EF-118

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde julho de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.


Current event marker.png
Este artigo ou seção é sobre uma construção futura.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis.
Tower crane colorize.png
Ferrovia Vitória-Rio
Mapa Ferrovia Vitória- Rio.jpg
Traçado proposto para a Ferrovia Vitória-Rio EF-118.
EF EF-118
Bitola bitola larga e bitola mista
Extensão 577,8 km
Interconexão Ferroviária Ferrovia Vitória-Minas e MRS Logística
Portos Atendidos Porto Central e Porto do Açu

A Ferrovia Vitória-Rio (EF-118) é o projeto de uma ferrovia longitudinal brasileira que ligará o município de Nova Iguaçu, na Região metropolitana do Rio de Janeiro, a Cariacica, no Espírito Santo[1][2].

Características[editar | editar código-fonte]

A ferrovia se conectará com a malha concedida à MRS Logística, no município de Nova Iguaçu (RJ) e à Estada de Ferro Vitória-Minas, concedida à Vale, no município de Cariacica (ES). Interligará ainda os terminais portuários do Porto Central em Presidente Kennedy (Espírito Santo), o Porto do Açu e o Distrito Industrial de São João da Barra (situados no norte do estado do Rio de Janeiro), além do Complexo Petroquímico do Estado do Rio de Janeiro (COMPERJ), em Itaboraí[3].

O projeto prevê um traçado de 577,8 km cortando 25 municípios, sendo 170 km no ES e 407 km no RJ. O traçado contará com bitola mista (1,00 m e 1,60 m) em um trecho e bitola larga (1,60 m) na maior parte restante. A ferrovia terá rampa máxima de 1% em ambos os sentidos e um total de 6 túneis, 43 viadutos ferroviários, 130 pontes, 128 viadutos rodoviários, 117 passagens inferiores e 60 passarelas. Teve como diretriz evitar conflitos ambientais com as Unidades de Conservação Rebio União e Poço das Antas e minimizar conflitos socioeconômicos[4].

Parte da EF-118 será construída sobre o leito ferroviário da Linha do Litoral da antiga Estrada de Ferro Leopoldina, que no passado conectou Vitória e Rio de Janeiro, passando por Campos dos Goytacazes. O trecho aproveitado que liga a Região Metropolitana do Rio à cidade de Campos e está desativado desde 2007, embora seja concedido à Ferrovia Centro-Atlântica desde 1996. Com isso, espera-se diminuição nos custos com desapropriações. O projeto engloba a ferrovia conhecida anteriormente como Litorânea Sul, que conectaria Vila Velha a Cachoeiro do Itapemirim. A EF-118 margeará a BR-101 em grande parte do traçado, alem de uma conexão com o Arco Metropolitano (BR-493) no Rio de Janeiro.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.