Edith Wharton

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Edith Wharton
Edith Wharton em 1915.
Nascimento Edith Newbold Jones
24 de janeiro de 1862
Nova York,  Estados Unidos
Morte 11 de agosto de 1937
Saint-Brice-sous-Forêt, França
Residência The Mount, Lenox, Massachusetts
Cônjuge Edward (Teddy) Robbins Wharton (1885-1913)
Ocupação Romancista, contista
Prémios Prémio Pulitzer de Ficção (1921)
Magnum opus Summer

Edith Wharton (nascida Edith Newbold Jones; Nova York, 24 de janeiro de 1862Saint-Brice-sous-Forêt, 11 de agosto de 1937) foi uma escritora americana. Foi a primeira mulher a vencer o Prémio Pulitzer de Ficção, em 1921, pelo romance The Age of Innocence (A Idade da Inocência).[1]. Foi também a primeira mulher a receber um doutoramento honoris causa pela Universidade de Yale[2].

Biografia[editar | editar código-fonte]

Edith Wharton nasceu com o nome Edith Newbold Jones, filha de George Frederic Jones e Lucretia Stevens Rhinelander. Viveu numa casa (browstone) localizada no número 14 da West Twenty-third Street em Nova Iorque.

A 29 de Abril de 1885, aos 23 anos, casou-se com Edward (Teddy) Robbins Wharton, que era 12 anos mais velho que ela, no Trinity Chapel Complex. Após vários anos a sofrer de depressão aguda, em 1908 o seu marido foi considerado um doente incurável. Em 1913 Edith divorciou-se de Teddy.

Para além de romances, Wharton escreveu pelo menos 85 contos.

Edith Wharton morreu de um ataque no dia 11 de Agosto de 1937 no Pavillon Colombe, a sua casa do século XVIII na Rue de Montmorency em Saint-Brice-sous-Forêt. Está enterrada no Cimetière des Gonards, em Versailles, três campas ao lado do seu amigo misterioso de longo tempo Walter Berry, a quem ela chamou o “maior amor da minha vida.”[3]

Obras publicadas[editar | editar código-fonte]

Romances[editar | editar código-fonte]

Coletâneas de contos[editar | editar código-fonte]

  • The Greater Inclination, 1899
  • Crucial Instances, 1901
  • The Descent of Man and Other Stories, 1903
  • The Other Two, 1904
  • The Hermit and the Wild Woman and Other Stories, 1908
  • Tales of Men and Ghosts, 1910
  • Xingu and Other Stories, 1916
  • Here and Beyond, 1926
  • Certain People, 1930
  • Human Nature, 1933
  • The World Over, 1936
  • Ghosts, 1937

Poesia[editar | editar código-fonte]

  • Verses, 1878
  • Artemis to Actaeon and Other Verse, 1909
  • Twelve Poems, 1926

Não-ficção[editar | editar código-fonte]

  • The Decoration of Houses, 1897
  • Italian Villas and Their Gardens, 1904
  • Italian Backgrounds, 1905
  • A Motor-Flight Through France, 1908 (viagens)
  • Fighting France, from Dunkerque to Belfort, 1915 (war)
  • French Ways and Their Meaning, 1919
  • In Morocco, 1920 (travel)
  • The Writing of Fiction, 1925 (ensaios sobre a literatura)
  • A Backward Glance, 1934 (autobiografia)

Como editora[editar | editar código-fonte]

  • The Book of the Homeless, 1916

Arquivo[editar | editar código-fonte]

A Biblioteca Beinecke da Universidade Yale abriga a Coleção Edith Wharton, que contém cerca de 50.000 itens, entre cartas, manuscritos, fotografias e diversos objetos pessoais da autoria. Atualmente parte da coleção está disponível online.[4]

Referências

  1. Obituário - The New York Times, 13 de agosto de 1937. Página visitada em 1-6-2010.
  2. Carmen Morán Breña, El País (5 de Abril de 2018). «Edith Wharton, vida y fantasmas de una escritora sin cadenas». Consultado em 5 de Abril de 2018. 
  3. Lit Hub (26 de Março de 2018). «HOW TO VISIT THE GRAVES OF 75 FAMOUS WRITERS». Consultado em 28 de Março de 2018. 
  4. «Edith Wharton Collection». Beinecke Rare Book and Manuscript Library at Yale University. Consultado em 9 de julho de 2009. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Edith Wharton
Ícone de esboço Este artigo sobre uma pessoa é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.