Edmundo Monteiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Edmundo Monteiro
uma ilustração licenciada gratuita seria bem-vinda
Função
Deputado federal de São Paulo
Biografia
Nascimento
Morte
Cidadania
Local de trabalho
Atividades

Edmundo Monteiro (São Paulo, 11 de junho de 1917 - idem, 7 de setembro de 1996) foi um jornalista brasileiro. Foi colaborador de Assis Chateaubriand, diretor-executivo dos Diários Associados e presidente do Museu de Arte de São Paulo.[1] Também teve rápida passagem pela política, exercendo o cargo de deputado federal por São Paulo entre 1967 e 1971.[2]

Biografia[editar | editar código-fonte]

Edmundo Monteiro ingressou ainda jovem nos Diários Associados, o gigantesco conglomerado de mídia fundado por Assis Chateaubriand no Rio de Janeiro em 1924. Começou exercendo a função de office-boy, nos escritórios de São Paulo, mas, em função do volume de seu trabalho, logo galgaria diversos cargos, chamando a atenção do próprio Chateaubriand - conhecido por indicar diretamente para as funções administrativas de suas empresas os auxiliares com quem possuía maior afinidade.[3]

Formado em economia pela Escola de Comércio Álvares Penteado, Edmundo passou a exercer o cargo de diretor-geral das emissoras de rádio paulistas, bem como dos jornais Diário da Noite e Diário de São Paulo. Em seguida, além de São Paulo, passou a gerenciar as divisões dos Diários Associados no Paraná e em Santa Catarina.[3] Comandava, portanto, as unidades mais rentáveis do grupo, o que seria fundamental para o seu envolvimento nos planos que Chateaubriand possuía de criar um museu de nível internacional no Brasil.[4]

A princípio, quando o projeto de criação do Museu de Arte de São Paulo (MASP) ganhou corpo, em 1946, Edmundo Monteiro tornou-se responsável pela parte administrativa, enquanto Chateaubriand, Pietro Maria Bardi e Lina Bo encarregavam-se do programa museológico e da formação do acervo. Logo, Edmundo passou a se envolver ativamente também no trabalho de arrecadação de fundos para aquisição de obras de arte, conquistando outros doadores, além daqueles com os quais o próprio Chateaubriand tratava.[4] Foi Edmundo Monteiro o responsável pelo equacionamento do sistema que permitiu a formação do acervo, utilizando os anúncios da cadeia associada como "moeda de troca". Edmundo foi também o responsável por negociar junto a Ademar de Barros a concessão do terreno da Avenida Paulista, onde a atual sede do museu seria erguida.

Foi presidente da Associação das Emissoras de São Paulo, entre 1948 e 1983. Em 1960, foi responsável por coordenar a implantação da TV Cultura, na própria sede dos Diários Associados, na Rua Sete de Abril. Em 1964, um ano antes da morte de Chateaubriand, organizou, por meio dos Diários, a campanha Ouro para o bem do Brasil, que arrecadou apenas no estado de São Paulo um valor aproximado de 1200 quilos de ouro e dois bilhões de cruzeiros[5] a serem doados ao governo do país. A campanha teve inicio na cidade de São Paulo no dia treze de maio e durou até nove de julho. Após o inicio, outras cidades do estado de São Paulo e demais localidades do Brasil aderiram a campanha. Ao término, o ouro, arrecadado com o intuito de servir de auxílio financeiro à consolidação do regime gestado pelo Golpe de Estado de 1964, foi enviado à Casa da Moeda no Rio de Janeiro a bordo do navio Tamandaré. No ano de 1967 assume o cargo de deputado federal pela Aliança Renovadora Nacional (ARENA), integrando a Comissão Permanente de Segurança Nacional.[2]

Edmundo se afastou dos Diários Associados em 1977.[3] No entanto, permaneceu ligado ao Museu de Arte de São Paulo pelos anos seguintes, cuidando, sobretudo, das finanças. Exerceu por mais de uma vez o cargo de presidente da instituição e costumava assumir a direção na ausência de Bardi. Afastou-se do MASP em 1993, vindo a falecer três anos depois, aos 79 anos.[1]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «Datas». Istoé. Consultado em 26 de maio de 2009 
  2. a b Madeira, Rafael Machado. «Integração horizontal e fragmentação partidária: uma análise de carreira política dos deputados federais da Arena em São Paulo» (PDF). Sociedade e Cultura - UFG. Consultado em 26 de maio de 2009 
  3. a b c «Edmundo Monteiro». Pró-TV. Consultado em 26 de maio de 2009 
  4. a b «Sobre o MASP». Museu de Arte de São Paulo. Consultado em 26 de maio de 2009 
  5. SCHMITT, Éderson Ricardo; Universidade Federal de Santa Catarina, Nagel, Liane Maria (6 de dezembro de 2016). «A democracia precisa de você! A campanha "Ouro para o bem do Brasil" e o processo de legitimação do golpe civil-militar de 1964» 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]