Dyego Rocha Coelho

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Coelho
Informações pessoais
Nome completo Dyego Rocha Coelho
Data de nasc. 22 de março de 1983 (37 anos)
Local de nasc. São Paulo, Brasil
Altura 1,78 m
destro
Informações profissionais
Equipa atual Corinthians
Posição Ex-lateral-direito
Função Treinador (Sub-20)
Clubes de juventude
2003–2004 Corinthians
Clubes profissionais12
Anos Clubes Jogos (golos)
2003–2008
2007–2008
2008–2009
2009–2010
2011
2012–2013
2013
2014
Corinthians
Atlético Mineiro (emp.)
Bologna
Atlético Mineiro
Karabükspor
Bahia
Guaratinguetá
Atlético Sorocaba
00112 00(15)
00064 00(10)
00014 000(0)
00023 000(2)
00010 000(2)
00011 000(1)
00017 000(2)
00006 000(0)
Seleção nacional3
2003 Brasil 00001 000(0)
Times/Equipas que treinou3
2015
2015
2016
2017–2018
2018
2019
2019–
2019
2020
Corinthians sub-20 (auxiliar-técnico)
Corinthians sub-20 (técnico interino)
Corinthians sub-20 (auxiliar-técnico)
Corinthians sub-20
Corinthians (auxiliar-técnico)
Guarani (auxiliar-técnico)
Corinthians sub-20
Corinthians (interino)
Corinthians (interino)
00003
00001




00037
Medalhas
Jogos Pan-Americanos
Prata Santo Domingo 2003 Futebol

Dyego Rocha Coelho, mais conhecido como Coelho (São Paulo, 22 de março de 1983), é um treinador e ex-futebolista brasileiro que atuava como lateral-direito. Atualmente é treinador da equipe sub-20 do Corinthians,[1][2]

Foi revelado pelo Corinthians e atuou no clube de 2003 a 2008. Retornou ao Timão no início de 2016 na função de auxiliar-técnico de Osmar Loss no time sub-20. Como jogador, seus principais títulos foram o Campeonato Brasileiro de 2005, o Campeonato Paulista de 2003, a Copa do Mundo Sub-20 de 2003 e o Campeonato Mineiro de 2007.

Carreira como jogador[editar | editar código-fonte]

Início[editar | editar código-fonte]

Revelado nas categorias de base do Corinthians, sua estreia no time profissional aconteceu dia 3 de julho de 2003, na vitória por 2–0 contra o Atlético Mineiro. Com os anos e o seu eficiente apoio pelos lados do campo, firmou-se entre os titulares da equipe. Foi um jogador importante na reta final da conquista do Campeonato Brasileiro de 2005, chamando a responsabilidade nas cobranças de faltas, pênaltis e escanteios. No ano seguinte (2006), o jogador viria a fazer um gol contra a sua própria meta, em partida válida pela Libertadores. O lance acabou gerando críticas a ele, que optou por deixar o Parque São Jorge.

Atlético Mineiro[editar | editar código-fonte]

Outro fato marcante da carreira de Coelho aconteceu no dia 16 de setembro de 2007, em um Atlético Mineiro e Cruzeiro, em que, com uma forte entrada, agrediu o atacante Kerlon, do Cruzeiro, quando este fazia o "drible da foquinha".[3][4] Este fato teve grande repercussão na mídia nacional, dividindo opiniões se o drible de Kerlon era ou não futebol arte.

No dia 21 de agosto de 2009 ele voltou ao Atlético Mineiro, sendo reapresentado após uma temporada no Bologna, da Itália. Entretanto, sua segunda passagem pelo Galo durou menos de um ano, e o jogador foi dispensado logo após a conquista do Campeonato Mineiro de 2010.

Karabükspor[editar | editar código-fonte]

Jogou a temporada de 2011 no Karabükspor, da Turquia.[5]

Bahia[editar | editar código-fonte]

No dia 3 de janeiro de 2012, foi anunciado como novo reforço do Bahia.[6] Nessa temporada Coelho se lesionou mais do que jogou; fez apenas 11 jogos, marcou só um gol, e deixou o clube por falta de produtividade.

