen Inês de Brunsvique-Luneburgo
c.1380?
one child
Filhos de Ernesto II, governaram em conjunto. João abdicou em 1364 para se juntar ao clero e Alberto passou a governar sozinho.
João III c.1339 1361-1364 18 de janeiro de 1401 Grubenhagen Não casou
Otão V O Mau Otto der Quade 001.JPG 1330 1367-1394 13 de novembro de 1394 Gotinga Margarida de Jülich-Berg
1379
dois filhos
Magno II O do Colar (Torquatus) Magnustorquatus gesamt.jpg 1304 1369-1373 25 de julho de 1373 Luneburgo e Volfembutel Catarina de Anhalt-Bermburgo
1327
oito filhos
Herdou o Volfembutel do pai. Contudo, a Guerra de Sucessão do Luneburgo permitiu a que sucedesse também neste ducado. Contudo, a sua morte trouxe os duques de Saxe-Wittenberg para o governo do Luneburgo.
Frederico I 1357 1373-1400 5 de junho de 1400 Volfembutel Ana de Saxe-Wittenberg
1386
dois filhos
De acordo com o tratado realizado em Hanôver, casou com a filha do Duque Venceslau de Saxe-Wittenberg.
Após a morte de Magno II, foi assinado um pacto entre a viúva deste e os filhos e os reclamantes do ducado, Alberto de Saxe-Wittenberg e o tio, Venceslau, Duque de Saxe-Wittenberg: os estados do Principado deveriam render vassalagem aos Guelfos e aos Ascânios, e as duas casas governariam o Luneburgo de forma alternada: de início, a terra seria dada aos Ascânios, e após a morte destes reverteria para os filhos do malogrado Magno. Com a morte destes, Luneburgo reverteria para os Ascânios, e assim sucessivamente. Para assinalar o acordo, em 1374 Alberto desposou a viúva de Magno, Catarina. O pacto também incluía uma espécie de corpo representativo de ambas as casas, que deveriam assegurar a alternância governativa. Contudo, após 1388 o Luneburgo não voltaria aos Ascânios.
Alberto IV

(Ascânios)

Albrechtvonsachsenwittenberg.jpg Antes de 1350 1373-1385 28 de junho de 1385 Luneburgo Catarina de Anhalt-Bermburgo
10 de novembro de 1373
Hanover
11 de julho de 1374
Celle
um filho
Herdou o Luneburgo como filho de Isabel, filha de Guilherme O Velho. Reforçou ainda mais a sua reivindicação casando com a viúva do duque anterior. Alberto trasladou a capital de Luneburgo para Celle após a destruição do Castelo de Luneburgo. Sem descendentes masculinos, o seu tio Venceslau tomou o controlo total do ducado.
Venceslau I

(Ascânios)

WenzelISachsenWittenberg.jpg 1337 1373-1388 15 de maio de 1388 Luneburgo Cecilia da Carrara
23 de janeiro de 1376
seis filhos
Tomou as rédeas do governo do Luneburgo após a morte do sobrinho, durante o governo do qual era somente um co-governante. Á sua morte, e de acordo com o pacto, o principado voltou para os Guelfos.
Pouco antes de morrer, Venceslau havia associado o seu genro, Bernardo (um dos filhos de Magno II), como co-governante. Porém o irmão deste, Henrique, não concordou com este tipo de governo, e após tentativas vãs para chegar a um acordo, iniciou-se uma guerra na primavera de 1388. Venceslau juntou um exército, apoiado pela cidade de Luneburgo. Ele queria, a partir de Winsen an der Aller, atacar Celle, cidade detida por Henrique e a sua mãe. Contudo, durante os preparativos, Venceslau caiu doente e faleceu pouco depois. Mas o falecimento não causou a queda da causa ascânia: Luneburgo formou alianças com o Bispado de Minden e o Conde de Schaumburgo e formou um exército, derrotado a 28 de maio de 1388, em Winsen an der Aller; Henrique, vitorioso, assumiu as rédeas do ducado e em 1389 quebrou de vez o tratado com os Ascânios, assegurando defintivamente o Luneburgo para os Guelfos.
Frederico I de Brunsvique-Osterode (regente) c.1350 1383-1401 c.1421 Grubenhagen Adelaide de Anhalt-Zerbst
c.1395?
um filho
Irmão de Alberto III, regente em nome do sobrinho, Érico.
Érico I O Vencedor c.1383 1401-1427 28 de maio de 1427 Grubenhagen Isabel de Brunsvique-Gotinga
seis filhos
Henrique III O Gentil Heinrichvonbraunschweiglueneburg(gest.1416).jpg 1355 1388-1400 14 de outubro de 1416 Lüneburg Sofia da Pomerânia
11 de novembro de 1388
dois filhos

