Duleep Singh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Maharaja Duleep Singh
Duleep Singh, em fato cerimonial, 1852, pelo pintor inglês George Beechey.
Maharani Bamba
Nascimento 06 de setembro de 1838
  Lahore, Império Sikh
Morte 22 de outubro de 1893 (55 anos)
  Paris, França
Ocupação Marajá do Império Sikh
Pai Maharaja Ranjit Singh
Mãe Maharani Jind Kaur
Religião Sikh

Marajá Duleep Singh, GCSI (6 de Setembro de 1838 – 22 de Outubro de 1893), também conhecido como Dalip Singh[1] e mais tarde com o cognome O Príncipe Negro de Perthshire,[2] foi o último marajá do Império Sikh. Era o filho mais novo do marajá Ranjit Singh e filho único da Marani Jind Kaur.

Depois dos assassinatos dos seus quatro antecedentes, Duleep subiu ao poder em Setembro de 1843, com cinco anos de idade. Durante um tempo a sua mãe governou como Regente, mas em Dezembro de 1846, depois da Primeira Guerra Anglo-Sikh, foi substituída por um Residente Britânico e aprisionada. Durante treze anos e meio não foi permitido que mãe e filho se encontrassem. Em Abril de 1849, Duleep com dez anos, foi colocado ao cuidado do Dr. John Logan e da sua esposa e deram-lhe uma bíblia. Foi-lhe ensinado o estilo de vida britânico e eventualmente acabou por converter-se ao Cristianismo.[3]

Aos quinze anos foi exilado para a Grã-Bretanha onde foi protegido e muito admirado pela Rainha Vitória, que se diz ter escrito ao Punjabi Marajá: "Esses olhos e esses dentes são muito bonitos".[4] A Rainha era madrinha de vários dos seus filhos.

Em 1856 tentou contactar a sua mãe, mas a sua carta e os emissários foram interceptados pelos britânicos na Índia, acabando a carta por se perder. No entanto, foi persistente, e com a ajuda de Login, deram-lhe permissão para se encontrar com ela a 16 de Janeiro de 1861, no Hotel Spence em Calcutá, e trouxe-a consigo para a Inglaterra.[5] Nos últimos dois anos da sua vida, a sua mãe contou ao marajá sobre a sua herança Sikh e o seu império que outrora tinha sido seu para governar.

Duleep Singh morreu em Paris em 1893 com 55 anos de idade, depois de ter visto a Índia apenas duas vezes depois dos quinze anos. Essas duas visitas foram passagens muito curtas e muito controladas: uma quando trouxe a sua mãe para Inglaterra, e outra em 1863 para depositar as cinzas da mãe.

O desejo de Duleep Singh de que o seu corpo fosse enterrado na Índia nunca foi honrado. O valor simbólico de um funeral de um dos filhos do Leão de Punjab poderia ter causado tumultos, dado o ressentimento crescente ao domínio britânico. O seu corpo foi enterrado de acordo com os rituais cristãos, ao lado da campa da sua esposa Marani Bamba e do seu filho Príncipe Edward Albert Duleep Singh.[3]

Referências

  1. Existem dúvidas como dizer o nome. Entre as alternativas existem Dhulip, Dulip, Dhalip, Dhuleep e Dalip, mas ele usava Duleep quando ele próprio escrevia, embora Dalip fosse o correcto em Punjabi. Cartas e documentos oficiais britânicos por vezes referem-se a ele como “Dalip the Ultimate”.
  2. Dalip SinghBritannica.com
  3. a b Perminder Khatkar (4 de julho de 2014). «"Should the last Sikh maharajah be returned to India?"». BBC News. Consultado em 16 de setembro de 2015. 
  4. Eton, the Raj and modern India; By Alastair Lawson; 9 March 2005; BBC News.
  5. E Dalhousie Login, Lady Login's Recollections, Chapter 14, Smith Elder, 1916

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Duleep Singh