Ecologia do Espírito Santo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde agosto de 2015). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Desenvolvimento :

No Espírito Santo, o ICMBio administra nove unidades de conservação: um parque nacional, um monumento natural, duas florestas nacionais e cinco reservas biológicas. Existem ainda quatro reservas particulares do patrimônio natural, uma reserva biológica estadual, uma reserva biológica estadual e três áreas de proteção ambiental estaduais.

Parques nacionais[editar | editar código-fonte]

Monumentos Naturais[editar | editar código-fonte]

Parque estadual da Pedra Azul, com Pedra Azul 1822 m, ao fundo.

Reservas biológicas[editar | editar código-fonte]

Reservas particulares do patrimônio natural[editar | editar código-fonte]

Desfiladeiro do Pico da Bandeira, no Parque Nacional do Caparaó

Áreas de preservação ambiental[editar | editar código-fonte]

Estações ecológicas[editar | editar código-fonte]

Florestas nacionais[editar | editar código-fonte]

Áreas de preservação ambiental (Apas)[editar | editar código-fonte]

No âmbito estadual existem 9 APA (Área de Preservação Ambiental). As Unidades de Conservação estaduais dividem hoje sua administração entre IDAF (Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal), órgão ligado à Secretaria Estadual de Agricultura, e o IEMA. O IEMA é hoje responsável pela administração de 9 Unidades de Conservação (UC), totalizando cerca de 0,8% (36.840,25 ha) território do Espírito Santo.

Parque Nacional do Caparaó
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.