Duplipensar

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Duplopensar ou duplipensar é o ato de aceitar simultaneamente duas crenças errôneas e mutualmente contraditórias como corretas, muitas vezes de distintos contextos sociais.[1] É relacionado, mas diferente da hipocrisia e da neutralidade. Tem paralelo com o fenômeno da dissonância cognitiva, em que ambas as crenças causam conflito de times iguais.

George Orwell foi quem inventou o conceito de "duplipensar" em seu romance Mil Novecentos e Oitenta e Quatro, como "o poder de manter duas crenças contraditórias na mente ao mesmo tempo(...)"[2]


Origem e conceitos[editar | editar código-fonte]

De acordo com a obra de Orwell:

Cquote1.svg Saber e não saber, estar consciente de sua completa sinceridade ao exprimir mentiras cuidadosamente arquitetadas, defender simultaneamente duas opiniões que se cancelam mutuamente, sabendo que se contradizem, e ainda assim acreditar em ambas; usar a lógica contra a lógica, repudiar a moralidade e apropriar-se dela, crer na impossibilidade da Democracia e que o Partido era o guardião da Democracia; esquecer o quanto fosse necessário esquecer, trazê-lo à memória prontamente no momento preciso, e depois torná-lo a esquecer; e acima de tudo, aplicar o próprio processo ao processo. Essa era a sutileza máxima: induzir conscientemente a inconsciência, e então, tornar-se inconsciente do ato de hipnose que se acabava de realizar. Até para compreender a palavra "duplipensar" era necessário usar o duplipensar.[3] Cquote2.svg

E também, numa descrição mais resumida:

Cquote1.svg O poder de manter duas crenças contraditórias na mente ao mesmo tempo, de contar mentiras deliberadas e ao mesmo tempo acreditar genuinamente nelas, e esquecer qualquer fato que tenha se tornado inconveniente.[4] Cquote2.svg

Referências

  1. McArthur, Tom (1992). The Oxford Companion to the English Language (em inglês) Oxford University Press [S.l.] p. 321. ISBN 0-19-214183-X. 
  2. Rohter, Larry; MACHADO, ANTONIO; NUNES, OTACILIO; DANIEL ESTILL, SAULO ADRIANO (2008). Deu No New York Times OBJETIVA [S.l.] p. 93. ISBN 978-85-7302-927-7. 
  3. Orwell, George (1949). «3». Nineteen Eighty-Four (Londres: Martin Secker & Warburg Ltd). p. 32. 
  4. Orwell, George (1949). «9». Nineteen Eighty-Four (Londres: Martin Secker & Warburg Ltd). p. 220. 

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]