Economia de Bangladesh

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Economia de Bangladesh
Kawran Bazar, centro comercial de Daca
Moeda Taka
Blocos comerciais OMC, SAFTA
Estatísticas
PIB 305,5 mil milhões (2012) (44º lugar)
Variação do PIB 6,1% (2012)
PIB per capita 2000 (2012)
PIB por setor agricultura 17,3%, indústria 28,6%, comércio e serviços 54,1% (2012)
Inflação (IPC) 8,8% (2012)
População
abaixo da linha de pobreza
31,51% (2010)
Coeficiente de Gini 33,2 (2005)
Força de trabalho total 77 milhões (2012)
Força de trabalho
por ocupação
agricultura 45%, indústria 30%, comércio e serviços 25% (2008)
Desemprego 5% (2012)
Principais indústrias têxteis de algodão, juta, roupas, processamento de chá, papel jornal, cimento, fertilizantes químicos, engenharia leve, açúcar
Exterior
Exportações 25,79 mil milhões (2012)
Produtos exportados artigos de vestuário, juta e derivados, couro, peixe e frutos do mar congelados
Principais parceiros de exportação Estados Unidos 19,4%, Alemanha 16,5%, Reino Unido 10%, França 7,3%, Itália 4,4%, Espanha 4,2%, Países Baixos 4,2% (2011)
Importações 35,06 mil milhões (2012)
Produtos importados máquinas e equipamentos, produtos químicos, ferro e aço, têxteis, alimentos, derivados de petróleo, cimento
Principais parceiros de importação República Popular da China 18,2%, Índia 13,5%, Malásia 4,9% (2011)
Dívida externa bruta 24,46 bilhões (2010)
Finanças públicas
Receitas 14,1 mil milhões (2008-9)
Despesas US$ 25,8 mil milhões (2008-9)
Ajuda económica 1321 milhões, recebida (2005)
Fonte principal: The World Factbook
Salvo indicação contrária, os valores estão em US$

Na economia de Bangladesh o desenvolvimento da agricultura é dificultado pela elevada fragmentação da propriedade fundiária e pelas chuvas irregulares. A produção alimentar, sobretudo de cereais, é destinada ao consumo interno. O principal cultivo industrial é o arroz, nas áreas de Mymensingh, Rangpur, Comilla e Dacca. A criação de bois é abundante, mas destinados prevalentemente ao trabalho no campo. Uma parte realmente grande da população (o Bangladesh é o 8.º país do mundo com mais habitantes) sofre de subnutrição crônica.

A economia do país tem crescido em média de 5 a 6% ao ano desde 1996 apesar da ineficiência das empresas estatais, do atraso na exploração das reservas de gás natural, insuficiência de fontes de energia e demora na implementação de reformas econômicas. O país permanece pobre, superpovoado, e governado de modo ineficiente. Apesar de metade do Produto Interno Bruto ser gerado pelo setor de serviços, quase 2/3 da população estão empregados na agricultura, sendo o arroz o principal produto agrícola. A fabricação de roupas e as remessas de cidadãos do país residentes no exterior, principalmente no Oriente Médio e no Extremo Oriente sustentam o crescimento econômico.[1]

Comércio exterior[editar | editar código-fonte]

Em 2020, o país foi o 52º maior exportador do mundo (US $ 46,6 bilhões, 0,2% do total mundial). Na soma de bens e serviços exportados, chega a US $ 45,1 bilhões, ficando em 57º lugar mundial. [2][3] Já nas importações, em 2019, foi o 46º maior importador do mundo: US $ 53,3 bilhões. [4]

Setor primário[editar | editar código-fonte]

Agricultura[editar | editar código-fonte]

O desenvolvimento da agricultura é dificultado pela elevada fragmentação da propriedade fundiária e pelas chuvas irregulares. Os produtos são arroz, cana-de-açúcar, batata, trigo, juta, banana, batata doce, colza, manga, mamão, cebola, lentilha, couve e tomate.