Margarida de Hesse
30 de janeiro de 1409
um filho
Filhos de Magno II, governaram em conjunto. Recuperaram o Luneburgo do controlo ascânio, e, em 1400, herdaram também o Volfembutel. EM 1416 dividram as terras: Henrique reteve o Luneburgo, Bernardo recebu o Volfembutel. Em 1428 Bernardo faria um escambo, com os seus sobrinhos, de Volfembutel pelo Luneburgo que fora do seu irmão.
1400-1409 Luneburgo e Volfembutel
1409-1416 Luneburgo
Bernardo I BernhardIvonbraunschweig-lüneburg.jpg Entre 1358 e 1364 1388-1400 11 de junho de 1434 Luneburgo Margarida de Saxe-Wittenberg
1386
três filhos
1400-1409 Luneburgo e Volfembutel
1409-1428 Volfembutel
Otão VI O Caolho 1380 1394-1463 6 de fevereiro de 1463 Gotinga Inês de Hesse
1408
um filho
Faleceu sem descendentes. Gotinga foi anexada ao Principado de Calemberga.
Guilherme IV O Vitorioso Wilhelmdersiegreiche.jpg 1392 1416-1428 25 de julho de 1482 Luneburgo Cecília de Brandemburgo
30 de maio/6 de junho de 1423
Berlim
dois filhos

Matilde de Holstein-Schauemburgo-Pinneberg
1466
um filho
Filhos de Henrique III, governaram em conjunto. Em 1428 fizeram escambo com o tio, Bernardo I, e passaram a governar no Volfembutel. Em 1432, Guilherme fundou para si o Principado de Calemberga e deixou para o seu irmão o restante Volfembutel, que acabou por herdar após a morte de Henrique em 1473, sem herdeiros. Em 1463, anexou o Principado de Gotinga a Calemberga.
1428-1432 Volfembutel
1432-1482 Gotinga e Calemberga
1473-1482 Volfembutel
Henrique IV O Pacífico 1411 1416-1428 7 de dezembro de 1473 Luneburgo Helena de Clèves
1436
um filho
1428-1473 Volfembutel
Henrique V 1416 1427-1464 20 de dezembro de 1464 Grubenhagen (Parte 1 desde 1440) Margarida de Żagań
antes de 27 de junho de 1457
dois filhos
Em 1440 dividiu o Grubenhagen com o seu irmão Alberto.
Bernardo I BernhardIvonbraunschweig-lüneburg.jpg Entre 1358 e 1364 1428-1434 11 de junho de 1434 Luneburgo Margarida de Saxe-Wittenberg
1386
três filhos
Em 1428 Bernardo passou a governar o Luneburgo.
Otão VII O Coxo Ottovonbraunschweig-lueneburg(gest.1446).jpg c.1418 1434-1446 1446 Luneburgo Isabel de Eberstein
1425
um filho
Governaram em conjunto. O governo ficou marcado pela construção do Castelo de Celle, e por numerosas reformas que melhoraram as condições dos camponeses face aos seus senhores. Em 1457, Frederico abdica para os filhos.
Frederico II O Piedoso Friedrichderfromme.jpg 1418 1434-1457 19 de março de 1478 Luneburgo Madalena de Brandemburgo
3 de julho de 1429
Tangermünde
três filhos
Alberto V 1 de novembro de 1419 1440-1485 15 de agosto de 1485 Grubenhagen (Parte 2) Isabel de Waldeck
15 de outubro de 1471
dois filhos
Em 1440 recebeu uma parte de Grubenhagen.
Bernard II 41 Bernhard II.jpg 1437 1457-1464 1464 Luneburgo Não casou Filhos de Frederico II, governaram em conjunto. Bernardo era também Bispo de Hildesheim. Otão governa sozinho após a morte do irmão em 1464.
Otão VIII O Magnânimo OttoIIBraunschwLüneburg.JPG 1439 1457-1471 9 January 1471 Luneburgo Ana de Nassau-Dilemburgo
25 de setembro de 1467
Celle
dois filhos
Alberto V, Duque de Brunsvique-Grubenhagen (regente) 1 de novembro de 1419 1464-1479 15 de agosto de 1485 Grubenhagen (Parte 1) Isabel de Waldeck
15 de outubro de 1471
dois filhos
Regente em nome do sobrinho, Henrique..
Henrique VI 1460 1479-1526 6 de dezembro de 1526 Grubenhagen (Parte 1) Elisabeth of Saxe-Lauenburg
26 August 1494
Einbeck
no children
Com o seu tio Alberto V, oficializou a divisão do Grubenhagen. Contudo a sua morte sem descendência permitiu aos seus primos, filhos de Alberto, a reunião do ducado.
Frederico II O Piedoso Friedrichderfromme.jpg 1418 1471-1478 19 de março de 1478 Luneburgo Madalena de Brandemburgo
3 de julho de 1429
Tangermünde
três filhos
Regressa ao trono após a morte do filho, Otão VIII.
Ana de Nassau-Dilemburgo (regente) Anna von Nassau-Dillenburg - 1460s portrait.jpg 1441 1478-1486 8 de abril de 1513 Luneburgo Otão VIII
25 de setembro de 1467
Celle
dois filhos

