Ducado de Mântua

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ducato di Mantova
Ducado de Mântua

Ducado do
Sacro Império Romano-Germânico

Flag of the Holy Roman Empire (1200-1350).svg
1273 – 1708 Flag of the Habsburg Monarchy.svg

Brasão de Mântua

Brasão

Localização de Mântua
Províncias da Lombardia - o Ducado de Mântua correspondia à Província de Mântua, a Sudeste (Roxo)
Continente Europa
País Itália
Capital Mântua
Língua oficial Lombardo
Religião Catolicismo
Governo Principado
História
 • 1273 Fundação
 • 16 de agosto de 1328 de {{{ano_evento1}}} Revolta dos Gonzaga
 • 1433 de {{{ano_evento2}}} Criação do marquesado
 • 1530 de {{{ano_evento3}}} Elevação a Ducado
 • 1713 de {{{ano_evento4}}} Tratado de Utreque formaliza dissolução
 • 1708 Dissolução

O Ducado de Mântua, com capital na cidade de Mântua (na Lombardia), foi um pequeno estado do noroeste da península Itálica que subsistiu como unidade política entre 1276 e 1708, ficando a partir de então anexado ao Ducado de Milão até 1866, ano em que foi incorporado no Reino de Itália na sequência do processo de unificação da Itália.

Mântua foi um senhorio independente a partir de 1276, sendo elevado a marca em 1433 e transformando-se efectivamente em ducado a partir de 1530. Em 1708, o Ducado de Mântua foi anexado ao Ducado de Milão em resultado da sua ocupação pelas tropas do imperador Leopoldo I, no decurso da Guerra da Sucessão de Espanha.

Senhores de Mântua[editar | editar código-fonte]

Casa Bonacolsi (1276-1328)[editar | editar código-fonte]

Casa de Gonzaga (1328–1433)[editar | editar código-fonte]

Marqueses de Mântua[editar | editar código-fonte]

Casa de Gonzaga (1433–1530)[editar | editar código-fonte]

Duques de Mântua[editar | editar código-fonte]

Os duques de Mântua passam a ser igualmente marqueses de Monferrato a partir de 1536, por casamento do duque Frederico II Gonzaga com Margarida de Monferrato, filha de Guilherme IX de Monferrato. Em 1574, Guilherme I, duque de Mântua e marquês de Monferrato, sob o título de Guilherme X, vê o seu marquesado elevado à dignidade de ducado.

Casa de Gonzaga (1530–1627)[editar | editar código-fonte]

Em 1627, Vicente II designa Carlos I (do ramo dos Gonzaga-Nevers) como sucessor, mas de 1627 a 1631, Mântua foi ocupada por forças imperiais e o Monferrato pelo Ducado de Saboia.

Casa Gonzaga-Nevers (1627–1708)[editar | editar código-fonte]

Em 1708, o ducado de Mântua foi integrado ao Ducado de Milão, desaparecendo enquanto entidade política.

Linha de sucessão dos Bonacolsi[editar | editar código-fonte]

Pinamonte
│
├─>Bardelão
│
└─>João Francisco (não reinante)
   │
   ├─>Guido
   │
   └─>Rinaldo, o Passarinho

Linha de sucessão dos Gonzaga[editar | editar código-fonte]

Luís I
|
+-Guido
  |
  +-Luís II
    |
    +-Francisco I
      |
      +-João Francisco
        |
        +-Luís III
          |
          +-Francisco I
            |
            +-Francisco II
              |
              +-Francisco II
                |
                +-Francisco III
                |
                +-Guilherme
                | |
                | +-Vicente I
                |   |
                |   +-Francisco IV
                |   |
                |   +-Ferdinando
                |   |
                |   +-Vicente II
                |
                +-(Luís de Nevers - não reinante)
                  |
                  +-Carlos I
                    |
                    +-(Francisco - não reinante)
                    |
                    +-(Carlos II - não reinante)
                      |
                      +-Carlos III
                        |
                        +-Ferdinando Carlos IV


Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]


Ícone de esboço Este artigo sobre Estado extinto, integrado ao Projeto Estados Extintos é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.