Duque de Coimbra

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Duque de Coimbra
Armas duques coimbra.png
Brasão de armas do Duque de Coimbra
No cargo
Infanta Maria Francisca of Portugal

desde 4 de Julho de 2018
Duração Vitalício
Criado em 1415
Primeiro titular D. Pedro

O título Duque de Coimbra foi criado pelo rei D. João I de Portugal em 1415, na sequência da conquista de Ceuta, nesse ano, a favor do seu segundo filho D. Pedro, Infante de Portugal. Juntamente com o título Duque de Viseu, criado na mesma altura para o Infante D. Henrique, é o mais antigo ducado de Portugal. Depois da morte de D. Pedro na batalha de Alfarrobeira o título não foi herdado pelos seus filhos, sendo atribuído de novo apenas no fim do século XV ao filho ilegítimo de D. João II de Portugal.

Duques de Coimbra[editar | editar código-fonte]

1ª criação (João I, 1415)[editar | editar código-fonte]

Nome Retrato Nascimento Casamento(s) Morte Notas
Pedro, 1.º Duque de Coimbra
1415
– 20 de maio de 1449
Peter of Coimbra (St. Vincent Panels).jpg 9 de dezembro de 1392
Lisboa
Filho de João I de Portugal e Filipa de Lencastre
Isabel de Urgel
12 de setembro de 1429[1]
Alcolea de Cinca
sete filhos
20 de maio de 1449
Vialonga
56 anos
Sepultado no Mosteiro de Santa Maria da Vitória em Batalha
Com seus irmãos D. Duarte e D. Henrique, participou, em 1415, na conquista de Ceuta, sendo encarregado de organizar a frota das gentes do Sul. Com eles foi armado cavaleiro, por seu pai D. João I, na mesquita de Ceuta, após a conquista. No regresso, D. João I doou-lhe o ducado de Coimbra e outros senhorios.

2ª criação (Manuel I, 1500)[editar | editar código-fonte]

Nome Retrato Nascimento Casamento(s) Morte Notas
Jorge de Lancastre
25 de maio de 1500[2]
– 22 de julho de 1550
2º Duque de Coimbra.jpg 12 de agosto de 1481
Abrantes
Filho de João II de Portugal e Ana de Mendonça
Beatriz de Vilhena
1500
oito filhos
22 de julho de 1550
Palmela
68 anos
Sepultado no Igreja de Santiago de Palmela
Manuel I criou-o 2.º duque de Coimbra (em 25 de maio de 1500) ao dar-lhe casa, a fim de cumprir os últimos desejos do testamento do seu primo e cunhado João II.

3ª criação (Luís I, 1875)[editar | editar código-fonte]

Nome Retrato Nascimento Casamento(s) Morte Notas
Augusto de Bragança, Duque de Coimbra
1875
– 26 de setembro de 1889
Infante D. Augusto de Bragança (c. 1867-1877) - C. da Rocha.png 4 de novembro de 1847
Lisboa
Filho de Maria II de Portugal e Fernando II de Portugal
Não casou 26 de setembro de 1889
Lisboa
41 anos
Sepultado no Panteão da Dinastia de Bragança, Lisboa

Reivindicações pós-monarquia[editar | editar código-fonte]

Reivindicaram, também, o título de Duque/Duquesa de Coimbra:

  • D. Maria Pia de Saxe-Coburgo Gotha e Bragança, como pretendente ao trono (alegada filha bastarda do rei D. Carlos I)
  • Henrique João de Bragança, filho de S.A.R o Senhor Dom Duarte Nuno de Bragança e de S.A.R a Senhora Dona Maria Francisca de Orleans e Bragança, Princesa do Brasil, bisneto do rei D. Miguel I, pretendente também ao título de Infante de Portugal (1949–2017).
  • Infanta Maria Francisca Isabel de Herédia e Bragança, filha de S.A.R o Senhor Dom Duarte Pio de Bragança e de S.A.R a Senhora Dona Isabel de Herédia.

Referências

  1. http://www.infopedia.pt/$infante-d.-pedro Infante D. Pedro, Infopédia, Porto: Porto Editora, 2003-2019
  2. Freire, Anselmo Braamcamp (1921). Brasões da Sala de Sintra, volume III. Coimbra: Imprensa da Universidade de Coimbra. p. 357. Consultado em 31 de agosto de 2019