Guaratinguetá e Atlético Sorocaba[editar | editar código-fonte]

Em 2013 defendeu o Guaratinguetá[7], e em 2014, defendeu o Atlético Sorocaba[8][9], onde encerrou a carreira de jogador nesse mesmo ano.

Seleção Brasileira[editar | editar código-fonte]

Pela Seleção Brasileira, disputou a Copa Ouro da CONCACAF de 2003, na qual foi montada uma equipe de idade olímpica para representar a seleção principal. O time encerrou o torneio conquistando o 2º lugar.

Disputou também os Jogos Pan-Americanos de 2003, onde marcou um gol e obteve a Medalha de Prata.[10] No mesmo ano ainda disputou a Copa do Mundo Sub-20, tendo conquistado o título.

Carreira como treinador[editar | editar código-fonte]

Em 2015, retornou ao Corinthians para trabalhar como auxiliar técnico da equipe sub-20.[3] Em 18 de junho desse mesmo ano fez sua estreia como técnico interino no Campeonato Brasileiro Sub-20, contra o Coritiba. A partida terminou em 2–2.[11]

No dia 28 de novembro de 2018, foi anunciado como auxiliar técnico do Guarani. No dia 15 de abril retornou ao Corinthians para comandar a equipe Sub-20.

No dia 3 de novembro de 2019, após a demissão do técnico Fábio Carille, Coelho assumiu o Corinthians, interinamente, como técnico.[12][13][14] Voltou a assumir o cargo em setembro de 2020, após demissão de Tiago Nunes.[15]

Títulos[editar | editar código-fonte]

Corinthians
Atlético Mineiro
Bahia
Seleção Brasileira

Campanhas de destaque[editar | editar código-fonte]

Internacionais[editar | editar código-fonte]

Seleção Brasileira

Referências

  1. «Treinador do sub-20, Coelho assume o Corinthians». TIMÃO WEB. 4 de novembro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  2. «Dyego Coelho será o técnico do Corinthians contra o Fortaleza». Terra. 4 de novembro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  3. a b Arthur Sala Minoves (5 de maio de 2015). «Auxiliar no Corinthians sub-20, Coelho sonha ser técnico e não se arrepende de lance com Kerlon». Superesportes. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  4. Silva, Rodolfo. «» COELHO – O grande rival do Foquinha». Consultado em 4 de novembro de 2019 
  5. Wagner Eufrosino (2 de dezembro de 2011). «Achei! Sem clube, Coelho se sente em débito com o Timão e quer pagar». GloboEsporte.com. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  6. «Bahia anuncia acerto com o ex-lateral atleticano Coelho». Superesportes. 4 de janeiro de 2012. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  7. Filipe Rodrigues (15 de fevereiro de 2013). «Coelho chega ao Guará, mas faz juras ao Timão: 'Único emblema que beijei'». GloboEsporte.com. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  8. «Ex-Corinthians e Atlético-MG, Coelho acerta com o Atlético Sorocaba». ND+. 28 de janeiro de 2014. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  9. «Ex-Corinthians e Atlético-MG, Coelho acerta com o Atlético Sorocaba». O Globo. 28 de janeiro de 2014. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  10. «Panamerican Games 2003 (Santo Domingo, Dominican Republic)». www.rsssf.com. Consultado em 4 de novembro de 2019 
  11. Filipe Rodrigues (19 de junho de 2015). «Coelho estreia, termina jogo sem voz e espera mais chances no Corinthians». GloboEsporte.com. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  12. Matheus Camargo (4 de novembro de 2019). «Corinthians confirma Coelho como técnico interino e série de demissões após saída de Carille». Torcedores.com. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  13. «Corinthians confirma Coelho como técnico interino». Esporte Interativo. 4 de novembro de 2019. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  14. Yago Rudá (4 de novembro de 2019). «Coelho será o técnico do Corinthians na quarta; Tiago Nunes entra no alvo». LANCE!. Consultado em 14 de setembro de 2020 
  15. «Dyego Coelho será técnico do Corinthians contra o Fluminense». GloboEsporte.com. 11 de setembro de 2020. Consultado em 14 de setembro de 2020 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]