Dudu do Banjo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Ambox rewrite.svg
Esta página precisa ser reciclada de acordo com o livro de estilo (desde janeiro de 2013).
Sinta-se livre para editá-la para que esta possa atingir um nível de qualidade superior.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde novembro de 2012). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Dudu do Banjo
Dudu do Banjo na Radio Campeche
Informação geral
Nome completo Francisco Eduardo de Souza Pereira
Também conhecido(a) como Dudu
Nascimento 4 de junho de 1935 (84 anos)
Origem São Paulo
País  Brasil
Gênero(s) Jazz, dixieland, musica livre
Instrumento(s) banjo, guitarra
Modelos de instrumentos Banjo Eko de 6 cordas
Página oficial [1]

Francisco Eduardo de Souza Pereira, conhecido como Dudu do Banjo, ou O Rei do Banjo (São Paulo, 4 de junho de 1935), é um guitarrista e banjoísta brasileiro.

Carreira[editar | editar código-fonte]

A carreira artística de Dudu iniciou em São Paulo na década de 1950 com a “Paulistânia Jazz Band”, na qual tocava banjo com o saxofonista Booker Pittman e outros músicos de diversas nacionalidades. Após participar de outras bandas e alcançar renome como banjoísta de jazz tradicional Dudu aderiu à novidade que era o rock'n'roll, fundando, em 1958, a banda The Avalons que lançou discos e singles de sucesso, entre eles China Rock, consagrado como o primeiro riff de guitarra rock instrumental do Brasil.[1]

Em 1960 Dudu lançou as jam sessions da Folha de S.Paulo. Em 1962 Dudu seguiu a carreira de músico na Europa, começando em Paris, juntando-se ao baterista Ney de Castro com a banda Batucada Brasileira, fazendo diversas temporadas na casa de shows La Grand Severine. Realizou diversas turnês pela Europa com a cantora Miúcha e foi contratado por três anos para apresentações em Míconos e Atenas, na Grécia.

Ao voltar ao Brasil, Dudu passou a integrar a Traditional Jazz Band, com a qual excursionou por diversas cidades nos Estados Unidos, participando, em 1975, do New Orleans Jazz e Heritage Festival[carece de fontes?]. No final dos anos 1990, fundou a banda Papadu, com os filhos Emanuel e Ícaro.

Atualmente (2011), Dudu reside e atua em Florianópolis com a Família Papadu.[2]

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • The Avalons – China Rock (Dudu) e Valentina My Valentina (versão) Young Y-45-100 (ed.Fermata) 1959.
  • The Avalons – Rebel Rouser e All the Time (Versões) Young Y-45-104 (ed. Fermata) 1959.
  • The Avalons –Here Come The Avalons (Dudu) Young Y-45-112 1960.
  • The Avalons –The Eyes of Texas are upon you (versão) N° 13 (Dudu) RGE 1961.
  • The Avalons – Baby Talk Young Y-EP 1 - 1960.
  • Regiane e The Avalons - The Beautiful Teenager Young Y-EP 2 1960.
  • The Avalons – Juventude! RGE EP 90089 1961.
  • Jam Session Booker Pitman & Dick Farney 1961 . LP Folha de S. Paulo 1961.
  • Traditional Jazz Band - A era de ouro do Dixieland - LP Fontana 6470553 1975.
  • PAPADÚ em Improviso - CD Independente 2001.
  • PAPADÚ, o Cerne do Som - CD Independente 2011

Referências

  1. «The History of Brazilian Rock Instrumental Scene». Consultado em 1 de dezembro de 2012 
  2. «Papadu». NEPOM - Dicionário da Música Popular em Santa Catarina. Consultado em 25 de dezembro de 2011 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre músico é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.