EF-369

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A EF-369 é o projeto de uma ferrovia diagonal brasileira, em bitola métrica, com aproximadamente 683 km, com ligação entre Ourinhos (SP) e Porto Mendes (PR), às margens do rio Paraná.

A Lei Nº 5.917 de 10 de setembro de 1973[1], do Plano Nacional de Viação, estabelece que esta ferrovia ligará os estados de São Paulo e Paraná, passando pelas localidades de Ourinhos - Apucarana - Guaíra - Porto Mendes.

O texto original foi retificado através de publicação no Diário Oficial - Seção I - Parte I - Suplemento ao nº 175 de 12 de setembro de 1973[2], explicitando que a extensão correta seria 683 km, ao invés de 183 km descritos na publicação original da lei.

Ficheiro:Tronco TP-8 do Plano Nacional de Viação (1938).jpg
Recorte do mapa de 1938 da Inspetoria Federal das Estradas mostrando o tronco TP-8 do Plano Nacional de Viação.

O trecho entre Ourinhos e Apucarana corresponde à antiga Companhia Ferroviária São Paulo-Paraná, construído entre 1923 e 1942. A SPP foi incorporada à Rede de Viação Paraná-Santa Catarina que continuou a construção do trecho alcançando Maringá em 1954 e finalmente Cianorte, já pela Rede Ferroviária Federal S/A em 1972. Este trecho hoje é conhecido como Ourinhos-Cianorte.

Já o trecho entre Guaíra e Porto Mendes retomaria a antiga Estrada de Ferro Guaíra a Porto Mendes, construída originalmente em bitola estreita (600 mm) e erradicada em 1958, sendo que grande parte do leito ferroviário original está sob as águas do lago da Usina de Itaipu.

Este projeto de estrada de ferro retoma o antigo tronco TP-8 dos planos de viação do período Getúlio Vargas, o qual pretendia através de Guaíra alcançar uma ligação ferroviária com o Paraguai, formando uma ferrovia Assunção-Santos[3].

O trecho Maringá-Cianorte foi desativado em 1994 pela RFFSA, e assim foi mantido pelas concessionárias, apesar de uma reforma em 2014[4]. Em 2012 o projeto para reativação do trecho e estenção até Guaíra foi vetado pela presidente Dilma Rousseff[5].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «www.planalto.gov.br/Ccivil_03/LEIS/1970-1979/anexo/anl5917-73.pdf» (PDF). www.planalto.gov.br. Consultado em 6 de junho de 2018 
  2. «LEI Nº 5.917, DE 10 DE SETEMBRO DE 1973 - Retificação - Portal Câmara dos Deputados». www2.camara.leg.br. Consultado em 6 de junho de 2018 
  3. «Trilhos fora do tempo em Cianorte». Folha de Londrina. 8 de dezembro de 2006. Consultado em 6 de junho de 2018 
  4. «Obras em linha férrea devem ser concluídas em maio de 2014». www.tribunadecianorte.com.br. Consultado em 6 de junho de 2018 
  5. «Dilma veta projeto de linha férrea entre Maringá e Guaíra». Gazeta do Povo