Eduardo Gudin

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Eduardo Gudin

Eduardo dos Santos Gudin (São Paulo, 14 de outubro de 1950) é um compositor e produtor musical brasileiro.

Tem mais de trezentas canções, gravadas por vários intérpretes. Foi casado com a cantora Vânia Bastos.[1]

Biografia e carreira[editar | editar código-fonte]

O início de sua carreira se deu aos 16 anos, em 1966, quando foi convidado por Elis Regina para se apresentar no extinto O Fino da Bossa, musical da TV Record.

Dois anos depois, classificou "Choro do Amor Vivido" (em parceria com Walter de Carvalho e interpretada por Os Três Morais e arranjo de Hermeto Pascoal) para o Festival de Música Popular Brasileira, da mesma emissora, no qual se apresentaram Chico Buarque, Edu Lobo, Caetano Veloso, etc.

Em 1969, chega ao 3º lugar no mesmo festival, com "Gostei de Ver" (parceria com Marco Antônio Ramos), na voz de Márcia e os Originais do Samba. Nesse mesmo ano, "Lá Se Vão Meus Anéis" (com Paulo Cesar Pinheiro e na voz dos Originais do Samba) vence o 4º Festival Universitário da TV Tupi.

O primeiro disco, porém, só viria em 1970, firmando a parceria que duraria várias décadas e renderia cerca de 80 músicas: Paulo César Pinheiro.

Em 1973, o primeiro LP, pela gravadora Odeon, com arranjos seus e de José Briamonte e Hermeto Pascoal, além da participação vocal de Jane Morais.

No ano seguinte, a Odeon lança outro LP, desta vez com as canções do espetáculo O Importante É que Nossa Emoção Sobreviva (que teria o 2º volume em 1976), interpretadas por ele, Márcia e Paulo César no Teatro Oficina, em São Paulo. Também é de 1974 o LP Brasil, Flauta, Bandolim e Violão, ao lado do Regional do Evandro, pela Discos Marcus Pereira.

Em 1978, vem o LP Coração Marginal, pela gravadora Continental, com participação de Adauto Santos, MPB4 e Marília Medalha.

Gudin também idealizou o Festival Universitário da TV Cultura, de 1979, que lançou artistas vanguardistas como Arrigo Barnabé e outros.

Em 1985, novo festival, desta vez o Festival dos Festivais (TV Globo), em que "Verde" (com Costa Netto) ficou em 3º e lançou a cantora Leila Pinheiro. Nessa época, compôs com Arrigo Barnabé e Roberto Roberti o tema de abertura de Cidade Oculta, filme de Chico Botelho.

Foi idealizador, juntamente com Arrigo Barnabé, da Orquestra Jazz Sinfônica, em 1990.

Em 1994 produziu o álbum Beth Carvalho Canta o Samba de São Paulo, Prêmio Sharp de Melhor Disco de Samba.

Em sua carreira, fez inúmeras parcerias, como Hermínio Belo de Carvalho, Paulo Vanzolini, Aldir Blanc, Paulinho da Viola, Elton Medeiros, Francis Hime, Sérgio Natureza, Roberto Roberti, Cacaso e Guinga, entre outros, além dos já citados.

Discografia[editar | editar código-fonte]

  • Eduardo Gudin (1973)
  • O importante é que a nossa emoção sobreviva (1975)
  • Mãos vazias (1975)
  • O importante é que a nossa emoção sobreviva II (1976)
  • Coração Marginal (1978)
  • Fogo calmo das velas (1981)
  • Ensaio do dia (1984)
  • Balãozinho (1986)
  • Eduardo Gudin e Vânia Bastos (1989)
  • Eduardo Gudin e Notícias dum Brasil (1995)
  • Tudo o que mais nos uniu - Eduardo Gudin, Paulo César Pinheiro e Marcia (1996)
  • Luzes da mesma luz. Eduardo Gudin e Fátima Guedes (2001)
  • Eduardo Gudin & Notícias dum Brasil-Pra tirar o chapéu (1998)
  • Eduardo Gudin & Notícias dum Brasil-Um jeito de fazer samba (2006)
  • Leila Pinheiro & Eduardo Gudin - Pra iluminar (2009)
  • Eduardo Gudin & Notícias dum Brasil - 3 Tempos (DVD - 2012)
  • Eduardo Gudin & Notícias dum Brasil - 4 (2015)

Referências

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre um(a) compositor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.