Filipe I, Conde de Katzenelnbogen
1474
sem filhos
Regente em nome do filho, após a morte do sogro.
Henrique VII O Médio HeinrichBraunschweigLüneburg.JPG 15 de setembro de 1468 1486-1520 19 de fevereiro de 1532 Luneburgo Margarida da Saxónia
27 de fevereiro de 1487
Celle
sete filhos

Anna von Camp
c.1528?
sem filhos
Opôs-se ao recém-eleito Carlos V, Sacro Imperador Romano-Germânico, o que lhe valeu a deposição. O Imperador daria o ducado aos filhos de Henrique.
Frederico III O Turbulento 1424 1482-1485 5 de março de 1495 Calemberga Ana de Brunswick-Grubenhagen
depois de 1460
sem filhos

Margarida de Rietberg
10 de maio de 1483
sem filhos
Foi preso pelo irmão, Guilherme, que tomou o seu lugar no poder.
Guilherme V O Jovem Vilhelm den Yngre og Elisabet til Stolberg.JPG 1425 1482-1485 7 de julho de 1503 Volfembutel Isabel de Stolberg-Wernigerode
1444
três filhos
Herdou o Volfembutel do seu pai, e juntou Calemberga aos seus domínios após prender o irmão. Abdicou das suas posses para os filhos em 1491.
1485-1491 Volfembutel e Calemberga
Filipe I PhilippvonBraunschweigGrubenhagen.JPG 1476 1485-1551 4 de setembro de 1551 Grubenhagen (Parte 2 até 1526) Desconhecida
antes de 1509
um filho

Catarina de Mansfeld-Vorderort
c.1510?
nove filhos
Filho de Alberto V, reuniu o Grubenhagen em 1526.
Henrique VIII O Velho 14 de junho de 1463 1491-1494 23 de junho de 1514 Volfembutel e Calemberga Catarina da Pomerânia-Wolgast
1486
nove filhos
Filhos de Guilherme V, governaram em conjunto. Em 1494 dividiram as posses: Henrique recebeu Volfembutel e Érico Calemberga.
1494-1514 Volfembutel
Érico II O Velho Erik I, 1470-1549, hertig av Braunscweig-Calenberg - Nationalmuseum - 32848.tif 16 de fevereiro de 1470 1491-1494 30 de julho de 1540 Volfembutel e Calemberga Catarina da Saxónia
1496/7
sem filhos

Isabel de Brandemburgo
7 de julho de 1525
Stettin
quatro filhos
1494-1540 Calemberga
Henrique IX O Jovem Heinrich II. (der Jüngere) 1489-1568 01.jpg 10 de novembro de 1489 1514-1568 11 de junho de 1568 Volfembutel Maria de Württemberg
1515
oito filhos

