Eduardo Lopes (ciclista)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Eduardo Lopes (1987)
Eduardo Lopes
MaillotPortugal.PNG
País  Portugal
Data de nascimento 22 de dezembro de 1917
Local de nascimento Socorro, Lisboa
Data de falecimento 1997 (80 anos)
Informação de equipas
Disciplina Estrada e Pista
Função Ciclista
Tipo de corredor Sprinter
Amador
1937
1937
1938
Sport Lisboa e Benfica
CUF
CUF
Profissional
1939
1940
1941
1942
1943
1944
1945
1946
1947
1948
Unidos (ex-CUF)
Sport Lisboa e Benfica
Sport Lisboa e Benfica
Iluminante
Iluminante
Iluminante
Iluminante
Iluminante
Sporting Clube de Portugal
Sporting Clube de Portugal
Maiores vitórias
Circuito da Boca do Inferno (1937)
Campeonato Nacional de Fundo (1937)
Circuito de Preparação (1938)
Campeonato Distrital de Velocidade (1938)
Campeonato Distrital de Velocidade (1939)
Campeonato Distrital de Velocidade (1941)
Campeonato Nacional de Velocidade (1941)
Circuito da Bairrada (1942)
Volta a Lisboa (1942)
Clássica Porto-Lisboa (1942)
Circuito do Estoril (1943)
Circuito de Torres Vedras (1944)
Circuito da Mealhada (1945)
Circuito da Malveira (1945)
Circuito de Torres Vedras (1947)
Campeonato Distrital de Velocidade (1947)
Última atualização:
{{{atualizado}}}

Eduardo Lopes (1917-1997) foi um ciclista profissional português, de estrada e de pista.

Foto inédita de Eduardo Lopes do álbum de família.

Breve biografia[editar | editar código-fonte]

Nasce a 22 de Dezembro de 1917, na freguesia de Socorro, Lisboa.

Em 1937 inicia a sua carreira de ciclista na CUF, como amador. Em 1939 passa a profissional. De 1937 a 1947, obtém 42 vitórias em circuitos famosos na época, como o da Bairrada, Mealhada, Torres Vedras, Malveira e Volta a Lisboa, destacando-se a sua vitória no clássico Clássica Porto-Lisboa, em 1942, realizado numa única etapa, com a duração aproximada de 10 horas, num percurso de cerca de 330 Km. Em 1937 vence o Campeonato Nacional de Fundo para Amadores pela CUF e em 1938 o Campeonato Distrital de Velocidade também pela CUF. Em 1939 renova o título de Campeão Distrital de Velocidade e obtém o 9º lugar da Classificação Geral Final na Volta a Portugal. Não era a sua especialidade, nem a sua prova favorita. Corredor de fundo e resistência, como prova a sua vitória no Clássica Porto-Lisboa, era essencialmente um velocista (pistar) e sprinter, vencendo os Campeonatos Distrital e Nacional de Velocidade em 1941 pelo Benfica e classificando-se no 2º lugar nos Campeonatos Nacional e Distrital de Velocidade de 1944 ao serviço da Iluminante, aquela que foi a equipa preponderante na sua carreira. Em 1941, ganha as duas primeiras etapas da Volta a Portugal, na equipa do Sport Lisboa e Benfica. Nas participações em competições espanholas, é segundo na Volta a Maiorca em 1942, vencendo uma etapa. Vence o Campeão de Espanha de Velocidade, Juan Plans (7 vezes campeão) em 1943 e obtém um 3º lugar na 3ª etapa da Volta a Espanha, em Badajoz, em 1945. Em 1947, conclui a sua carreira no Sporting Clube de Portugal, sagrando-se novamente Campeão Distrital de Velocidade, vencendo os 166 Km Clássicos, o Circuito de Torres Vedras e obtendo o 1º lugar no Prólogo da 1ª Etapa da Volta a Portugal, na pista do Estádio José Alvalade.

Foi conjuntamente com João Lourenço, o maior "pistard" português dos anos 40/50, segundo a UVP-FPC.

Morreu em 22 de Agosto de 1997, vítima de acidente vascular cerebral (AVC), com 79 anos de idade.

A Clássica Porto-Lisboa[editar | editar código-fonte]

Embora Eduardo Lopes tenha ganho várias corridas e circuitos (42 vitórias oficiais registadas na UCI), a sua vitória mais importante foi na famosa Clássica Porto-Lisboa, em 1942. A Clássica Porto-Lisboa era a corrida mais importante e popular em Portugal, até ao surgimento da Volta a Portugal. A Clássica Porto-Lisboa, com cerca de 330 Km de distância (cuja primeira edição foi realizada em 1911), o segundo mais longo percurso velocipédico mundial da altura, a seguir ao Bordeaux-Paris (560 Km) e por isso mesmo, muito prestigiado, aquém e além fronteiras. Eduardo Lopes fez o tempo de 10 horas, 25 minutos e 12 segundos, retirando quase 3 horas ao tempo do vencedor da edição de 1941. O seu tempo recorde manteve-se durante mais 6 edições da prova sendo somente batido em 1956 (14 anos depois) em alguns segundos por Fernando Henriques Silva.

