Earth drive

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Earth Drive
Informação geral
Origem Montijo
País Portugal Portugal
Género(s) Stoner Rock
Space Rock
Rock Alternativo
Período em atividade 2007 - actualmente
Integrantes Hermano Marques
Sara Antunes
Luís Silva
Sebastião Santos
Ex-integrantes Carlos Rodrigues
Fernando Peres
Jorge Pinela/>André Eusébio
Luis Eustáquio<br/
Página oficial www.facebook.com/earthdrivesound

Earth Drive é uma banda portuguesa de Rock do Montijo, formada em 2007. A banda é constituída por Hermano Marques (voz e guitarra)Sara Antunes (Voz), Luís Silva (baixo), Sebastião Santos (bateria). Segundo a banda o nome Earth Drive remete-nos para uma super-força combinada de gravidade e electromagnetismo que sustentam a nossa existência cósmica, enquanto planeta enquanto seres vivos, enquanto natureza. Este nome potencia um sentimento de crença no potencial humano, terrestre e universal. Uma força motivacional do próprio organismo TERRA para a sua subsistência.

Descrição sonora[editar | editar código-fonte]

Os Earth Drive desenham riffs pesados e paisagens melódicas com flashes psicadélicos. Podemos sentir sensualidade nos tons graves e ásperos resultantes de uma afinação grave. Uma voz feminina suaviza alguma rudeza desta massa sonora. Um outro vocalista mais sujo, de sangue quente e tempestuoso surge preenchido de uma revolta carismática e entusiasmante. A bateria soa muito poderosa que “bomba e faz fluir o sangue” necessário para que esta máquina funcione em todo o seu potencial. No baixo sente-se uma muita boa influência de stoner psicadélico. É uma banda sólida, melódica e com o poder que este género necessita. Eles podem ser hipnóticos, catárticos e viscerais.

Biografia[editar | editar código-fonte]

O Início (2007-2009)[editar | editar código-fonte]

A banda foi formada oficialmente no Montijo por volta de 2007, depois de Hermano Marques sair dos Marbles Power Trio. Hermano decidiu seguir em frente e começar uma nova banda com alguns dos seus amigos de adolescência. Carlos Rodrigues (bateria) e Jorge Pinela (guitarra), estavam motivados para isso e a banda começou a ensaiar.

Um ano mais tarde, Sara Antunes via uns vídeos de A Perfect Circle, Tool, Deftones e Kyuss com Hermano Marques, enquanto ele andava apenas à volta de uns riffs e saiu-lhe um tom perfeito para aquilo que viria a ser o single da primeira demo: "Reset". Visto isto, Sara entrara para a banda.

A primeira apresentação ao vivo ocorreu em Rokiskis, na Lituânia em 2009, no contexto de um intercâmbio de jovens. Depois disso, a banda continuou a ensaiar e a desenvolver o seu som no sentido de elevar o seu potencial artístico e criativo mas sempre coerente com as suas influências, valores e atitudes.

Apesar de já ter acontecido o primeiro concerto, havia ainda um lugar para ser preenchido: Luís Silva costumava frequentar o estúdio com os Moe’s implosion e nesse contexto conhece melhor os Earth Drive. A amizade fica mais forte e as influências musicais combinam perfeitamente. Luís Silva entrara para a banda como baixista.

Take it Down (2010)[editar | editar código-fonte]

Gravam a primeira demo, “Take it Down”, em 2010, com Flávio costa dos Marbles Power Trio e depois de alguns concertos bem-sucedidos Carlos Rodrigues decide aventurar-se numa jornada espiritual e deixa a banda. Assim sendo Fernando Peres que já estava trabalhar com Hermano Marques, Luís e André Eusébio num outro projecto paralelo chamado Aztec Godz entra para banda.

Os Aztec Godz pararam e André Eusébio juntou-se aos Earth Drive como terceiro guitarrista da banda.

Ink Storm (2012)[editar | editar código-fonte]

Após a primeira demo, onde surgiu o tema “Reset” que lhes valeu uma presença no Clube Offbeatz, no programa de rádio Pedro Moreira Dias e noutros eventos de referência onde partilharam o palco com bandas como os Marbles Power Trio, Riding Pânico, Moe's Implosion, Low Torque e The Grand Astoria. A banda gravou o EP Ink storm, no estúdio da banda numa atitude “Do it yourself”, o mesmo é produzido e masterizado pela banda.um EP de contornos espaciais e psicadélicos que alternam com malhas poderosíssimas impregnadas de distorção. Poucos meses depois, Fernando Peres não se estava a sentir confortável com as influências da banda e com as direcções musicais e decide deixar a banda.

Actualidade[editar | editar código-fonte]

Entre 2016 e 2018 este quarteto do Montijo passou por vários palcos do underground português onde se destacam as presenças no festival Reverence Valada, Under The Doom IV Edition, Sprint to Rock Fest II e VOA Heavy Rock Festival, Festival Woodrock e o Stonefest em Espanha merecendo excelentes review´s quer no âmbito da qualidade da sua performance ao vivo quer relativamente aos seus discos.

Foi editado dia 20 de Outubro de 2017 o primeiro álbum “Stellar Drone” que contou novamente com a confiança da prestigiada e carismática editora portuguesa Raging Planet.  

Sentem-se em “Stellar Drone” contrastes de texturas sónicas, drones ancestrais e paredes sonoras monolíticas.  

Assumindo um carácter de tonalidades atmosféricas quentes, saturadas e ambientais os Earth Drive, insistem ainda num groove pesado mantendo assim a visceralidade e densidade catártica essencial neste género.  

“Um dos mais brilhantes projectos do actual underground nacional” José M. Rodrigues | Loud !

Membros[editar | editar código-fonte]

Hermano Marques (Vocalista,Guitarrista) 2007 - Actualmente
Sara Antunes (Vocalista) 2008 - Actualmente
Luís Silva (Baixista) 2009 - Actualmente
Sebastião Santos (Baterista) 2018 - Actualmente

Antigos Membros[editar | editar código-fonte]

Carlos Rodrigues (Baterista) 2007 - 2011
Fernando Peres (Baterista) 2011 - 2012
Jorge Pinela (Guitarrista) 2007 - 2012
André Eusébio (Guitarrista) 2011 - 2013

Luis Eustáquio (Baterista) 2012 - 2018

Discografia[editar | editar código-fonte]

Demos[editar | editar código-fonte]

  • Take it Down (2010)
  • Ink Storm (2012)
  • Known by the Ancients (2014)

EP[editar | editar código-fonte]

  • Planet Mantra (2015)

LP[editar | editar código-fonte]

  • Stellar Drone (2017)

Imprensa[editar | editar código-fonte]

Um álbum vindo dos escombros de um Portugal em queda saltara com a força toda ao público num pacote legendado de Ink Storm - Por Zé Gui – Canto do Gargântua[1] 


A great mixture of psychedelia with noise, covered up with eerie riffs and mesmerizing melodies
Sara's exquisite vocals combined with Hermano's bellicose vox bursts works fantastic - Downtuned Magazine [2]<br /


Huge rolling psych inspired soundscapes and some of the most hauntingly fitting vocals I've ever heard within the genre - Blogue Ride with the devil [3]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

Flag of Portugal.svgGuitarra masc.png Este artigo sobre uma banda ou grupo musical de Portugal é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.