Sofia da Polónia
22/25 de fevereiro de 1556
sem filhos
Foi o último Católico da sua família. Era um grande oponente dos Luteranos e um importante membro da força católica que se opunha à Liga Esmalcalda, luterana.
Otão IX Herzog Otto I. von Braunschweig und Lüneburg.jpg 24 de agosto de 1495 1520-1527 11 de agosto de 1549 Luneburgo Meta von Camp
1527
sete filhos
Filhos de Henrique VII, governaram em conjunto. Otão abdicou em 1527 para fundar o seu senhorio em Harburgo, que passou aos seus descendentes. Ernesto era um campeão da causa Protestante, durante os primeiros anos da Reforma. Francisco começou o governo em conjunto em 1536, mas logo em 1539 abdicou para, à semelhança de Otão, criar um senhorio próprio, em Gifhorn. Contudo, este senhorio regressou ao Luneburgo após a morte de Francisco, por falta de herdeiros masculinos.
Ernesto III O Confessor Lucas Cranach d.Ä. (Werkst.) - Ernst der Bekenner, Herzog von Braunschweig-Lüneburg-Celle.jpg 27 de junho de 1497 1520-1546 11 de janeiro de 1546 Luneburgo Sofia de Mecklemburgo-Schwerin
2 de junho de 1528
Schwerin
sete filhos
Francisco I Herzog Franz Gifhorn Zeichnung.jpg 23 de novembro de 1508 1536-1539 23 de novembro de 1549 Luneburgo Clara de Saxe-Lauemburgo
29 de setembro de 1547
Amt Neuhaus
dois filhos
Governo interino: 1546-1555
Isabel de Brandemburgo (regente) Elisabeth von Brandenburg 1510-1558.jpg 24 de agosto de 1510 1540-1545 25 de maio de 1558 Calemberga Érico II
7 de julho de 1525
Stettin
quatro filhos

Popo XII de Henneberg
1546
sem filhos
Regente em nome do filho, Érico. Designada Princesa da Reforma, implementou-a em Calemberga . Também escreveu um "manual de governo" para o seu filho Érico, com conselhos importantes que deveriam servir-lhe de guia.
Filipe I, Landgrave de Hesse (regente) Wartburg-Philipp.von.Hessen.JPG 13 de novembro de 1504 31 de março de 1567 Calemberga Cristina da Saxónia
11 de dezembro de 1523
Dresden
dez filhos

Margarethe von der Saale
4 de março de 1540
(morganático e bígamo)
nove filhos
Regente em nome de Érico III.
Érico III Erich von Calenberg II.jpg 10 de agosto de 1528 1545-1584 17 de novembro de 1584 Calemberga Sidónia da Saxónia
17 de maio de 1545
Hann. Münden
sem filhos

Doroteia de Lorena
26 de novembro de 1575
Nancy
sem filhos
Não deixou descendência, e Calemberga foi anexada a Volfembutel.
Ernesto IV Ernest III de Brunswick-Grubenhagen 04110.JPG 17 de dezembro de 1518 1551-1567 2 de abril de 1567 Grubenhagen Margarida da Pomerânia-Wolgast
9 de outubro de 1547
Wolgast
um filho
Não deixou descendentes, e foi sucedido pelo seu irmão Wolfgang.
Francisco Otão Franzottobraunschweiglueneburg.jpg 20 de junho de 1530 1555-1559 29 de abril de 1559 Luneburgo Isabel Madalena de Brandemburgo
1559
sem filhos
Não deixou descendentes. O ducado passou para os irmãos.
Henrique X 1533 1559-1569 19 de janeiro de 1598 Luneburgo Úrsula de Saxe-Lauemburgo
1569
sete filhos
Irmãos de Francisco Otão, governaram em conjunto. Em 1569, Henrique criou para si o ducado com sede em Dannenberg, que deixou aso seus descendentes. Guilherme governou sozinho a partir de 1569.
Guilherme VI O Jovem William, Duke of Brunswick-Lüneburg.jpg 4 de julho de 1535 1559-1592 20 de agosto de 1592 Luneburgo Doroteia da Dinamarca
12 de outubro de 1561
quinze filhos
Wolfgang 6 de abril de 1531 1567-1595 14 de maio de 1595 Grubenhagen Doroteia de Saxe-Lauemburgo
10 de dezembro de 1570
Osterode am Harz
sem filhos
Como muito dos antecessores, teve problemas financeiros, pelo que se viu forçado a vender ou penhorar várias partes do seu domínios, e exigir impostos elevados. Não deixou descendentes, e Grubenhagen foi herdado pelo irmão, Filipe.
Júlio I Herzog Julius Wolfenbüttel.jpg 29 de junho de 1528 1568-1584 3 de maio de 1589 Volfembutel Edviges de Brandemburgo
25 de fevereiro de 1560
Cölln
onze filhos
Em 1584 anexou Calemberga. Adotou a Reforma Protestante, estabeleceu a Universidade de Helmstedt, e introduziu uma sérire de reformas administrativas. Júlio foi um dos mais importantes duques da Era Moderna.
1584-1589 Volfembutel e Calemberga
Ernesto V Herzog Ernst II Braunschweig-Lueneburg.JPG 31 de dezembro de 1564 1592-1611 2 de março de 1611 Luneburgo Não casou Não deixou descendência. A terra foi herdada pelo irmão, Cristiano.
Filipe II 2 de maio de 1533 1595-1596 4 de abril de 1596 Grubenhagen Clara de Brunsvique-Volfembutel
1 de julho de 1560
Volfembutel
sem filhos
Não deixou descendentes. Por falta de herdeiros, Grubenhagen foi anexado a Volfembutel.
Henrique Júlio Heinrich Julius Braunschweig MATEO.jpg 15 de outubro de 1564 1589-1613 30 de julho de 1613 Volfembutel e Calemberga

