Durval Barbosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Durval Barbosa
Durval Barbosa em 2010.
Dados pessoais
Nascimento 2 de março de 1964 (53 anos)
Canto do Buriti, Piauí

Durval Barbosa (Canto do Buriti, 2 de março de 1964) é um político brasileiro.

Foi o secretário de Relações Institucionais do Distrito Federal do Brasil nos governos de Joaquim Roriz (Partido Social Cristão) e José Roberto Arruda (sem partido).[1]

Barbosa ganhou grande notoriedade ao denunciar o governador José Roberto Arruda, o deputado distrital Leonardo Prudente e outros membros do alto escalão do governo distrital pelo escândalo do Mensalão do DEM. Barbosa confessou para a polícia que participava da distribuição de dinheiro do esquema desde a época do governo Joaquim Roriz. Durval foi beneficiado com a delação premiada.[2]

Delator do esquema de corrupção no Distrito Federal, Durval Barbosa, disse ao Ministério Público que fez um outro repasse entre R$ 30 mil e R$ 50 mil, ”a título de propina”, para a deputada federal Jaqueline Roriz (PMN-DF), além dos R$ 50 mil entregues no vídeo, revelado pelo Estadão no dia 4 de março. Segundo Durval, esse novo repasse foi feito ao marido de Jaqueline, Manoel Neto, a pedido da própria deputada. Os valores foram entregues dias depois da gravação do vídeo, relata o depoimento: “Em outra oportunidade, em data que não se recorda, Manoel Neto, representando Jaqueline Roriz, compareceu ao gabinete do depoente, oportunidade em que recebeu entre R$ 30.000,00 e R$ 50.000,00 das mãos do depoente”. “Valores que também haviam sido recolhidos junto aos prestadores de serviço de informática do governo”, informou Durval.

Referências

  1. «Durval Barbosa depõe na CPI da Corrupção no DF nesta terça». Terra. 30 de março de 2010. Consultado em 29 de março de 2016 
  2. «Durval é beneficiado com delação premiada e tem punição extinta em dois processos». JusBrasil. 2013. Consultado em 29 de março de 2016