Edir Oliveira

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edir Pedro de Oliveira
Prefeito de Gravataí Brasao gravatai.png
Período 1993 até 1996
vice-prefeito Paulo Fink
Antecessor(a) José Mariano Garcia da Mota
Sucessor(a) Daniel Luiz Bordignon
Vida
Nascimento 3 de fevereiro de 1950
Rolante
Dados pessoais
Partido PTB

Edir Pedro de Oliveira (Rolante, 3 de fevereiro de 1950) é um político brasileiro.[1]

Foi vereador de Gravataí, secretário de administração do município, vice-prefeito e prefeito. Foi também deputado federal eleito em dois mandatos, subsecretário do Estado do Governo Simom e secretário de trabalho, assistência e cidadania do Estado dos Governos Britto e Rigotto.

Edir Oliveira foi candidato a prefeito de Gravataí nas eleições de 2008, tendo renunciado três dias antes do pleito para apoiar o candidato peemedebista Jones Alexandre Martins, após o candidato Daniel Bordignon (PT) ter a sua candidatura cassada cinco dias antes do pleito por improbidade administrativa[2][3].

Operação Sanguessuga[editar | editar código-fonte]

Edir Oliveira foi condenado, em 2011, por prática de improbidade administrativa pela juíza Paula Beck Bohn, da 2ª Vara Federal de Porto Alegre[4]. Além dele, foram também condenados Rafael Zancanaro de Oliveira, Luiz Antônio Trevisan Vedoin e Darci José Vedoin, sendo todos os quatro acusados de enriquecimento ilícito pelo Ministério Público Federal[4]. O esquema foi conhecido pela mídia como Operação Sanguessuga, nome da ação deflagrada pela Polícia Federal em parceria com o Ministério Público do Mato Grosso do Sul[5].

O esquema consistia em desviar dinheiro público destinado a compra de ambulâncias e equipamento hospitalar, somando quantia milionária. As fraudes em licitações ocorreram em todos os estados brasileiros, à exceção do Amazonas[5].

Além de ter tido suspenso seus direitos políticos, Oliveira foi condenados a pagar multa civil e a ressarcir prejuízo ao erário público. Para tanto, seus bens foram parcialmente bloqueados. O réu foi, ainda, proibido de contratar com o poder público ou dele receber benefícios ou incentivos fiscais[4].

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

Precedido por
José Mariano Garcia da Mota
Prefeito de Gravataí
19931996
Sucedido por
Daniel Luiz Bordignon