(até 1596)

Volfembutel, Calemberga e Grubenhagen

(desde 1596)

Doroteia da Saxónia
26 de setembro de 1585
Volfembutel
um filho

Isabel da Dinamarca
19 de abril de 1590
Cölln
dez filhos
Em 1596 ocupou o Grubenhagen.
Frederico Ulrico Arolsen Klebeband 01 225 2.jpg 5 de abril de 1591 1613-1616 11 de agosto de 1634 Volfembutel, Calemberga eGrubenhagen Ana Sofia de Brandemburgo
4 de setembro de 1614
Volfembutel
sem filhos
O seu alcoolismo e maus atos derivados,levou a que fosse deposto pela mãe, que tomou a regência em seu nome.
Isabel da Dinamarca (regente) Hertuginde Elisabeth.JPG 25 de agosto de 1573 1616-1622 19 de julho de 1625 Volfembutel, Calemberga eGrubenhagen (até 1617)

Volfembutel e Calemberga (desde 1617)

Henrique Júlio
19 de abril de 1590
Cölln
dez filhos
Com a ajuda do seu irmão, Cristiano IV da Dinamarca, conseguiu depor o filho, e tomar o seu lugar na governação, embora em nome dele. Em 1617, no entanto, perdeu o Grubenhagen para o Luneburgo. Deixou as tarefas de governo a Anton von Streithorst, que quase levou o ducado à ruína por ter cunhado moedas em metais baratos, causando inflação. Devido à má situação da terra, Cristiano voltou a intervir, colocando Frederico Ulrico de novo no seu lugar de direito.
Cristiano I O Velho Christianderälterevonbraunschweig-lüneburg.jpg 9 de novembro de 1566 1611-1617 8 de novembro de 1633 Luneburgo Não casou Em 1617 anexou (deifnitivamente) o Grubenhagen, subtraindo-o ao Volfembutel-Calemberga. Não deixou descendentes. O ducado passou para o irmão, Augusto.
1617-1633 Luneburgo e Grubenhagen
Frederico Ulrico Arolsen Klebeband 01 225 2.jpg 5 de abril de 1591 1622-1634 11 de agosto de 1634 Volfembutel e Calemberga Ana Sofia de Brandemburgo
4 de setembro de 1614
Volfembutel
sem filhos
Não deixou descendência. As suas terras passaram as as linhagens colaterais dos Guelfos de Luneburgo.
Augusto I O Velho Augustderälterevonbraunschweiglüneburger(gest.1636).jpg 18 de novembro de 1568 1633-1636 1 de outubro de 1636 Luneburgo (e Grubenhagen) Não casou Não deixou descendentes. O ducado passou para o irmão, Frederico IV.
Jorge I Georg (Braunschweig-Calenberg) Residenzmuseum Celle.JPG 17 de fevereiro de 1582 1634-1641 12 de abril de 1670 Calemberga Ana Leonor de Hesse-Darmstadt
14 de dezembro de 1617
Darmstadt
oito filhos
Filho mais novo de Guilherme VI, herdou Calemberga do primo, Frederico Ulrico. Abdicou para o filho em 1641.
Augusto II O Jovem August d.J..jpg 10 de abril de 1579 1634-1666 17 de setembro de 1666 Volfembutel Clara Maria da Pomerânia-Barth
13 de dezembro de 1607
Strelitz
dois filhos

