Dupla sertaneja

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde junho de 2017). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Chitãozinho & Xororó são tidos como a dupla sertaneja que abriu as portas das rádios FM para o sertanejo no início da década de 1980.[1] Eles venderam mais de 37 milhões de álbuns.[1]

A dupla sertaneja é uma formação de dois músicos, característica da música sertaneja. Apesar de atualmente muitos cantores sertanejos terem optado pela carreira solo após a morte de seus parceiros, como é o caso dos cantores Dalvan, Daniel e Leonardo, a dupla ainda prevalece como opção preferencial dos músicos sertanejos.

Descrição[editar | editar código-fonte]

Geralmente, uma dupla se faz com dois cantores com tonalidades de voz diferentes, mas que se complementam em dueto, sendo a 1ª voz (com tom de voz mais agudo, na maioria das vezes, e que segura a voz nos falsetes) e a 2ª voz (com tom de voz mais grave, que faz uma base inversa da primeira, cantando uma oitava abaixo da primeira).

História[editar | editar código-fonte]

A primeira dupla sertaneja a gravar um disco foi Mariano e Caçula, pai e tio respectivamente do sanfoneiro Caçulinha, no ano de 1929: foi a moda de viola "Jorginho do Sertão", composição de Cornélio Pires.[2][3]

Distribuição geográfica[editar | editar código-fonte]

São diversos os estados brasileiros onde surgem duplas sertanejas, mas existe uma maior concentração de cantores desse estilo musical nos estados de Goiás, São Paulo, Minas Gerais, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b "O que a gente menos ouve é sertanejo", dizem Chitãozinho & Xororó Estadão
  2. «Caçula e Mariano - Dados Artísticos». Dicionário Cravo Albin da Música Popular Brasileira. Consultado em 19 de dezembro de 2012 
  3. Israel Lopes. «80 anos da música caipira». osreisdocururu. Consultado em 19 de dezembro de 2012. Arquivado do original em 3 de março de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre música é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.