EMD G8

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
G8
BSicon exTRAIN3.svg
EMD G8 nº 4066 da Ferrovia Centro Atlântica estacionada em Mariana.
Descrição
Propulsão Diesel-Elétrica
Fabricante EMD - La Grange Illinois ( Estados Unidos)
Número de série Ver tabela
Modelo G8
Ano de fabricação Ver Tabela
Locomotivas fabricadas Brasil: 50
Classificação AAR B-B; A1A-A1A
Tipo de serviço Misto
Características
Bitola 1.000 mm
Tipo de truques Flexi-coil B (L-136), Flexi-coil A1A
Diâmetro das rodas B-B: 40"
A1A: Externos:40" Centrais:36"
Distância entre eixos B-B: 2.420mm
A1A: 1.600mm
Comprimento 14.380mm
Largura 2.820mm
Bitola 1.600mm: 3.050mm (cilindros de freio)
Altura 3.750mm
Peso da locomotiva ~70.000kg
Peso por eixo B-B: kg
A1A: kg
Peso aderente B-B: kg
Tipo de combustível Diesel
Capacidade de combustível Bitola 1000mm B-B:2.840l
A1A: l
Capacidade de óleo lubrificante 625l
Capacidade de água 810l
Capacidade de areia 0,340 m³
Fabricante do motor EMD
Motor primário 8-567C
Limite de RPM 835
Tipo de motor 8 cilindros em V Aspirado
Cilindradas do motor 9.287cc³ x 8
Gerador D12F
Motores de tração D19 e D29
Tamanho dos cilindros 8 1/2" (216mm)x10"(254mm)
Tração múltipla Sim
Performance
Velocidade máxima 100 km/h
Velocidade mínima 18 km/h
Potência total 950hp
Potência disponível para tração 875hp
Esforço de tração B-B:kgf
A1A: kgf
Raio mínimo de inscrição 58,82 m
Freios da locomotiva Ar Comprimido
Sistema de freio 6SL,
Operação
Ferrovias Originais RFFSA
Ferrovias que operou FCA
Número de locomotivas na classe 50
Local de operação Espírito Santo
Minas Gerais
Bahia
Sergipe
Maranhão
Data de entrega 1957 a 1960
Proprietário atual FCA

A locomotiva diesel elétrica EMD G8 foi construída em número de 382 entre 1954 e 1965 tanto para exportação quanto para uso doméstico (USA). Foram construídas tanto pela Electro-Motive Division (EMD) nos EUA quanto pela General Motors Diesel Division (EMDD) no Canadá para operar em todas as bitolas entre 1.000mm e 1.667mm. Possuem 950 hp brutos e 875 hp disponíveis para tração, fornecidos por um motor 8-567C. As G8 foram construídas para ferrovias dos seguintes países: Austrália, Brasil, Canadá, Cuba, Egito, Indonésia, Irã, Coreia do Sul, Libéria e Nova Zelândia.

No Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil foram compradas 50 unidades, todas pela RFFSA-Rede Ferroviária Federal, recebidas no período de Julho de 1957 a Outubro de 1960, para dieselizar as ferrovias de bitola métrica que ainda operavam a vapor. Sua implantação foi um duro golpe para as a tração a vapor, que foi substituída quase que em sua integridade, por essas maquinas, e suas "primas" de doze cilindros, as G12. As unidades Brasileiras foram todas construídas pela EMD nos EUA. Nos anos 1980 com o SIGO todas as G8 que ainda estavam operacionais foram renumeradas como série 4001-4050.

EFSLT e as G8 A1A[editar | editar código-fonte]

Um fato interessante é que as quatro unidades compradas para operar na Estrada de Ferro São Luiz-Teresina, regional da RFFSA, tinha truques A1A-A1A, para melhor distribuir as pouco mais de 70 toneladas nos leves trilhos dessa ferrovia. As maquinas da São Luiz - Terezinha, assim como algumas G12 da VFRGS vieram com a pintura "standard" da EMD, laranja, vermelho e amarelo, o que também ocorreu com as GP9 da Estrada de Ferro Araraquara. Posteriormente essas unidades foram retrucadas como B-B e algumas delas ainda operam na Ferrovia Centro-Atlântica.

Abaixo Relação de compra das G8 no Brasil:

Quantidade Ferrovia Original Número de Fab. Inicial Número de Fab. Final Série na RFFSA (pré-SIGO) Data de Recebimento
13 EFL 24649 24661 2101 a 2113 Agosto/1958
17 RMV 24662 24678 2101 a 2117 Setembro/1958
9 RFFSA 26124 26132 641 a 649 Outubro/1960
5 RFFSA 26133 26137 2111 a 2115 Outubro/1960
2 RFFSA 26138 26139 2121 a 2122 Outubro/1960
4 EFSLT 23574 23577 501 a 504 Junho/1957

Clyde e Suas Variações[editar | editar código-fonte]

A G8 também foi construída na Austrália sobre licença da Clyde Engineering, tendo a Victorian Railways como compradora de um total de 89 entre 1955 e 1969 com variações posteriores incluindo cabine redesenhada, carcaça e radiadores, sendo nomeada como G8B e posteriormente equipadas com o novo motor 645E a partir de 1967 como G18B, substituindo o 567C que equipou todas as G8.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]