Doroteia de Anhalt-Zerbst
26 de outubro de 1623
Zerbst
cinco filhos

Sofia Isabel de Mecklemburgo-Güstrow
1635
dois filhos
Filho mais novo de Henrique X, herdou o Volfembutel do primo, Frederico Ulrico. Em 1643 trasladou a capital para Volfembutel, fundou ainda o teatro barroco e a Bibliotheca Augusta.
Frederico IV Friedrich IV. Braunschweig-Lüneburg (1574-1648).jpg 28 de agosto de 1574 1636-1648 10 de dezembro de 1648 Luneburgo (e Grubenhagen) Não casou Não deixou descendentes. O ducado passou para o Cristiano Luís, filho do seu irmão Jorge I.
Cristiano Luís ChristianLudwig(1622-1665).jpg 25 de fevereiro de 1622 1641-1648 15 de março de 1665 Calemberga Sofia Doroteia de Schleswig-Holstein-Sonderburg-Glücksburg
9 de outubro de 1653
sem filhos
Abdicou para o irmão, Jorge Guilherme, para tomar a herança do tio no Luneburgo.
1648-1665 Luneburgo
Jorge Guilherme Georg Wilhelm (Braunschweig-Lüneburg)@Residenzmuseum Celle20160708 05.jpg 26 de janeiro de 1624 1648-1665 28 de agosto de 1705 Calemberga Éléonore Desmier d'Olbreuse
1676
one child
Abdicou para o irmão para tomar a herança de Cristiano Luís (também seu irmão) no Luneburgo. À sua morte o ducado passou para o genro, o Eleitor de Hanôver.
1665-1705 Luneburgo
Rodolfo Augusto RudolphAugust by HansHinrichRundt.jpg 16 de maio de 1627 1666-1704 26 de janeiro de 1704 Volfembutel Cristiana Isabel de Barby-Mühlingen
1650
três filhos

Rosina Isabel Menthe
1681
(morganático)
sem filhos
Filhos de Augusto II, governaram em conjunto entre 1685 e 1702. De acordo com notícias de 1677, Rodolfo Augusto desbravou um caminho que atravessava a Floresta Lechlum, o Alten Weg ("Velho Caminho"), mais tarde a "Estrada Barroca"; em 1671 tomou a cidade e a fortaleza de Brunsvique. Depois da morte de Rodolfo Augusto, António Ulrico regressou ao trono e governou sozinho. Era um político, um amante das artes. Fundou um museu com o seu nome em Brunsvique. Construiu o Castelo de Salzdahlum .
António Ulrico Christoph Bernhard Francke - Herzog Anton Ulrich von Braunschweig (1633-1714).jpg 4 de outubro de 1633 1685-1702

1704-1714
27 de março de 1714 Volfembutel Isabel Juliana de Schleswig-Holstein-Sønderburg-Nordborg
17 de agosto de 1656
treze filhos
João Frederico Johann Hulsmann - Joh Friedrich Herzog von Braunschweig-Luneberg-Kalenburg - 1675.jpg 25 de abril de 1625 1665-1679 18 dezembro de 1679 Calemberga Benedita Henriqueta do Palatinado
30 de novembro de 1668
Hanôver
três filhos
Irmão de Cristiano Luís e Jorge Guilherme, não deixou descendência. O Principado foi herdado por Ernesto Augusto, o seu irmão mais novo.
Ernesto Augusto I Celle Schloss Ernest Augustus, Elector of Hanover 01.JPG 20 de novembro de 1629 1679-1692 23 de janeiro de 1698 Calemberga Sofia do Palatinado
30 de setembro de 1658
Heidelberg
sete filhos
Filho mais novo de Jorge I, em 1692 foi designado Príncipe-Eleitor por Leopoldo I do Sacro Império Romano-Germânico, elevando a Casa de Guelfos à dignidade eleitoral. Desta forma, o velho Principado de Calemberga tomou o novo nome de Eleitorado de Hanôver.
1692-1698 Eleitorado de Hanôver
Jorge II King George I by Sir Godfrey Kneller, Bt (3).jpg 28 de maio de 1660 1698-1705 11 June 1727 Eleitorado de Hanôver Sofia Doroteia de Brunsvique-Luneburgo
22 de novembro de 1682
Celle
(anulado em 1694)
dois filhos
O Eleitorado torna-se efetivo sob o seu governo. Em 1705 anexou o Luneburgo, até então governado pelo sogro e tio, Jorge Guilherme. Em 1714 foi escolhido para Rei da Grã-Bretanha, iniciando-se assim uma união pessoal entre Hanôver e o este novo Reino. Volfembutel passou a ser a única terra do antigo Brunsvique-Luneburgo que permanceu separada. Normalmente numerado I como Eleitor e Rei.
1705-1727 Eleitorado de Hanôver e Luneburgo
Augusto Guilherme Augustus William, duke of Brunswick-Wolfenbüttel.jpg 8 de março de 1662 1714-1731 23 de março de 1731 Volfembutel Cristina Sofia de Brunsvique-Volfembutel
1681
sem filhos