Carreira desportiva (classificações)[editar | editar código-fonte]

  • 1937 - 1º no Circuito da Póvoa (POR)
  • 1937 - 1º no Circuito do Cadaval (POR)
  • 1937 - 1º no Circuito da Boca do Inferno (POR)
  • 1937 - 1º no Grande Prémio de Outono (POR)
  • 1937 - 1º no Campeonato Nacional de Fundo, Amadores (POR)
  • 1938 - 1º no 1o Circuito de Preparação, Lisboa (POR)
  • 1938 - 1º no Campeonato Distrital de Velocidade, Lisboa (POR)
  • 1939 - 1º nos 166 Km Clássicos, Lisboa (POR)
  • 1939 - 1º no Circuito General Carmona, Cascais (POR)
  • 1939 - 1º no Campeonato Distrital de Velocidade, Lisboa (POR)
  • 1939 - 9º na Classificação Geral Final da Volta a Portugal (POR)
  • 1939 - 2º na 3a etapa da Madrid - Lisboa, Mérida (POR)
  • 1939 - 1º nas Duas Horas à Americana, Lumiar Stadium (POR)
  • 1940 - 1º no Lisboa-Santarém-Lisboa (POR)
  • 1940 - 1º na 6a etapa da Volta a Portugal, Évora (POR)
  • 1940 - 1º na 8a etapa da Volta a Portugal, Castelo Branco (POR)
  • 1941 - 1º na 2a etapa da Volta a Portugal, Espinho (POR)
  • 1941 - 1º na 1a etapa da Volta a Portugal, Espinho (POR)
  • 1941 - 1º no Campeonato Distrital de Velocidade, Lisboa (POR)
  • 1941 - 1º no Campeonato Nacional de Velocidade, Lisboa (POR)
  • 1942 - 1º no Circuito da Bairrada (POR)
  • 1942 - 1º na Volta a Lisboa (POR)
  • 1942 - 2º na Vuelta a Mallorca (ESP)
  • 1942 - 1º no Porto - Lisboa, Lisboa (POR)
  • 1943 - 1º nos 50 Km Clássicos (POR)
  • 1943 - 1º no Circuito do Estoril (POR)
  • 1943 - 1º em Velocidade, Barcelona (ESP)
  • 1944 - 1º no Lisboa-Santarém-Lisboa (POR)
  • 1944 - 1º no Circuito de Lisboa (POR)
  • 1944 - 1º no Circuito de Torres Vedras (POR)
  • 1944 - 2º no Campeonato Distrital de Velocidade (POR)
  • 1944 - 2º no Campeonato Nacional de Velocidade (POR)
  • 1945 - 1º nos 176 Quilómetros (POR)
  • 1945 - 1º na etapa 1, parte A do Circuito da Bairrada (POR)
  • 1945 - 1º no Circuito da Mealhada (POR)
  • 1945 - 1º nos 166 Quilómetros (POR)
  • 1945 - 1º no Circuito do Livramento (POR)
  • 1945 - 1º no Circuito da Malveira, Malveira (POR)
  • 1945 - 3º na 3a etapa da Vuelta a España, Badajoz (ESP)
  • 1945 - 1º no Americana, Independentes, Lumiar Stadium (POR)
  • 1945 - 1º nas Duas Horas à Americana, Lumiar Stadium (POR)
  • 1946 - 1º nos 166 Quilómetros (POR)
  • 1946 - 1º nos 176 Quilómetros (POR)
  • 1946 - 1º na 3a etapa da Volta a Portugal, Faro (POR)
  • 1946 - 2º no Campeonato Nacional de Fundo (POR)
  • 1947 - 1º nos 166 Quilómetros (POR)
  • 1947 - 1º no Lisboa-Santarém-Lisboa (POR)
  • 1947 - 1º no Circuito de Torres Vedras (POR)
  • 1947 - 1º no Campeonato Distrital de Velocidade, Lisboa (POR)
  • 1947 - 1º no Prólogo 1a etapa da Volta a Portugal, Lisboa (Pista de Alvalade) (POR)

Palmarés[editar | editar código-fonte]

Ano 1937 1938 1939 1940 1941 1942 1943 1944 1945 1946 1947 Total
Vitórias 5 2 4 3 4 3 3 3 8 3 5 43

Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • "Em Memória de Eduardo Lopes - Glória e Drama de um Campeão de Ciclismo" de Eduardo Cunha Lopes. Edição Bubok (2014). 373 p. Ilustrado (p&b). ISBN: 978-84-686-6046-2
  • "Copa España" de Eduardo Cunha Lopes. Edição Bubok (2016). 113 p. Ilustrado (p&b)
  • "As XXIV Horas do Metropolitano" de Eduardo Cunha Lopes. Edição Bubok (2017). 91 p. Ilustrado (p&b)
  • "Ciclismo e Ciclistas (Memórias de um Veterano)" de Amândio Nunes Monteiro. Edição do autor (2011). 254 p. Ilustrado (p&b)
  • "UVP-FPC: 100 Anos de Ciclismo". Edição da Federação Portuguesa de Ciclismo (1999). 159 p. Ilustrado (p&b)
  • "História da Volta" de Guita Júnior. Edições Talento (2006). 212 p. Ilustrado. ISBN: 972-8868-19-7

Ligações externas[editar | editar código-fonte]