Eósforo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Éos e a criação de seus filhos Héspero e Eósforos, Stanisław Wyspiański, Museu Nacional de Varsóvia

Na mitologia grega Eósforo (Do antigo grego: Ἠωσφόρος ou Ἑωσφόρος, Hèosphóros ou Èosphóros) ou Fósforo (antigo grego: Φωσφόρος Phosphorus), identificada pelos gregos com a estrela d’alva ou estrela da manhã,[1] é o filho de Éos, deusa da aurora, e irmão de Héspero (Do antigo grego: Ἓσπερος Hèsperos), a estrela Vésper. Seu equivalente romano era Lúcifer ( do Latim lux e ferres, ou seja "portador da luz").

Mito[editar | editar código-fonte]

Eósforo ou Fósforo, o "filho da alva", é uma deidade menor associada à luz e ao amanhecer na mitologia grega, representado como um cavaleiro em armadura com um archote em punho. É citado como filho de Astreu e Éos,[2] e noutras versões (e.g. Higino) é filho de Céfalo e Éos,[3] ou até de Atlas.[4]

Eósforo, assim como seu irmão Héspero, é considerado o pai de Ceix, por Quione,[5] e Deucalião.[6] Outras fontes o citam como pai de Héspera, que junto de Atlas se tornou a mãe das hespéridas.[7]

Variação de Nomes[editar | editar código-fonte]

Eósforo/Fósforo não raro é confundido com o irmão Héspero, já que ambos representavam o Planeta Vênus durante a manhã e a tarde, respectivamente. Posteriormente, os gregos perceberam que Vênus se tratava de um mesmo astro, e passaram a identificá-lo com a deusa do amor, Afrodite - divindade esta que equivalia à mesma que o representava para os babilônios, a saber, Íxtar.

Seu nome era o equivalente a Lúcifer para os romanos que, então, com o advento do cristianismo, os Padres da Igreja (mais exatamente, São Jerônimo) o identificaram com Satanás, o "anjo de luz" que, por vaidade e soberba, caiu dos céus após se declarar superior a Jeová.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Hom. Il. xxiii. 226; Virg. Gerg. i. 288; Ov. Met. ii. 115, Trist. i. 3. 72.
  2. Hesíodo | Teogonia381
  3. Higino Poet. Astr. ii. 42
  4. Tzetz. ad Lyc. 879
  5. Hyg. Fab. 65
  6. Ovid. Metamorphoses. Book XI, 295.
  7. Servius. ad Aen. 4,484.