Sofia Amália de Holstein-Gottorp
1695
sem filhos

Isabel Sofia Maria de Schleswig-Holstein-Sonderborg-Norburg
1710
sem filhos
Filho de António Ulrico. Governou a única terra que não integrou o Eleitorado de Hanôver. Não deixou descendência. Foi sucedido pelo irmão.
Jorge III George II by Thomas Hudson.jpg 30 de outubro / 9 de novembro de 1683O.S./N.S. 1727-1760 25 de outubro de 1760 Eleitorado de Hanôver Guilhermina Carlota Carolina de Brandemburgo-Ansbach
22 de agosto / 2 de setembro de 1705O.S./N.S.
Hanôver
dez filhos
Em união pessoal com a Grã-Bretanha. Geralmente numerado II como Eleitor e Rei.
Luís Rodolfo Louis Rudolph duke of Brunswick-Wolfenbüttel.jpg 22 de julho de 1671 1731-1735 1 de março de 1735 Volfembutel Cristina Luísa de Oettingen-Oettingen
22 de abril de 1690
Aurich
três filhos
Não deixou descendentes masculinos. O Volfembutel foi herdado por uma linha secundogénita.
Fernando Alberto Ferdinand Albrecht II Braunschweig.jpg 29 de maio de 1680 1735 2 de setembro de 1735 Volfembutel Antónia Amália de Brunsvique-Volfembutel
15 de outubro de 1712
Brunsvique
treze filhos
Da linhagem de Bevern. Neto de Augusto II.
Carlos I Karl I. von Braunschweig.jpg 1 de agosto de 1713 1735-1773 26 de março de 1780 Volfembutel Filipina Carlota da Prússia
2 de junho de 1733
Berlim
treze filhos
Fundador do Colégio Carolinum (hoje Universidade de Tecnologia de Brunsvique) de fábricas de porcelana em Fürstenberg, entre outros; em 1753, mudou a capital para Brunsvique. Os problemas financeiros que acumulou levaram a que fosse deposto e substituído pelo filho.
Jorge IV Allan Ramsay - King George III in coronation robes - Google Art Project.jpg 4 de junho de 1738 1760-1811 29 de janeiro de 1820 Eleitorado de Hanôver Carlota de Mecklemburgo-Strelitz
8 de setembro de 1761
Londres
quinze filhos
Em união pessoal com a Grã-Bretanha. Geralmente numerado III como Eleitor e Rei. Nascido em Inglaterra, nunca visitou Hanôver.
Carlos II BraunschweigLKWF.jpg 9 de outubro de 1735 1773-1806 10 de novembro de 1806 Volfembutel Augusta da Grã-Bretanha
16 de janeiro de 1764
Londres
sete filhos
Devido a problemas financeiros, foi obrigado a substituir o pai no governo do ducado. Era o chefe do Exército Prussiano. Faleceu na Batalha de Jena; o governo passaria para o filho mais novo, mas sobrevivente, Frederico Guilherme.
Com a dissolução do Sacro Império Romano-Germânico em 1806, o título de Duque de Brunsvique-Luneburgo deixou de existir. Porém os seus estados sucessores continuaram.
Frederico Guilherme O Duque Negro Herzog Friedrich Wilhelm von Braunschweig-Oels, der Schwarze Herzog.jpg 9 de outubro de 1771 1806-1807 16 de junho de 1815 Volfembutel Maria Isabel Guilhermina de Baden
1 de novembro de 1802
Karlsruhe
três filhos
Duque de Oleśnica, recrutou um corpo de soldados voluntário: os Brunsviques Negros, no início da Guerra da Quinta Coligação na Boémia em 1809, e marchou até ao Mar do Norte e daí para a Grã-Bretanha.
Em pleno período Napoleónico, em 1807 o Ducado foi anexado ao Reino da França, para ressurgir em 1813 como Ducado de Brunsvique.
Jorge V George IV 1821 color.jpg 12 de agosto de 1762 1811-1830 26 de junho de 1830 Eleitorado de Hanôver

(até 1814)


Reino de Hanôver

(desde 1814)

