EMD GT26MC

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Searchtool.svg
Esta página ou seção foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde agosto de 2012). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.
EMD GT26MC
BSicon exTRAIN3.svg
GT26MC #8228 na segunda pintura da ALL.
Descrição
Propulsão Diesel-Elétrica
Fabricante EMD ( África do Sul)
Número de série 8226 - 8240[1][2]
Modelo GT26MC
Ano de fabricação 1974
Locomotivas fabricadas 15 – Brasil
Classificação AAR C-C
Tipo de serviço Carga
Características
Bitola 1,000 m
Tipo de truques SCAW - GLC
Diâmetro das rodas 915 mm
Distância entre eixos 9.627 mm
Comprimento 19.350 mm
Largura 2.750 mm
Altura 3.924 mm
Peso por eixo 18.583 kg
Tipo de combustível Diesel
Capacidade de combustível 6.100 l
Capacidade de óleo lubrificante 945,5 l
Capacidade de líquido refrigerante 1045,5 l
Capacidade de água 530 l
Capacidade de areia 0,34
Fabricante do motor EMD
Motor primário EMD 16-645 E3
Limite de RPM 900 RPM
Tipo de motor V16 - Turbo
Tipo de transmissão Elétrica
Tração múltipla sim
Performance
Velocidade máxima 100 km/h
Velocidade mínima 19 km/h
Esforço de tração 27.736 kgf
Raio mínimo de inscrição 84 m
Freios da locomotiva 28 – LAV - 1
Operação
Ferrovias Originais Spoornet - África do Sul
Ferrovias que operou FCA, ALL
Local de operação Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul
Data de entrega 1998
Proprietário atual ALL

As locomotivas Diesel-Elétrica GT26MC foram compradas pela América Latina Logística da Spoornet Tração (África do Sul), em 1999. Inicialmente essas locomotivas foram importadas para o Brasil com o objetivo de serem locadas, mas acabaram sendo incorporadas a ALL,[3] após operarem alugadas na FCA em 1998.

As quinze locomotivas desembarcaram no Brasil, junto com suas irmãs, GT18MC, pelo porto de Vitória, no Espírito Santo, em Maio de 1998. Vieram com pintura nova, limpa trilhos, grades, truques, estrado e parte superior cinzas, corpo vermelho, testeiras inferiores listradas em azul e amarelo, pega-mãos amarelos e as inscrições TRAÇÃO e SPOORNET, com respectivo logo, além dos números ST34XXX pintados nas laterais da cabine e nas testeiras suepriores. ST significa Spoornet Tração, 34 a Classe 34 (GT26MC) na África do Sul e XXX os números que iam de XXX até XXX.

Já vieram com bitola de um metro, enquanto que na África do Sul operavam em "Cape Gauge", 1.067mm. Inicialmente a FCA alugou dez GT18MC e cinco GT26MC, ficando as outras maquinas paradas, entretanto, no início de 1999 a FSA adquiriu todas as maquinas, logo em seguida se tornando América Latina Logística. Receberam tanto o padrão de pintura cinza como o primeiro vermelho. Em Março de 2006 algumas dessas maquinas começaram a ser transferidas para a ALL Mesopotamica e Central, da Argentina. Foram até Uruguaiana, da onde atravessaram para o lado argentino, sendo rebitoladas, novamente, desta vez para Standatd, 1.435mm. Atualmente três maquinas entram-se na Argentina, operando tracionando carga, em tração singela. As demais permanecem no Brasil.

Referências

  1. Alfredo F. Rodrigues; Flavio R. Cavalcanti. «Locomotivas da ALL em 2002 - Ferrovias brasileiras». Centro-Oeste. Consultado em 7 de Julho de 2009 
  2. Brambilla (15 de Fevereiro de 2000). Ficha Técnica das Locomotivas. GT18MC Revisão A ed. Curitiba: [s.n.] 
  3. Buzelin, José Emílio de Castro H; Setti, João Bosco, (2001). Ferrovia Centro-Atlântica. Uma Ferrovia e suas raízes. Rio de Janeiro: Memória do Trem. ISBN 85-86094-02-1