Bangladesh produziu, em 2019[5]:

  • 54,5 milhões de toneladas de arroz (4º maior produtor do mundo);
  • 9,6 milhões de toneladas de batata (6º maior produtor do mundo);
  • 3,5 milhões de toneladas de milho;
  • 3,1 milhões de toneladas de cana-de-açúcar;
  • 1,8 milhão de toneladas de cebola (8º maior produtor do mundo);
  • 1,6 milhão de toneladas de juta (2º maior produtor do mundo, somente atrás da Índia);
  • 1,4 milhão de toneladas de manga (incluindo mangostim e goiaba) (10º maior produtor do mundo);
  • 1 milhão de toneladas de trigo;
  • 833 mil toneladas de banana;
  • 634 mil toneladas de abóbora;
  • 466 mil toneladas de alho (3º maior produtor do mundo);
  • 431 mil toneladas de coco;
  • 387 mil toneladas de tomate;
  • 316 mil toneladas de noz de areca;
  • 311 mil toneladas de colza;
  • 228 mil toneladas de melão;
  • 217 mil toneladas de abacaxi;
  • 175 mil toneladas de lentilha;
  • 135 mil toneladas de mamão;
  • 128 mil toneladas de tabaco;
  • 110 mil toneladas de soja;
  • 90 mil toneladas de chá;
  • 81 mil toneladas de algodão;

Além de outras produções de outros produtos agrícolas.[6]

Pecuária[editar | editar código-fonte]

Na pecuária, Bangladesh produziu, em 2019, 2,7 bilhões de litros de leite de cabra (2º maior produtor do mundo), 837 milhões de litros de leite de vaca, 203 mil toneladas de carne de frango, 190 mil toneladas de carne bovina, entre outros. [7]

Criação
Animais Quantidade
Aves 140.013.000 cabeças
Caprinos 34.100.000 cabeças
Bovinos 23.900.000 cabeças
Ovinos 1.132.000 cabeças
Bufalinos 830.000 cabeças
Produtos
Peixes 924.056 ton.
Leite 763.000 ton.
Carne 428.000 ton.
Ovos 133.000 ton.
Peles 71.000 ton.

Setor secundário[editar | editar código-fonte]

Indústria[editar | editar código-fonte]

O Banco Mundial lista os principais países produtores a cada ano, com base no valor total da produção. Pela lista de 2019, Bangladesh tinha a 33ª indústria mais valiosa do mundo (US $ 57,2 bilhões). [8]

Em 2019, Bangladesh quase não produzia veículos e era o 20ª maior produtor de aço do mundo (9 milhões de toneladas).[9][10][11]

As atividades industriais são ligadas à transformação de produtos agrícolas (tecido, tabaco e chá). Existem vários estabelecimentos químicos, (em Ghorasal, Fenchuganj e Chittagong), petroquímicos e siderúrgicos, (em Chittagong), automobilísticos, (em Sitakund), de estaleiros, (em Khulna e Narayanganj), de cimento, (em Chhatak e Chittagong), de borracha, (em Dhaka) e de vidro.

Principais exportações
Produtos Milhões de dólares
Vestuário 3786
Fios e tecidos 430
Peles e couro 106
Juta 83
Chá 47
Produtos químicos 44

Energia[editar | editar código-fonte]

Nas energias não-renováveis, em 2020, o país era o 81º maior produtor mundial de petróleo, com uma produção quase nula. [12] Em 2011, o país consumia 109 mil barris/dia (74º maior consumidor do mundo) [13][14]. O país foi o 65º maior importador de petróleo do mundo em 2012 (25 mil barris/dia). [15] Em 2020, o país era o 27º maior produtor mundial de gás natural (26,1 bilhões de m3 ao ano) Em 2019 era o 30º maior consumidor (34,4 bilhões de m3 ao ano). [16] [17] O país também não produz carvão.[18]

Nas energias renováveis, em 2020, Bangladesh não produzia energia eólica, e era o 55º maior produtor de energia solar do mundo, com 0,3 GW de potência instalada [19].

Minerais[editar | editar código-fonte]

As reservas minerais compreendem carbono (Sylhet e Rajshahi), petróleo (Sylhet e Feni) e gás natural (Gopalganj e Bakhrabad).

Setor terciário[editar | editar código-fonte]

Turismo[editar | editar código-fonte]

Em 2017, o país recebeu 1,0 milhão de turistas internacionais. As receitas do turismo, neste ano, foram de US $ 0,3 bilhões. [20]

Comércio[editar | editar código-fonte]

Ano Importação (em milhões de dólares) Exportação (em milhões de dólares)
1995 6501 3.173
1996 6621 3.297
1997 6896 3.778
1998 7042 3.831
1999 7687 3.919

Referências

Ver também[editar | editar código-fonte]