Carolina Amélia Isabel de Brunsvique-Volfembutel
8 de abril de 1795
Londres
um filho
Em união pessoal com a Grã-Bretanha. Geralmente numerado IV como Eleitor e Rei. Foi nomeado regente durante a doença do pai, que se prolongou até à morte dele em 1820. Não deixou descendentes. O Eleitorado passou para o irmão.
Frederico Guilherme O Duque Negro Herzog Friedrich Wilhelm von Braunschweig-Oels, der Schwarze Herzog.jpg 9 de outubro de 1771 1813-1815 16 de junho de 1815 Brunsvique Maria Isabel Guilhermina de Baden
1 de novembro de 1802
Karlsruhe
três filhos
Foi restaurado ao seu ducado, que passou a designar-se Brunsvique.
Jorge IV do Reino Unido(regente) George IV 1821 color.jpg 12 de agosto de 1762 1815-1823 26 de junho de 1830 Brunsvique Carolina Amélia Isabel de Brunsvique-Volfembutel
8 de abril de 1795
Londres
um filho
Regente em nome do duque de Brunsvique, Carlos.
Carlos III Charles II, Duke of Brunswick-Lüneburg (1804-1873).jpg 30 de outubro de 1804 1815-1830 18 de agosto de 1873 Brunsvique Não casou No advento da Revolução de Julho de 1830, Carlos estava em Paris, e não conseguiu manter o ducado para si; o seu irmão Guilherme tomou posse com a aprovação do ducado e dos estados vizinhos.
Guilherme VII William IV crop.jpg 21 de agosto de 1765 1830-1837 20 de junho de 1837 Reino de Hanôver Adelaide de Saxe-Meiningen
13 de julho de 1818
Londres
quatro filhos
Em união pessoal com a Grã-Bretanha. Geralmente numerado IV como Eleitor e Rei. Não deixou descendentes. O Eleitorado passou para o irmão.
Guilherme VIII WillemBrunswijk.jpg 25 de abril de 1806 1830-1884 18 de outubro de 1884 Brunsvique Não casou Irmão de Carlos. Também não deixou descendência, encerrando a linhagem de Augusto II. Após uma longa regência, o ducado reverteria para o neto de Jorge VI.
Ernesto Augusto II Ernest Augustus I of Hanover.PNG 5 de junho de 1771 1837-1851 18 novembro de 1851 Reino de Hanôver Frederica de Mecklemburgo-Strelitz
29 de maio de 1815
Neustrelitz
três filhos
Fim da união pessoal com a Grã-Bretanha, uma vez que neste reino sucedeu Vitória I. Esta, impedida de suceder em Hanôver pelo facto de a Lei Sálica estar ainda legislada na Alemanha, neste Reino sucedeu Ernesto, irmão de Guilherme.
Jorge VI GeorgeVHannover.jpg 27 de maio de 1819 1851-1866 12 de junho de 1878 Reino de Hanôver Maria de Saxe-Altemburgo I
18 de fevereiro de 1843
Hanôver
três filhos
Normalmente numerado V como Rei de Hanôver. Foi o último rei deste reino, uma vez que o mesmo chegou ao fim com a Unificação da Alemanha.
Alberto da Prússia

(regente)

Prince Albrecht of Prussia in 1883.jpg 8 de maio de 1837 1885-1906 13 de setembro de 1906 Brunsvique Maria de Saxe-Altemburgo II
9 de abril de 1873
Berlim
três filhos
Regentes em nome de Ernesto Augusto. A regência chegou ao fim a 1 de novembro de 1913, quando foi concedida ao herdeiro Ernesto Augusto (neto de Jorge VI) a possibilidade de herdar o ducado, o que aconteceu após o seu casamento com Vitória Luísa.
João Alberto de Mecklemburgo-Schwerin (regente) Johann-Albrecht-zu-Mecklenburg.jpg 8 de dezembro de 1857 1906-1913 20 de fevereiro de 1920 Brunsvique Isabel Sibila de Saxe-Weimar-Eisenach
6 de novembro de 1886
Weimar
sem filhos

Isabel de Stolberg-Rossla
15 de dezembro de 1909
sem filhos
Ernesto Augusto III Ernst August Herzog zu Braunschweig.jpg 17 de novembro de 1887 1913-1918 30 de janeiro de 1953 Brunsvique Vitória Luísa da Prússia
24 de maio de 1913
Berlim
cinco filhos
Neto de Jorge VI. Em 1918, com a abolição da monarquia, todos os títulos nobres foram igualmente abolidos.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

(em português) http://www.dec.ufcg.edu.br/biografias/RBDHnovr.html

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre história da Alemanha é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.